Da Justiça ao cabelo

 

Policial civil se torna cabeleireira e dona de salão de beleza em Curitiba

Inayê Souza, bacharel em direito, ex-funcionária pública, cabeleireira, terapeuta capilar e proprietária do salão Simples Assim localizado no Capão da Imbuia em Curitiba, tem como missão mudar histórias, elevar autoestima e resgatar origens.

Formada em direito no ano de 2010 e concursada na Polícia Civil no mesmo ano, Inayê sempre acreditou que o seu propósito era trabalhar com algo que a fizesse feliz e a completasse como pessoa, foi então que em 2016 ao ir atrás de outra profissão ela percebeu que amava cuidar do seu cabelo e ajudar outras pessoas com dicas e tratamentos que dessem certo, e que isso era sua paixão.

Foi então que viajou até Osasco-SP para fazer o seu primeiro curso com o Wagner Beauty, ela fez um intensivo de aulas práticas e teóricas. Assim que voltou para Curitiba começou a atender a domicílio e alternava seu trabalho de cabeleireira com o de policial civil e de revendedora de semi jóias e roupas, mas não demorou muito para que ela conseguisse o seu primeiro local de trabalho uma casinha de 27 m², que ficava no terreno das casas de sua mãe e de sua avó. E foi lá que seu trabalho começou a ser reconhecido.

No dia 5 de janeiro de 2018 Inayê pediu exoneração de seu cargo na polícia e começou a se dedicar ao salão, foi um ano de muito crescimento profissional e ela conseguiu contratar suas primeiras 3 auxiliares. Mas em 2020 com a pandemia veio uma época de incertezas e medos sobre o futuro do salão, mas ela não desistiu e continuou firme.

Hoje Inayê conseguiu conquistar um espaço de 300 m² e o Simples Assim é um salão reconhecido em Curitiba, especializado em cabelos ondulados, cacheados e crespos, além de ter mais de 7.500 seguidores no Instagram.

Serviço: Inayê Souza

Cabeleleira e Terapeuta Capilar,Proprietária do Salão Simples Assim

Rua Arthur Ferreira de Almeida 455, Capão da Imbuia,Curitiba-Paraná 

(41)99926-2621

Instagram:@inayesouza/@salaosimplesassim

Facebook:@salaosimplesassim

    Fonte: portalvarada.com/artigos/da-justica-ao-cabelo