CPI da Covid convoca Luciano Hang

Oempresário bolsonarista e dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, reagiu com “tranquilidade”, segundo nota divulgada por ele, à nova convocação aprovada pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid nesta quinta-feira (23/9). Ele será ouvido pelos senadores na próxima quarta-feira (29/9).

“Recebi com tranquilidade a informação. Será um prazer estar presente e falar de todo o trabalho que nós fizemos, visando ajudar no enfrentamento da pandemia, buscando auxiliar na saúde do povo brasileiro e também na economia”, disse, em nota.

A convocação atende ao desejo dos senadores em aprofundar as investigações sobre o envolvimento do empresário em esquemas de disseminação de informações falsas.

O plano de saúde é acusado de tratar pacientes com medicamentos ineficazes para a covid-19, sem autorização do Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) nem dos próprios pacientes.

A intenção da Prevent era atestar a eficácia dos remédios. As denúncias dessas e de outras irregularidades foram reunidas por médicos e ex-médicos da empresa e entregues em um dossiê para a CPI da Covid.

Outra acusação é de que a operadora de plano de saúde omitiu mortes por ministração dos medicamentos. É neste caso que Hang se enquadra. A mãe do empresário era uma das clientes do plano e faleceu em fevereiro após complicações da covid-19.

Internada no Hospital Sancta Maggiore, da Rede Prevent Senior, ela foi medicada com o chamado “kit Covid”, formado por medicamentos ineficazes para o tratamento da doença, como ivermectina e cloroquina. No óbito, no entanto, a empresa não informou a causa da morte da mulher.

O relator da CPI Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou que ouvir o empresário é importante. “Eu considero que o depoimento é importante. É um empresário importante, membro destacado do gabinete paralelo. Temos conversas dele que são absurdas sob qualquer contexto”, disse Renan.

Além disso, há uma desconfiança de que Hang usou a morte da própria mãe para ofuscar o esquema feito pela Prevent Senior. Isso porque, após a morte dela, em vídeo publicado em rede social, ele diz que a mulher chegou ao hospital assintomática e com 95% dos pulmões comprometidos, e que teria sido salva se tivesse tomado o “kit covid”.

“Um filho que utiliza dessa forma a sua mãe, trata com covid no hospital, com os medicamentos do tratamento precoce. E nós temos comprovação de que ele recomendou a médicos: olha, escondam que a minha mãe foi tratada com cloroquina para não desmerecer a eficácia do plano. Isso é uma coisa macabra, escabrosa, reprovável, repugnante sob qualquer aspecto”, citou Calheiros na quarta (22/9), durante a sessão da CPI.

Fonte: oimparcial.com.br/politica/2021/09/cpi-da-covid-convoca-luciano-hang