PMCE utiliza a Cavalaria no trabalho de fiscalização das medidas sanitárias de combate à Covid-19

PMCE utiliza a Cavalaria no trabalho de fiscalização das medidas sanitárias de combate à Covid-19

Ascom SSPDS – Texto e Fotos

Dia 10 de Maio é comemorado no Brasil o Dia da Cavalaria. No Ceará, esse trabalho é desenvolvido pelo Regimento de Polícia Montada Coronel Moura Brasil (RPMont) da Polícia Militar do Ceará (PMCE). Em paralelo ao patrulhamento ostensivo visando inibir a prática de crimes, os cavaleiros da PMCE também vêm cumprindo papel importante no apoio ao cumprimento das medidas sanitárias de combate à Covid-19.

Eles sempre chamam atenção por onde passam. É assim que tem sido o dia a dia da Cavalaria durante os seus 183 anos de história, que serão completados no próximo dia 16 de setembro. Desde o seu início até os tempos atuais, muitas outras modalidades de policiamento surgiram, mas isso não tira a importância do regimento no rol de atividades desenvolvidas pela instituição.

Durante a pandemia, os homens e mulheres que atuam no regimento foram direcionados para locais onde outros tipos de policiamento habitualmente possuem mais dificuldade. O objetivo é evitar o desrespeito às medidas restritivas do decreto publicado pelo Governo do Estado visando diminuir a pressão sobre o sistema de saúde público e privado, além do principal, que é salvar vidas.

“O policiamento montado vem sendo utilizado principalmente na grande Beira Mar e na Praia do Futuro, que são locais de potenciais aglomerações. Em relação ao decreto, estamos sempre enviando seis ou oito conjuntos montados. Esse último fim de semana, por exemplo, foram 24 conjuntos divididos entre a Praia de Iracema, Beira Mar e Praia do Futuro”, explica o 1º tenente Rommel Arrais, oficial do RPMont. Além das faixas de areia, o RPMont também foi empregado na rodovia CE 025, na região do Porto das Dunas, em Aquiraz. O intuito, desde o início do decreto, é realizar o acompanhamento das pessoas que precisavam se deslocar de Fortaleza para a Região Metropolitana e vice-versa.

Rommel reforça que as ações que possuem cunho pedagógico e de conscientização são facilitadas em razão do cavalo ser um animal muito sociável. “Em 99% das vezes, as pessoas cumprem a determinação no que diz a respeito do que é dito no decreto. Tem um ou outro que questiona, mas os policiais militares explicam e, na grande maioria das vezes, as pessoas obedecem. Inclusive, a questão do cavalo, que é um ser muito sociável, principalmente quando se tem criança, as pessoas chegam até a pedir fotos. Mas sempre procuram cumprir as determinações dos policiais”, revela.

Como citado anteriormente, mesmo com o emprego nas fiscalizações do decreto, o RPMont segue atuando todos os dias na parte ostensiva, baseando-se nos indicadores criminais gerados pela Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp), instituição vinculada à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). Além de passar a sensação de segurança ao cidadão, a ostensividade da Cavalaria tem como foco a redução dos Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) e Violento contra o Patrimônio (CVP).

“As nossas ações são feitas diariamente e principalmente aos fins de semana. Também estamos atuando na Região Metropolitana da Capital, e em alguns bairros de Fortaleza, em razão dos índices de criminalidade”, destaca.

Atualmente, o RPMont da PMCE possui um efetivo de 175 homens e mulheres distribuídos para a Capital e para a Região do Cariri. Ao todo, são 157 animais. Boa parte desses cavalos atua no policiamento, mas há também o emprego em outras atividades desenvolvidas pelo regimento, como o “Cavaleiros do Futuro”, que funciona desde 2006 e tem como foco atuar de forma preventiva com crianças e adolescentes residentes em áreas de vulnerabilidade social próximas ao quartel, no bairro Cambeba, em Fortaleza.

Outro projeto social é a Equoterapia, realizada por meio do Centro de Equoterapia da PMCE, que promove um método terapêutico, que utiliza o cavalo no campo biopsicossocial e dentro de uma abordagem multidisciplinar nas áreas da saúde, educação e equitação. O tratamento tem como foco pessoas com necessidades especiais e também profissionais de segurança que necessitem dos benefícios promovidos pela terapia com os equinos. Atualmente, 45 praticantes são atendidos pelo projeto, entre eles dois policiais militares. A iniciativa existe há 25 anos.

Voltar ao topo

Compartilhar

Fonte: www.ceara.gov.br/2021/05/10/pmce-utiliza-a-cavalaria-no-trabalho-de-fiscalizacao-das-medidas-sanitarias-de-combate-a-covid-19