Brasil é o segundo lugar como potência na produção de energia renovável com o menor impacto ambiental

O senador Plínio Valério destaca o avanço de seu projeto que cria programa de financiamento para a aquisição e instalação de placas fotovaicas de geração de energia solar. “Não podemos aceitar a condição de vilões”, diz Plínio
Plínio Valério autor do projeto que cria o desenvsolvimento da energia Eólica e Solar no País

BRASÍLIA – Autor de projeto já aprovado na Comissão de Meio Ambiente do Senado (CMA) que cria o Programa de Incentivo ao Desenvolvimento da Energia Eólica e da Solar Fotovoltaica no País, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) comemorou dados divulgados pela Consultora Enerdata mostrando que o Brasil é o segundo maior produtor de energias renováveis na proporção de produção de eletricidade no Mundo. Segundo o estudo da consultora sobre a produção e consumo de energia a nível mundial e seu impacto ambiental, o Brasil, com 84.1%, só está atrás da Noruega, em que 98.4% da energia produzida é proveniente de fontes renováveis. Em seguida veem países como a Nova Zelândia, Suécia, Canadá e Colômbia, na América do Sul.

Apesar das críticas em relação ao Brasil, e enquanto países europeus como Alemanha retornam a exploração de energia a partir de carvão altamente poluente para o meio ambiente, pesquisadores do setor destacam o avanço dos investimentos do País em geração de fontes renováveis como energia eólica, solar , hidrelétricas, biocombustíveis, biomassa e biogás.

_ Uma das lutas que estou tendo no Senado Federal é mostrar, principalmente aos brasileiros, que nós não somos os vilões, que nós brasileiros não podemos aceitar essa condição de bandido que tentam nos impingir, lá fora e aqui dentro, na questão ambiental. Pelo contrário, os bandidos são os outros. Essas pesquisas mostram que o Brasil é uma potência na produção de energia limpa para geração de eletricidade, somos o segundo lugar no Planeta .Enquanto isso os países europeus hiper industrializados e com suas florestas devastadas ao longo do tempo , que mais nos cobram e impedem nosso desenvolvimento, estão voltando ao carvão e padecem hoje com a tragédia dos incêndios florestais com milhares de mortos , infelizmente _ avalia Plínio.

O projeto do senador Plínio que avança no Senado após a aprovação na CMA, prevê que a União destinará para o programa de aquisição e instalação de placas fotovoltaicas de geração de energia solar, até R$ 500 milhões por ano, através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O programa pode beneficiar todos os brasileiros que queiram investir no setor, sendo que o País tem um mapa de sol o ano inteiro.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.