Ciro Nogueira se enfurece com banqueiros que abandonaram Bolsonaro

Foto: Monika Flueckiger/WORLD ECONOMIC FORUM | Marcos Corrêa/PR | Alexandre Campbell/WORLD ECONOMIC FORUM

 

Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, do Itaú Unibanco, assinaram manifesto em defesa da democracia e, portanto, “contra o presidente”, segundo Ciro Nogueira

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), publicou seis tuítes nesta terça-feira (26) se mostrando furioso com os banqueiros Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles, dois dos mais poderosos do Brasil, apesar de não citá-los diretamente.

Setubal e Moreira Salles, do Itaú Unibanco, assinaram um manifesto em defesa da democracia que está sendo organizado pela Faculdade de Direito da USP e por entidades e representantes da sociedade civil. O texto é uma clara reprimenda aos arroubos autoritários e golpistas de Jair Bolsonaro (PL), que se desespera diante da iminente vitória do ex-presidente Lula (PT) na eleição deste ano.

Nogueira afirma em suas postagens que os banqueiros assinam “cartas contra o presidente da República” porque deixaram de faturar “R$ 40 bilhões (que) ganhavam a cada transferência bancária e hoje é de graça”. “Então, presidente, se o senhor faz alguém perder 40 bilhões por ano para beneficiar os brasileiros, não surpreende que o prejudicado assine manifesto contra o senhor”.

A assinatura dos banqueiros no manifesto representa, na verdade, o abandono de Jair Bolsonaro pela elite financeira do país, que se beneficiou do golpe e de reformas desde o governo de Michel Temer até o atual. Agora, tal elite se vê diante da quebra de seus negócios e do Brasil de Bolsonaro.

Fonte: Brasil 247