Musicalização infantil ajuda crianças a desenvolver a sensibilidade durante a pandemia

A pequena Ana Lustosa, de um ano e sete meses, sempre foi curiosa por sons e decorava muito fácil letras e melodias. Foi assim que sua mãe, a arquiteta e urbanista Isabel Lustosa, percebeu a afinidade da filha pela música. Matriculada em uma turma de musicalização infantil no Centro Estadual de Arte da Paraíba (Cearte), ela está tendo contato com o lúdico, desenvolvendo seu lado virtuoso e se conhecendo melhor.

“Apesar do pouco tempo, já noto uma empolgação maior em aprender músicas novas e em conhecer novos instrumentos”, relata Isabel.

Os encontros de musicalização infantil de Ana acontecem remotamente nas quartas e sábados. A professora Samma Mendonça explica que é uma aula como qualquer outra, na qual o elo entre a criança e seu responsável é fortalecido através da música. É realizada com crianças de 0 a 6 anos e preparada por uma equipe de professores.

As crianças até os três anos estão sempre acompanhadas dos pais ou responsáveis, seja nas sessões presenciais que aconteciam antes da pandemia ou em casa. A partir dos quatro anos, já é possível uma interação somente entre alunos e professores.

“Imagine você caminhar para uma sala de aula com tapetes coloridos em um sábado de manhã, encontrar dois professores com instrumentos musicais diferentes e vários colegas em roda. Para bebês, que são acompanhados por seus/suas responsáveis, é também um encontro de famílias. Para crianças a partir de 3 anos, é um momento de autonomia e independência estar apenas com os colegas e professores por 45 minutos. Iniciamos a aula com uma canção de entrada na qual cada criança é chamada por seu nome, e é convidada a cantar”, explica Ana Rosa, professora e coordenadora de Musicalização Infantil do Cearte.

Na pandemia, instrumentos para as aulas de musicalização são feitos em casa e crianças contam com a participação dos pais para o desenvolvimento das atividades.

Interação na pandemia

Durante esse tempo de isolamento social, a musicalização foi essencial para a família de Isabel: “Gostamos bastante da dinâmica das aulas e nos trouxe um momento de alegria fazer essas atividades com ela, já que estamos há muito tempo em casa [desde que ela nasceu].”

Sua filha, Ana, começou as aulas de musicalização em agosto. Isabel se interessou pela musicalização por conta de uma amiga, que enviou o link das inscrições de alguns projetos do Cearte e ela logo pensou em desenvolver esse lado lúdico e criativo da filha.

A professora Samma afirma que o principal objetivo da musicalização infantil, na época de pandemia, foi manter o vínculo com as famílias e crianças. Logo no início, foram feitas playlists disponibilizadas para as famílias, estruturadas pensando na rotina trabalhada em sala de aula.

Também foram desenvolvidas atividades escritas, em áudio e em vídeo. Neste momento, os responsáveis são os principais agentes para realizar as atividades com as crianças em casa.

Segundo Ana Rosa, professora e coordenadora de Musicalização Infantil do Cearte, o principal objetivo é desenvolver na criança o prazer de fazer e ouvir música, cultivando um ambiente musical diverso.

Com a pandemia, a musicalização pode ser importante para a construção de um espaço online construtivo e coletivo, feito por professores, crianças e famílias. Mesmo expostas a telas, este ambiente de interação educativa é essencial para o melhor desenvolvimento dos pequenos.

Maracas feitas por Isabel para as aulas de musicalização da pequena Ana; aulas com a filha foram essenciais para ter um momento em família durante a pandemia

” (…) surgiu como uma saída para incentivar o uso da tecnologia com atividades interessantes, dentro da educação plural em que a música ocupa um lugar central”, disse a professora.

Ela explica que a rotina de aula contém uma série de atividades que envolvem habilidades perceptivas, o som, o movimento para que elas se tornem cada vez mais capazes de reagir a estes estímulos com respostas musicais e expressividade.

Importância do desenvolvimento musical

As aulas de musicalização infantil são estruturadas com foco em uma rotina que exploram coisas como a prática instrumental, apreciação ativa, jogos musicais, entre outras atividades.

Segundo a professora Sama podem ser trabalhadas coisas como: altura (diferença entre grave e agudo e escalas musicais); pulso e andamento (diferentes intenções do tempo, seja rápido ou devagar); duração (temporalidade do som e do silêncio, seja curto ou longo); intensidade (experienciar o sentimento da música) e expressividade (contexto das canções, brincadeira e narrativas).

“(…) A música está presente em nossas vidas desde sempre. Podemos ouvir desde quando ainda estamos na barriga das nossas mães, quando bebês somos ninados com alguém cantando para nos acalmar, e tantos outros momentos ligados a música que poderia citar aqui. Então, nada mais justo do que trabalhar essa musicalidade desde a infância”, explica Samma.

“Quando penso na música na infância, recordo que um bebê ainda na barriga, tem seu aparelho auditivo completamente formado, por isso responde a estímulos sonoros. Sendo assim, a música faz parte da vida do ser humano desde muito cedo é uma forma de comunicação potencia”, disse a professora Ana Rosa

A professora Ana Rosa reitera esse ponto: as crianças estão em contato com música a todo tempo, na comunidade em que vivem; em suas casas.

Na musicalização, a interação musical é estimulada de forma adequada para idade, de modo que ela é desafiada a construir repertórios valiosos e diversos com base na cultura popular e música brasileira.

A música é uma forma de expressão, comunicação e interação. Estimular isso desde cedo pode resultar em um adulto com mais expressividade, criatividade e sensibilidade.

Para Isabel, os ganhos com a filha Ana são visíveis e posteriormente ela pensa em matricular a pequena, que já adora percussão e violão, em uma aula de instrumento.

Ela espera que as aulas presenciais voltem de forma segura, para que Ana possa aproveitar mais e conviver também com outras crianças.

“Como ainda não estamos saindo para lugares fechados, optamos em matricular na aula EAD e foi sucesso. Além de participar, ela se empolga para fazer as atividades propostas pelos professores!”

Fonte: Com G1/PB

Enviar no WhatsApp

Fonte: paraibaempauta.com.br/noticia/31492/musicalizacao-infantil-ajuda-criancas-a-desenvolver-a-sensibilidade-durante-a-pandemia.html