Como escapar das águas-vivas nas praias da Espanha | Achados

Verão na Espanha, aquela água cristalina, o céu azul… Até que: pam-pam-pam-pam-pam (pense na música do filme Tubarão)… AAAI! Calma, o Mediterrâneo não tem desses bichões. Mas tem muitos bichinhos incômodos que podem atrapalhar o seu banho de mar e causar uma bela “queimadura”. Cada vez mais frequentes e numerosas por aqui, as águas-vivas são o perrengue-chic do verão Europeu.

A Pelagia noctiluca, dando dor de cabeça na Espanha
A Pelagia noctiluca, dando dor de cabeça na Espanha
A Pelagia noctiluca, dando dor de cabeça na Espanha Pixabay/Reprodução

Na Espanha, a inimiga costuma ser a Pelagia noctiluca, na foto acima, que tem uma cor entre o rosa e o roxo e quatro tentáculos. A “queimadura” que ela provoca não checa a ser tão horrível como a da caravela, que nós, brasileiros, conhecemos bem. Mas machuca bastante e, em certas pessoas, pode causar reações alérgicas.

Uma pesquisa divulgada pelo Instituto de Ciências Marinhas da Andaluzia, na Espanha, concluiu que esses animais são extremamente adaptáveis às mudanças climáticas. Ou seja, com o aquecimento das águas dos oceanos, teremos que estar cada vez mais atentos, já que os encontros indesejados serão cada vez mais frequentes.

      Se você está em uma ilha – as Baleares, por exemplo- a regra de ouro é sempre observar o vento. Vento sul? Dia de pegar praia no norte. Vento norte? Melhor ir ao sul. Ou seja, a ideia é que o vento sempre esteja soprando na direção de afastá-las da praia. Também é importante observar a cor da bandeira hasteada pelos salva-vidas: amarelo pode significar a presença de medusas.

      Uma novidade deve ajudar a escapar delas. Recém-lançado, o MedusApp funciona como um Waze de medusas. Quem avista pode alertar sobre a presença e até postar uma foto. Os alertas aparecem em um mapa. Funciona na Europa inteira mas, por enquanto, a maioria dos usuários estão na Espanha e em Portugal.

      Se queimou? O primeiro a fazer é remover os tentáculos com pinça ou a lâmina de uma faca. Nunca esfregue a região do ferimento! Faça compressas de água do mar gelada ou bolsas de gelo para a dor. Utilize vinagre para desativar o veneno. Não aplique álcool  — nem urina! Procure auxílio médico, principalmente em caso de reação alérgica.

      Continua após a publicidade

              Fonte: viagemeturismo.abril.com.br/coluna/achados/como-escapar-das-aguas-vivas-nas-praias-da-espanha