Aumenta hospitalização de crianças com covid-19 nos EUA – Rede Brasil Atual

São Paulo – A variante ômicron provocou milhares de novas hospitalizações de covid-19 de crianças nos Estados Unidos em poucas semanas e levantou o debate sobre a necessidade de ampliar a vacinação no país. De acordo com as autoridades locais, a preocupação é ainda maior com os com menos de 18 anos e a não reabertura de escolas, prevista para semana que vem, já está em pauta em alguns estados.

A média semanal de hospitalizações diárias de crianças entre 21 e 27 de dezembro subiu mais de 58% no país. Outras faixas etárias tiveram um aumento de 19%, segundo dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC). A entidade alerta que apenas 25% dos 74 milhões de estadunidenses com menos de 18 anos estão vacinados.

Em todo o estado de Nova Iorque, só 16% das crianças de 5 a 11 anos e 71%, das de 12 a 17 anos estão totalmente vacinados. Pelo Twitter, a epidemiologista do estado da Califórnia Erica Pan defendeu a necessidade de ampliar a vacinação dessas faixas etárias. “Infelizmente, Nova York está vendo um aumento nas hospitalizações pediátricas (principalmente entre os não vacinados) e eles têm taxas de vacinação semelhantes entre 5 e 11 anos. Por favor, dê a seus filhos o presente da o mais rápido possível, pois nossos casos estão aumentando rapidamente.”

Por conta do aumento de casos de covid-19 em crianças e a demora na vacinação, autoridades em alguns estados já orientaram o retorno ao ensino remoto após as férias de inverno. Cerca de 300 escolas em Maryland, Nova Jersey, Novo México e Nova york permanecerão fechadas a partir da próxima semana. As escolas públicas de Paterson começarão 2022 com duas semanas de controle. “Uma onda de novos casos ocorreu no nordeste de Nova Jersey e espera-se que a tendência continue durante as férias”, disse a superintendente local Eileen Shafer ao jornal .

Covid-19 e crianças

Por meio de sua conta no Twitter, o diretor de saúde pública da Califórnia, Tomás Aragón, alertou para o aumento do número de internações. “Por que? Omicron é tão contagiosa que encontra pessoas não vacinadas/não imunes que são mais vulneráveis ​​a hospitalizações e mortes”, afirmou.

Em entrevista à , o médico Pedro Tourinho reafirmou a , outra medida urgente protelada pelo governo Bolsonaro e seu ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

“O fato é que a vacina contra covid está disponível e em se tratando, como é, de uma vacina muito segura para a proteção das crianças, nós não podemos tolerar nenhuma situação que signifique vidas perdidas”, alertou ele. “A covid está certamente aumentando muito. A ômicron já é predominante em boa parte do país. Uma variante incrivelmente transmissível e que contamina e causa adoecimento mesmo em pessoas com duas e até três doses. A realidade de alto número prévio de casos associada à cobertura das vacinas tende de fato a produzir quadros muito mais leves, além de uma aparente gravidade menor dos casos produzidos pela variante quando comparados à delta”, acrescentou.

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/saude-e-ciencia/2021/12/omicron-criancas-eua-vacinacao