Complexo Ambiental Mirante do Caldas, em Barbalha, é inaugurado para fomentar turismo e educação ambiental no Cariri – Governo do Estado do Ceará

Complexo Ambiental Mirante do Caldas, em Barbalha, é inaugurado para fomentar turismo e educação ambiental no Cariri

Texto Fotos

Localizado no distrito de Caldas, em Barbalha, o equipamento conta teleférico, Centro de Interpretação Histórica e Ambiental da Chapada do Araripe, café cultural, Borboletário do Cariri e vista privilegiada da região

O Governo do Ceará inaugurou, na manhã deste sábado (13), o Complexo Ambiental Mirante do Caldas, equipamento importante para a educação e pesquisa ambiental, bem como o turismo sustentável na região do Cariri. Instalado em Barbalha, no distrito de Caldas, o espaço conta com teleférico, Centro de Interpretação Histórica e Ambiental da Chapada do Araripe, café cultural, Borboletário do Cariri e vista privilegiada da região. O investimento total foi de R$ 13,8 milhões. Participaram da inauguração o governador Camilo Santana, a vice-governadora Izolda Cela, o secretário estadual de Meio Ambiente do Ceará, Artur Bruno, o prefeito Guilherme Saraiva e diversas autoridades da região.

O governador Camilo Santana destacou o potencial da região a ser explorado com a mescla de equipamentos estruturantes e riquezas naturais. “Temos a primeira unidade de conservação criada no país, que é a Floresta Nacional do Araripe. Temos um patrimônio cultural e científico muito forte. Aqui não é só um teleférico, temos também um Centro de Interpretação, café cultural e um borboletário. Estamos apostando em uma grande vocação”, disse. Nesse primeiro mês a viagem no teleférico vai ser gratuita. O governador afirmou que, depois da operação assistida, o equipamento permanecerá sem cobrança para os moradores do Caldas.

O chefe do Executivo estadual enalteceu o trabalho feito na região para fomentar novas oportunidades de emprego e renda para a população. “Aqui, nessa vila, foi feito saneamento e calçamento para deixar atrativo para as pessoas visitarem. Quando isso tudo funciona tem mais pousadas, restaurantes, comércio e movimento de pessoas. Isso significa emprego, que é o que estamos precisando. Sonhei muito com esse teleférico. Não por sonho pessoal, mas por acreditar que essa aqui vai ser uma grande vocação para ajudar a região, o turismo e as pessoas aqui do Caldas”, destacou Camilo.

A obra envolveu a recuperação e reforma de um prédio histórico no Caldas, a construção de uma linha de teleférico com duas estações (Bom Jesus e Mirante do Cruzeiro), a passarela de acesso e a plataforma do mirante. O percurso de 544 metros entre um estação e outra será feito em oito minutos. Ao todo, serão 34 cadeiras com três assentos levando os visitantes da sede do distrito ao alto da Chapada do Araripe. Seis torres de 11 a 16 metros dão sustentação à estrutura do teleférico. O Complexo será administrado, inicialmente, pelo Instituto Dragão do Mar, que ficará responsável por realizar um trabalho de educação ambiental e patrimonial, exposições, atividades artísticas, cursos, oficinas, visitas guiadas e a operação do teleférico, além de outras atividades.

Guilherme Saraiva comemorou a concretização do projeto pensado há cerca de duas décadas por Camilo Santana e reforçou que a Prefeitura vai trabalhar para garantir a estrutura necessária para que seja dado prosseguimento ao desenvolvimento sustentável local. “Depois de 19 anos dessa ideia iniciada pelo nosso governador, quando ainda era secretário do Ibama, estamos aqui inaugurando. Não é um simples teleférico, mas a representação que isso vai ter, não só para Barbalha, mas para o turismo da região. Isso vai agregar muito ao turismo. Podem contar com o município para que a gente melhore mais ainda esse distrito”, enfatizou o prefeito.

