Belay e Sandrafelis vencem no retorno da São Silvestre; brasileiros sobem ao pódio – Hora do Povo

Bezabh e Sandrafelis repetiram o pódio de 2018 – Foto: Reprodução

Na manhã desta sexta-feira (31), ocorreu a 96ª edição da corrida de São Silvestre, em São Paulo. Desta vez, por muito pouco o jejum de títulos do Brasil não chegou ao fim. A corrida que foi realizada neste ano, após a interrupção por conta da pandemia, foi novamente marcada pelo domínio dos etíopes e quenianos que repetiram a dobradinha de 2018 no masculino e feminino.

Na categoria masculina, o etíope Belay Bezabh ultrapassou o brasileiro Daniel Nascimento no último quilômetro e sagrou-se campeão com 44m54. Já no feminino, Sandrafelis Chebet, do Quênia, dominou de ponta a ponta e completou a prova em 50m07.

A largada da elite masculina e do pelotão geral foi às 8h05. Diferentemente do feminino, os homens mantiveram um pelotão maior, com cerca de 15 atletas, nos primeiros quilômetros de prova.

O grupo foi se reduzindo até quatro corredores, com o queniano Elisha Rotich, o boliviano Hector Flores, o etíope Belay Bezabh e o brasileiro Daniel do Nascimento. Rotich, campeão da Maratona de Paris e um dos favoritos para esta edição, foi aos poucos se desgarrando.

Flores também ficou para trás logo no início da subida da Avenida Brigadeiro Luis Antonio, e Daniel e Bezabh se alternaram na liderança. O brasileiro, porém, sentiu o cansaço no aclive e caiu para a segunda colocação, que manteria até o fim (45m09). Bezabh cruzou na frente, com 44m54, para selar o bicampeonato.

imagem01-01-2022-19-01-25
imagem01-01-2022-19-01-25
Pódio Masculino da São Silvestre 2021 – Foto: Paulo Pinto/FotosPublicas

PROVA FEMININA

Já o pelotão feminino da elite partiu às 7h40, com praticamente todas as atletas retirando as máscaras de proteção logo após a largada – o equipamento de proteção só era obrigatório nas áreas de aglomeração, no início e no fim.

A queniana Sandrafelis Chebet e a etíope Yenenesh Dinkesa rapidamente dispararam na ponta num ritmo muito forte, com a brasileira Luisa Duarte as acompanhando nos dois primeiros quilômetros. As africanas apertaram o passo e se isolaram cada vez mais.

Com o avançar da prova, nem Dinkesa conseguiu manter a intensidade. Chebet chegou à marca dos 10km soberana, sem aparentar cansaço e até dispensando hidratação. A queniana seguiria inabalável rumo à vitória, ao bicampeonato da São Silvestre, selado com o tempo de 50m07. Dinkesa chegou em segundo (51m26), com as brasileiras Jenifer do Nascimento (51m32), Valdilene dos Santos e Franciane Moura completando o pódio.

imagem01-01-2022-19-01-26
imagem01-01-2022-19-01-26
Pódio Feminino da São Silvestre 2021 – Foto: Paulo Pinto/FotosPublicas

Fonte: horadopovo.com.br/belay-bezabh-e-sandrafelis-chebet-vencem-a-sao-silvestre-2021-brasileiros-sobem-ao-podio