Startup Projeta Faturamento de R$25 Milhões

Paulo Deitos

Segundo previsões, nas próximas três décadas, a população mundial deve aumentar em 2.2 bilhões de pessoas. Enquanto isso, recursos como água e terras cultiváveis estão diminuindo devido à poluição, degradação do solo e aumento das áreas urbanas. Todo esse cenário alterou fundamentalmente os métodos de produção tradicionais, forçando agricultores a adotarem novas tecnologias.

Com isso, a agricultura vivencia um momento de expansão tecnológica, mudando  a forma de olhar não só para o campo, mas para toda a cadeia produtiva de alimentos, dos pequenos produtores às grandes fazendas, transformando toda rede de produção ao torná-las mais produtivas, sustentáveis, econômicas e resilientes ao clima. Todo esse processo é conhecido como Agricultura 4.0.

A Agricultura 4.0 foi impulsionada pelo aumento da demanda global de alimentos, exigindo redução do desperdício nos processos produtivos. Além disso, as iniciativas governamentais em vários países estão incentivando a adoção de ferramentas e tecnologias, com o objetivo de melhorar o rendimento das propriedades.

É de conhecimento geral que o Brasil é um dos líderes globais do agro e tende a se destacar ainda mais no médio a longo prazo. O país tem a oportunidade de se tornar uma superpotência do agribusiness, suprindo o mercado mundial, além de prover alimento acessível à sua população.

A performance acima da média da indústria do agro se deve a mudanças nos modelos de negócio, práticas de cultivo e, principalmente ao aumento do uso da tecnologia. Para que o Brasil atinja todo seu potencial nas próximas décadas é essencial que as empresas continuem inovando, transformando a maneira de fazer negócios na área.

A Leigado tem como objetivo tornar o Brasil o maior produtor de leite no mundo, auxiliando o produtor a reduzir custos e aumentar sua produtividade, a agtech já vem trilhando um ótimo caminho rumo a esse objetivo atendendo grandes fazendas produtoras de leite e assistentes técnicos até grandes empresas como laticínios, cooperativas de crédito, de leite e fábricas de ração, entregando resultados rápidos e precisos sobre os indicadores de produção.

A Leigado começou a ser idealizada em 2015, mas o que surpreende é o seu crescimento em apenas cinco anos. Em pleno período de pandemia, a Leigado está avaliada em R$ 7 milhões e está presente em 23 estados do Brasil, além de operar em outros 5 países (México, Costa Rica, Bolívia, Paraguai e Portugal). Com mais de 10 mil propriedades atendidas e pelo menos 130 mil animais gerenciados, a startup demonstra a robustez e resiliência do setor e de suas operações.

 A projeção de faturamento da startup para 2024 é de R$25 milhões, segundo o CEO da Leigado, Giandro Masson, o aplicativo de gestão desenvolvido, vem sendo muito bem recebido pelos produtores. Giandro destaca que “com a plataforma, o produtor consegue acompanhar os dados da propriedade em tempo real. Nosso crescimento médio está em 15% ao mês, pois observamos que a cadeia leiteira está em constante evolução. Através da sucessão familiar e a procura crescente por tecnologia, que auxilia no aumento da produtividade, somente no Brasil, no último Censo, foram registradas 1,100 mil propriedades de leite. Destas, apenas 1% faz a gestão. Além disso, são mais de 1.800 laticínios que precisam se adequar às obrigatoriedades do governo federal.” Com isso, há um grande mercado potencial a ser explorado pela startup. 

A agricultura é um dos mercados mais rentáveis e lucrativos no Brasil e as AgroTechs hoje são responsáveis por grande parte do crescimento deste setor. E sabe o que é o melhor? Você pode se tornar sócio(a) da Leigado, uma empresa inovadora com grande potencial de crescimento, tudo isso de forma simples e descomplicada através da CapTable.

>> CONFIRA A PÁGINA COMPLETA DA OFERTA

>> PARTICIPE DO GRUPO DA OFERTA NO WHATSAPP

Um forte abraço,

Paulo Deitos — Co-fundador da CapTable