AGU encobre crime do "mito" e assume defesa da assessora-fantasma Wal do Açaí – Hora do Povo

Bolsonaro e Wal do Açaí. Foto: Reprodução

A Advocacia-Geral da União (AGU) assumiu a defesa da ex-assessora-fantasma de Jair Bolsonaro, Wal do Açaí, e pediu o arquivamento do processo. Bolsonaro é acusado de improbidade administrativa e sua condenação é pedida pelo Ministério Público Federal (MPF).

A AGU argumenta que pode defender Walderice Santos da Conceição porque os crimes foram cometidos quando ela era funcionária pública, mas a intenção é, na verdade, proteger Jair Bolsonaro.

Quando era deputado federal, Jair Bolsonaro nomeou Walderice para o cargo de assessora parlamentar em seu gabinete sabendo que ela não iria trabalhar.

O acordo era de que ela receberia dinheiro público para repassá-lo para o esquema de “rachadinha”, o qual enriquecia Bolsonaro, e prestar serviços domésticos para o então deputado.

O MPF apontou que “as condutas dos requeridos e, em especial, a do ex-deputado federal e atual presidente da República Jair Bolsonaro, desvirtuaram-se demasiadamente do que se espera de um agente público”.

“No exercício de mandato parlamentar, não só traiu a confiança de seus eleitores, como violou o decoro parlamentar, ao desviar verbas públicas destinadas a remunerar o pessoal de apoio ao seu gabinete e à atividade parlamentar”.

A investigação também apurou que Jair Bolsonaro “atestou falsamente” a frequência de Walderice como assessora.

Walderice nunca foi para o gabinete de Jair Bolsonaro em Brasília, mesmo que seu cargo exigisse que ela batesse ponto, e também não trabalhava para o então deputado em Angra dos Reis. Ela e seu marido realizavam serviços domésticos na casa de veraneio de Jair.

Além disso, Wal, como era chamada, sacava em espécie entre 83% e 95% de seu salário.

Esse é um indício de que ela estava envolvida no esquema de “rachadinha” no gabinete de Jair Bolsonaro, no qual os assessores eram obrigados a devolver parte do salário ao deputado.

O ex-ministro e presidente do Cidadania, Roberto Freire, comentou que “Wal do Açaí agora é a Wal da AGU”. “AGU assumir a defesa da alta funcionária fantasma da República(das Rachadinhas) é de lascar. Wal do Açaí agora é a Wal da AGU. Mas que pouca vergonha. No que Bolsonaro e sua patota transformaram os órgãos de Estado. Uma vergonha imensa Bolsonaro provoca nos brasileiros de vergonha”, escreveu nas redes Roberto Freire.

AGU assumir a defesa da alta funcionária fantasma da República(das Rachadinhas) é de lascar. Wal do Açaí agora é a Wal da AGU. Mas que pouca vergonha. No que Bolsonaro e sua patota transformaram os órgãos de Estado.Uma vergonha imensa Bolsonaro provoca nos brasileiros de vergonha

— Roberto Freire (@freire_roberto)

Fonte: horadopovo.com.br/agu-encobre-crime-do-mito-e-assume-defesa-da-assessora-fantasma-wal-do-acai