Bolsonaro entrou mudo e saiu calado no ato fracassado do criminoso Silveira em Brasília – Hora do Povo

Foto: Reprodução – Globonews

Aliados do presidente defendiam que ele não participasse dos atos em desagravo ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) neste domingo

O ato convocado por Jair Bolsonaro (PL), neste domingo (1º), em Brasília para atacar o STF (Supremo Tribunal Federal) e desagravar o deputado condenado Daniel Silveira (PTB-RJ) foi um fiasco. A manifestação estava esvaziada.

O presidente da República que promove e estimula manifestações contra os poderes constituídos chegou ao local por volta das 11h30 e cumprimentou apoiadores.

“[Vim] cumprimentar o pessoal que está aqui na manifestação pacífica em defesa da Constituição, da democracia, e da liberdade. Então parabéns a todos de Brasília, bem como todos brasileiros que hoje estarão nas ruas”, disse em ‘live’ aberta nas redes sociais dele.

O presidente não fez discurso no ato em Brasília. A previsão é apenas que participe, por meio de vídeo, da manifestação prevista para esta tarde em São Paulo.

‘QUEM AVISA AMIGO É’

imagem02-05-2022-14-05-20
imagem02-05-2022-14-05-20
Bolsonaro chegando no ato em Brasília. Foto: Reprodução – TV Globo

Aliados do presidente, principalmente do Centrão, defendiam que ele não participasse dos atos em desagravo ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) neste domingo, por temor de discursos radicalizados que possam acentuar a crise entre os Poderes.

Integrantes do Legislativo e do Judiciário, com ou sem a presença do chefe do Executivo, temiam que as manifestações pudessem reeditar os atos de raiz golpista de 7 de Setembro do ano passado.

Os discursos nos carros de som na Esplanada criticaram o STF, em especial o ministro Alexandre de Moraes, relator dos inquéritos que tem Bolsonaro e os aliados dele como alvo – como é o caso do Inquérito das Fake News.

DELÍRIO E GOLPISMO

Em um dos trios elétricos, havia faixa estendida pedindo a criminalização do comunismo e a destituição dos 11 ministros do Supremo.

Apesar de o foco dos atos ter sido atacar o Judiciário, muitos discursos também tinham a esquerda e Lula como alvo, e ressaltavam a chamada pauta de costumes, como aborto.

A campanha de Bolsonaro à reeleição vai focar na pauta de costumes (moralismo), a fim de evitar a todo custo a pauta econômica, pois nesse quesito o chefe do Executivo não tem o que mostrar. Trata-se de governo sem realizações. Ao contrário. Tem “realização” de devastação.

O ato começou por volta das 10h. Organizadores pediram a pastores evangélicos e padres que se aproximassem e subissem no carro para puxar rezas. Após o Pai Nosso, um pastor discursou contra o aborto e pregou que a autoridade de Deus é maior que a de qualquer juiz.

Apoiadores do presidente organizaram atos neste domingo, em desagravo ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ), em ao menos quatro capitais, além de Brasília: Salvador (BA), Curitiba (PR), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

O ato na capital foi antecedido por motociata, da qual Bolsonaro não participou.

PAUTA DISRUPTIVA

Como Bolsonaro lidera um governo fracassado e sem realizações, ele segue a agenda disruptiva (ruptura, fratura). No sábado (30), ele usou evento oficial em Uberaba (MG) para convocar os aliados a participarem dos atos convocados para este domingo, 1º de Maio.

Em recado direto ao STF, o presidente disse: “[Aqueles] que, porventura, irão às ruas amanhã [hoje], não para protestar, mas para dizer que o Brasil está no caminho certo. Que o Brasil quer que todos joguem dentro das quatro linhas da Constituição. E dizer que não abrimos mão da nossa liberdade.”

“Amanhã [domingo] não será dia de protestos. Será dia de união do nosso povo para um futuro cada vez melhor pra todos nós”, completou, na Expozebu, maior evento da pecuária no País. O evento consta da agenda oficial do presidente e teve transmissão ao vivo pela TV Brasil, do governo federal.

M. V.

Fonte: horadopovo.com.br/bolsonaro-entrou-mudo-e-saiu-calado-no-ato-fracassado-do-criminoso-silveira-em-brasilia