Após Rio de Janeiro, cidade de São Paulo também cancela Carnaval de rua de 2022 – Hora do Povo

Prefeito Ricardo Nunes anunciou o cancelamento da festa nesta quinta-feira – Foto: Reprodução

Diante do aumento de casos de Covid-19 em São Paulo, o prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB), anunciou nesta quinta-feira (6) o cancelamento do carnaval de rua de São Paulo em 2022. A cidade passa pelo avanço da Covid-19, após a chegada da variante ômicron.

A Prefeitura de São Paulo, no entanto, manteve a autorização para festas fechadas e os bailes particulares, em clubes, e hotéis, com a exigência do passaporte de vacina.

Nunes liberou os desfiles das escolas de samba de SP no Sambódromo do Anhembi, que devem acontecer nos dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro. Entretanto, os desfiles só poderão ocorrer se a Liga aceitar os protocolos sanitários.

“Por conta da situação epidemiológica está cancelado o Carnaval de Rua de SP. Nós vamos sentar com a Liga das Escolas de Samba para combinar um protocolo para a realização dos desfiles no sambódromo. Caso eles aceitem os protocolos, os desfiles serão mantidos”, disse o prefeito Ricardo Nunes.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, os protocolos ainda não foram definidos, mas serão norteados com as exigências da vigilância sanitária da cidade, em parceria com a Liga.

“Nós vamos sentar com a Liga das Escolas para estabelecer esses protocolos de acordo com as exigências da Vigilância Sanitária. Nossa preocupação não é apenas com os desfiles, mas também com as aglomerações nos ensaios”, afirmou Aparecido.

A decisão do prefeito da capital paulista aconteceu após uma reunião com representantes da Vigilância Sanitária e da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), que apresentaram um estudo sobre o comportamento da Covid-19 na cidade nos últimos meses. A partir do estudo, Nunes decidiu cancelar os festejos de rua na cidade.

A solução é similar à anunciada pela Prefeitura do Rio de Janeiro, que manteve os desfiles na Marquês de Sapucaí, mas cancelou a saída dos blocos de rua na capital fluminense.

No Rio, a proibição apenas dos blocos foi criticada pelo presidente da comissão da Câmara Municipal do Rio que trata do Carnaval, o vereador Tarcísio Motta (PSOL). Segundo o vereador, a medida “é elitista”.

“A proibição dos desfiles do Carnaval de Rua, o cancelamento dos desfiles na Intendente Magalhães e na Avenida Chile e a liberação de bailes carnavalescos em clubes e outros locais fechados terão como consequência a elitização do carnaval carioca, o que contraria o espírito democrático do carnaval em nossa cidade”, diz trecho de nota divulgada pela comissão logo após o anúncio de Eduardo Paes.

CARNAVAIS CANCELADOS

Cidades como Ouro Preto em Minas Gerais, Salvador na Bahia, Olinda em Pernambuco, Brasília no Distrito Federal, entre outras, cancelaram também suas festas em decorrência do aumento de casos de influenza e Covid pelo país. 

Na última quarta (5), a prefeitura de Recife também cancelou a realização do tradicional carnaval de rua devido ao quadro atual da Covid e ao aumento de infecções pelo vírus influenza. 

A prefeitura de Belo Horizonte informou que não irá patrocinar o Carnaval da cidade e nem realizar cadastro de blocos e investimento em infraestrutura. De acordo com a Secretaria de Comunicação do município, a decisão foi pautada pela orientação dos integrantes do Comitê de Enfrentamento à Covid-19.

Na Bahia, o governador Rui Costa (PT), oficializou no dia 23 de dezembro o cancelamento do Carnaval em municípios baianos em 2022. Em uma rede social, Costa disse que a decisão se deve aos cerca de “2,4 milhões de baianos com a vacina contra a Covid em atraso”, e à epidemia de gripe que tem sobrecarregado o sistema de saúde.

A tradicional Lavagem do Bonfim, em Salvador, foi cancelada devido ao aumento de casos de covid-19 e da influenza H3N2. É o segundo ano seguido que a festa não ocorre. O anúncio foi feito na última quarta, pelo prefeito Bruno Reis (DEM).

A Prefeitura de Olinda anunciou na última, o cancelamento do Carnaval 2022 na cidade por conta do atual período pandêmico da Covid-19 e aumento do número de casos de influenza. A medida foi informada pelo prefeito, Professor Lupércio (Solidariedade), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Governadores.

Em Fortaleza, desde o dia 30 de novembro o prefeito José Sarto (PDT), anunciou a suspensão dos editais do ciclo carnavalesco do município e a destinação de R$ 14 milhões que seriam investidos no evento para as secretarias responsáveis pela segurança alimentar, saúde e cultura local.

A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou no último dia 15 de dezembro o Orçamento para 2022 com as alterações anunciadas pelo chefe do executivo municipal. A decisão na capital cearense foi tomada após o cancelamento do réveillon, influenciada pela alta de casos da Covid.

O Distrito Federal também não terá festas de Carnaval em 2022. Pelo segundo ano seguido, o descontrole da pandemia de Covid-19 impediu a realização do evento. O governador Ibaneis Rocha (MDB), afirmou que vai editar um decreto para proibir o Carnaval de rua e também as celebrações privadas. A medida será publicada no Diário Oficial do DF nas próximas horas.

Fonte: horadopovo.com.br/apos-rio-de-janeiro-cidade-de-sao-paulo-tambem-cancela-carnaval-de-rua-de-2022