#Bolsocaro: internautas criticam Bolsonaro e Guedes pela disparada da inflação

São Paulo – A hashtag #Bolsocaro foi a mais citada no Twitter desde o início do tuitaço, no fim da tarde desta quinta-feira (11). Com mais de 20 mil menções, a mobilização digital denunciou a carestia e a alta vertiginosa do preço dos alimentos sob o governo Jair Bolsonaro. De acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE, a acelerou 1,25%, a maior variação para o mês nos últimos 20 anos. Em 12 meses, a alta geral dos preços já chega a 10,67%. Políticos, influenciadores e internautas também criticaram o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Um dos tuítes afirmou que #Bolsocaro é “tendência” desde 2019, quando o atual presidente assumiu o cargo. Outro disse que “enquanto o povo passa fome, Bolsonaro tira do povo pra comprar deputado”. Também houve quem mencionasse que dólar alto só é bom para quem tem conta em paraíso fiscal, em menção à offshore de propriedade de Guedes revelada nos chamados .

Para a presidenta do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), em vez de competência para conter a crise, Bolsonaro chefia um desgoverno de confusão “Dólar nas alturas, combustíveis caríssimos e falta de investimentos. Mortes, fome, desemprego, renda baixa, uma babel!”, criticou. Seu colega de bancada, Henrique Fontana (PT-RS) destacou que o Brasil tem a pior perspectiva de crescimento entre os países do G20 para o ano que vem. Marcelo Freixo (PSB-RJ) disse que a única fome que preocupa Bolsonaro “é a do Centrão”.

Combustíveis

Vídeos elaborados pela liderança da Minoria na Câmara dos Deputados foram dos mais compartilhados pelos internautas. Um deles explicou as consequências da . Por conta do (PPI), política adotada pelo Petrobras desde 2016, o diesel registrou alta acumulada de 65,5% nas refinarias em 2021, de acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo (ANP). Para a gasolina, o aumento é de 74,8% desde janeiro.

Assista esse vídeo. Você vai entender exatamente pq estamos na merda.

— Felipe Neto (@felipeneto)

Como a maioria dos produtos são transportados por caminhões, o diesel mais caro acaba tendo impacto disseminado por toda a economia, afetando principalmente o custo dos alimentos. Outra publicação no tuítaço #Bolsocaro faz paródia com os jingles tradicionalmente utilizados pelos caminhões que vendem gás de cozinha em grande parte das cidades brasileiras. “Subiu o preço, subiu demais! O que custava R$ 60, agora custa R$ 130!”.

“Olha o gás, olha gás, olha o gáaas….Tá tudo caro, Bolsonaro não dá maaaais”

— Cris (@crisvector)

Vivemos a época que café gourmet de torrefação sei lá o que tá mais barato que o meu amado pilão, sem condições

— Luize Sampaio (@luizesampaio)

Tá tudo muito caro e já sabemos de quem é a culpa…..

— Juan vitor (@Juanvit94857217)

Gasolina R$ 7,50, famílias passando fome e inflação nas alturas.

— Marcos Vieira (@marcossmvieira)

absurdo o país voltou para máquina de precificação diária de produtos nas prateleiras.

— Alex Nazaré🕊🆘 (@AlexNazare)

Finalmente estou tendo a chance de sentir na pele aquilo que eu era muito criança para entender no passado…INFLAÇÃO DESCONTROLADA.Obrigado,

— Alan M. de Freitas (@alanmfreitas)

Ninguém merece ter que escolher entre comprar o gás ou comprar comida 🙁

— Luiza Xavier (@Luizaguaco)

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/politica/2021/11/bolsocaro-internautas-criticam-bolsonaro-e-guedes-pela-disparada-da-inflacao