Percussionistas iniciam 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres

Da Redação

O tambor, o agogô, o xequerê. Com esses instrumentos, mulheres percussionistas de diversas bandas de reuniram na Praça das Artes, no Pelourinho, nesta terça-feira (23), para celebrar os 21 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres. A iniciativa da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Estado (SPM-BA) atraiu integrantes da Banda Didá, das Filhas de Gandhy, A Mulherada e outros grupos de percussão do Centro Histórico de Salvador, além das secretárias da SPM, Julieta Palmeira, e da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Adélia Pinheiro.

Intitulada ‘No batuque do tambor’, a ação teve como objetivo chamar a atenção da população para a necessidade de enfrentar a violência de gênero, combatendo o machismo, o sexismo e o racismo. Durante a apresentação foram distribuídos materiais informativos alusivos à campanha ‘Respeita as Mina’ e de combate à masculinidade tóxica.

“Unimos todos os tambores do Pelourinho para repicar o lema pelo fim da violência contra as mulheres. E a mulher negra é uma das mais atingidas pela violência. Por isso, as comemorações são nesses 21 dias que se iniciam no Dia da Consciência Negra e se encerram no Dia dos Direitos Humanos. É uma movimentação internacional”, afirmou Julieta Palmeira.

A secretária destacou “que haverá outras iniciativas, ações e realizações voltadas para conclamar a união do Governo da Bahia com a sociedade para pôr fim à violência contra as mulheres. Esse não é somente o problema de um crime que precisa ser punido, é também a cultura que é machista, misógina e para o qual a educação e a sensibilização de um modo geral têm muitos efeitos positivos”.

 

Fonte: todabahia.com.br/percussionistas-iniciam-21-dias-de-ativismo-pelo-fim-da-violencia-contra-as-mulheres