Bolsonaro sabota ajuda humanitária da Argentina para vítimas de enchentes na Bahia – Hora do Povo

De férias em Santa Catarina, ele justificou a recusa à ajuda humanitária afirmando que o apoio não é necessário – Foto: Reprodução/Twitter

O governo Bolsonaro negou a autorização para a ajuda humanitária oferecida pela Argentina ao governo da Bahia em apoio às vítimas das fortes chuvas e calamidade que atingem o estado neste fim de ano.

Conforme informações da Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), até a quarta-feira (29), 24 pessoas haviam morrido, 434 pessoas estão feridas, 91.258 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas e 629.398 pessoas foram afetadas pelas chuvas. 136 cidades decretaram situação de emergência.  

Mesmo diante desse desastre, enquanto Bolsonaro curte férias em Santa Catarina, o Ministério das Relações Exteriores negou a autorização pedida pelo governador da Bahia, Rui Costa, para aceitar a ajuda oferecida pelo governo argentino.

O governo da Bahia informou que a Argentina ofereceu envio imediato de profissionais que integram a comissão nacional dos Capacetes Brancos, especializados nas áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas de desastres.

“Com a união de esforços, vamos superar este difícil momento. Agora, a missão argentina aguarda a autorização do Ministério das Relações Exteriores para que possam vir à Bahia. Agradeço aos argentinos e peço ao Governo Federal celeridade na autorização para a missão estrangeira”, escreveu o governador em suas redes sociais antes da negativa do Governo Federal.

Segundo Bolsonaro, o auxílio da Argentina não é necessário no momento e que seria “muito cara” ao país. “O fraterno oferecimento argentino, porém muito caro para o Brasil, ocorre quando as Forças Armadas, em coordenação com a Defesa Civil, já estavam prestando aquele tipo de assistência à população afetada, inclusive com o apoio de 3 helicópteros da Marinha e Exército”, disse ele em perfil nas redes sociais.

imagem31-12-2021-01-12-28
imagem31-12-2021-01-12-28
Município de Jequié, no sul do estado, foi devastado pelas enchentes – Foto: Governo da Bahia

VIL E REPUGNANTE

Nesta quinta-feira (30), a rejeição do Governo Federal à ajuda humanitária foi criticada por lideranças políticas como o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), e o ex-ministro e pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes.

Para Ciro Gomes, a negativa de Bolsonaro é “por capricho, disputa ideológica e por gostar de flertar com a morte de inocentes”.

“Achando-se acima do bem e do mal, dono do destino do Brasil e dos brasileiros, o presidente criminoso acaba de recusar ajuda humanitária da Argentina para os flagelados baianos, assim como fizera com a Venezuela, no ápice da falta de oxigênio em Manaus”, escreveu no Twitter.

O governador do Maranhão, Flávio Dino, também reagiu com indignação. “Isso é absolutamente vil e repugnante. Fazer politicagem rasteira negando ajuda ao povo da Bahia. Espero que mudem de ideia amanhã. Ou que a Justiça mais uma vez anule essa decisão administrativa imoral”, escreveu em suas redes sociais.

Veja as repercussões:

Achando-se acima do bem e do mal, dono do destino do Brasil e dos brasileiros, o presidente criminoso acaba de recusar ajuda humanitária da Argentina para os flagelados baianos, assim como fizera com a Venezuela, no ápice da falta de oxigênio em Manaus.

— Ciro Gomes (@cirogomes)

Isso é absolutamente vil e repugnante. Fazer politicagem rasteira negando ajuda ao povo da Bahia. Espero que mudem de ideia amanhã. Ou que a Justiça mais uma vez anule essa decisão administrativa imoral.

— Flávio Dino 🇧🇷 (@FlavioDino)

Meu agradecimento ao governo argentino pela oferta de ajuda humanitária às vítimas das enchentes na Bahia, em especial ao embaixador Daniel Scioli, ao cônsul-geral na Bahia, Pablo Virasoro, e à presidente da comissão nacional dos Capacetes Brancos, a embaixadora Sabina Frederic.

— Rui Costa (@costa_rui)

Não basta o “presidente” estar curtindo férias enquanto nossos compatriotas lutam pela vida na Bahia, ele também ATRAPALHA quem quer ajudar. O pior presidente da história é esse, que atua contra o povo de maneira deliberada!

— Randolfe Rodrigues 💉👓 (@randolfeap)

É lamentável você ver um presidente que não ajuda recusar ajuda de outras pessoas.

— Lula (@LulaOficial)

Desumano. Governo Bolsonaro rejeitou ajuda humanitária da Argentina para a Bahia, que sofre com os impactos das enchentes. Além de não trabalhar, Bolsonaro só atrapalha.

— Manuela (@ManuelaDavila)

Enquanto os baianos sofrem, o presidente passeia de jet ski e recusa ajuda humanitária da Argentina para a Bahia. Para ele, até questões políticas estão acima da vida dos brasileiros.

— Rodrigo Maia (@RodrigoMaia)

Impressão que tenho é que Bolsonaro impediu a Argentina de prestar ajuda humanitária à Bahia porque se arrependeu por não ter feito o mesmo quando a Venezuela levou oxigênio aos asfixiados da Amazônia. Jamais repetirá o "erro".

— Hildegard Angel (@hilde_angel)

O Governo Brasileiro NEGOU ajuda humanitária da Argentina aos desabrigados das mais de 70 cidades destruídas pela lama na Bahia. Bolsonaro é desumano.

— Jandira Feghali 🇧🇷🚩 (@jandira_feghali)

CRIMINOSO! Bolsonaro nega autorização de ajuda humanitária da Argentina às vítimas da Bahia. Não faz nada e não deixa fazer.

— Guilherme Boulos (@GuilhermeBoulos)

Governo Bolsonaro rejeita ajuda humanitária da Argentina para a Bahia. Esse governo não tem nenhum limite, nenhuma noção de humanidade, é a barbárie total.

— Ivan Valente (@IvanValente)

Enquanto o presidente segue de férias, o governo nega ajuda humanitária da Argentina à Bahia por questões políticas.As ambições eleitorais de Bolsonaro e o seu descaso com os brasileiros custam vidas.

— João Amoêdo (@joaoamoedonovo)

Governo Bolsonaro rejeita ajuda humanitária da Argentina para a Bahia. É desumano, insensível, frio e diabólico. O Bolsonarismo é incompatível com o Evangelho de Jesus.

— Pastor Henrique Vieira (@pastorhenriquev)

Fonte: horadopovo.com.br/bolsonaro-impede-ajuda-humanitaria-da-argentina-para-vitimas-de-enchentes-na-bahia