Ao lado da estação Bom Jesus fica o Centro de Interpretação Histórica e Ambiental da Chapada do Araripe e o café histórico. O espaço conta com uma exposição permanente que apresenta a história geológica da região, mostrando o rico patrimônio arqueológico, a biodiversidade e a cultura popular local que se mistura com a religiosidade. Já lá no alto da chapada, onde fica a estação do Mirante do Cruzeiro, os visitantes terão acesso ao Borboletário do Cariri – primeiro espaço na Chapada do Araripe dedicado ao estudo das borboletas que vivem e se reproduzem na Floresta Nacional. O ambiente será coordenado por professores da Universidade Regional do Cariri (Urca), que realizarão pesquisa científica e educação ambiental.

Região de uma rica biodiversidade, o Cariri possui várias unidades de conservação Federal, Estadual e municipais. Artur Bruno disse que a ideia do complexo é trabalhar, aliado ao turismo sustentável, a educação e divulgação das riquezas ambientais do local. “O complexo é um equipamento importante com vários objetivos. Primeiro a educação ambiental. É um equipamento em que a população que visitá-lo conhecerá melhor a fauna e flora do Cariri, a partir do Centro de Interpretação”, disse o titular da Sema.

“Será um equipamento muito importante para o turismo ecológico na região do Cariri. É um gerador de emprego e renda. Com certeza vários locais vizinhos crescerão: pousadas, hotéis, restaurantes e bares entorno do equipamento, e nós vamos ter também um turismo cearense, regional, nacional e até internacional, pois o turismo religioso e ambiental é muito forte no Cariri”, acrescentou Artur Bruno. O local conta com a primeira floresta nacional criada no Brasil, que foi a do Araripe, além da Área de Proteção Ambiental da Chapada do Araripe, Parque Estadual do Sítio Fundão e unidades municipais. Mais cinco Unidades de Conservação estão sendo criadas pelo Governo do Ceará na região.

A região do Cariri é farta de riqueza cultural e natural, além da religiosidade que se mistura às suas características naturais fortalecendo um mix de atrativos. Izolda Cela enxerga nesses conceitos uma possibilidade de evolução. “O Cariri concentra duas riquezas que fazem do turismo uma qualidade muito especial: a cultural e a natural. Então, a gente tem aqui a conjugação dessas coisas que, com certeza, com uma estrutura dessa, induz esse desenvolvimento do pilar da nossa riqueza que é o turismo com esses objetos importantes”, pontuou a vice-governadora.

Antes mesmo de ser inaugurado o complexo, o distrito de Caldas já vinha recebendo o investimento de pessoas que acreditam no potencial da região. Zirlândio Ferreira, conhecido como Louro, é uma dessas. Ele morava em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, e veio ao Cariri para trabalhar como pedreiro na construção do equipamento. Durante o tempo em que trabalhou na obra, vislumbrou a oportunidade de ter seu próprio negócio e aproveitar o crescimento do fluxo de visitantes com a nova estrutura, e assim ele fez. Hoje, Louro tem um pequeno restaurante com a esposa em frente à estação Bom Jesus, na rua principal do distrito. “A expectativa é grande. Todo mundo está investindo e acreditando que vai melhorar bastante. Estamos nos tornando uma região turística e isso vai ajudar bastante. Aqui é um local diferenciado e o turismo tem condições de crescer muito mais”, avalia o comerciante.

Diversos gestores e lideranças políticas compareceram à inauguração, entre eles o ex-ministro Ciro Gomes, o superintendente de Obras Públicas, Quintino Vieira, o secretário da Cultura, Fabiano Piúba, e a secretária da Educação, Eliana Estrela. Além deles, também se fizeram presentes os deputados federais José Guimarães e Mauro Filho, e estaduais Evandro Leitão, Fernando Santana e Guilherme Landim, bem como a diretora-presidenta do Instituto Dragão do Mar (IDM), Rachel Gadelha, e prefeitos dos municípios vizinhos Glêdson Bezerra (Juazeiro do Norte) e José Ailton (Crato), assim como o prefeito de Fortaleza, José Sarto, e o ex-prefeito da Capital, Roberto Cláudio. Área de anexos

Fonte: www.ceara.gov.br/2021/11/13/complexo-ambiental-mirante-do-caldas-em-barbalha-e-inaugurado-para-fomentar-turismo-e-educacao-ambiental-no-cariri