Vereadora agredida em Recife, Liana Cirne cobra de Paulo Câmara afastamento de “todos policiais que cometeram ilicitudes”

A vereadora Liana Cirne (PT), de Recife, participou hoje de uma reunião com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), após ser vítima da violência policial por questionar a atuação da Polícia Militar durante manifestação contra o governo de Jair Bolsonaro.

A parlamentar disse durante entrevista à jornalista Cynara Menezes, no Jornal da Fórum, que foi convidada pelo governador após cobrar ser atendida por ele durante discurso na Câmara dos Vereadores.

“Estive agora há pouco reunida com o governador Paulo Câmara, às 14h. Entreguei a cópia da representação disciplinar contra os policiais, não apenas os que me agrediram. Solicitei o afastamento de todos que cometeram abusos e ilicitudes”, afirmou a vereadora.

Segundo ela, o governador assegurou que a indenização aos dois trabalhadores que perderam a visão sairá “o mais rápido possível” após apelo da vereadora.

Cirne informou a Câmara sobre sua intenção de promover uma ação de dano moral coletivo que teria os custos revertidos para cursos de formação da Polícia Militar. A vereadora defende, inclusive, a criação de um curso preparatório do governo estadual “para garantir uma formação correta desde o início”.

“O bolsonarismo está muito forte nesses cursos, precisamos enfrentar o ovo da serpente antes que ele choque.”

Cirne avalia ainda que se não houvesse intervido na ação policial, mais pessoas poderiam ter sido cegadas pela repressão policial.

No domingo, a vereadora disse em entrevista à Fórum que “apesar de ter tentado dialogar, infelizmente os policiais desceram da viatura e começaram a disparar balas de borracha diretamente nos manifestantes. Não atiraram para cima ou tentaram qualquer tipo de dispersão. Atiraram com o intuito de ferir os manifestantes”.

Revista Fórum –  Foto: Reprodução