CPI da Covid ouve advogada de médicos da Prevent Senior e Luciano Hang

São Paulo – Nesta terça-feira (28), a CPI da Covid retoma as atividades públicas com a oitiva da advogada Bruna Morato. Ela defende os ex-médicos da Prevent Senior que denunciaram as pressões pela utilização do kit covid, ameaças e práticas consideradas “estarrecedoras” pelos senadores. Na quarta-feira (29), os senadores ouvem o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan.

Nesta segunda (27), o bolsonarista publicou vídeo no qual debocha da CPI. Com uma algema em um dos braços, ele afirma que vai depor à comissão “com o coração aberto”. “Para não gastar dinheiro (público), já comprei uma algema, vou entregar uma chave para cada senador”. Por fim, acrescenta: “E que me prendam”.

“Deram muito poder para Luciano Hang, com mídia e exposição. Agora ele se vê na condição de se mostrar algemado e tirar graça com a #CPIdaCovid para dizer que está acima do bem e do mal”, tuitou o senador Rogério Carvalho (PT-SE).

Reta final

Não há consenso na cúpula da CPI sobre a necessidade de ouvir o empresário, acusado de financiar disseminação de fake news, inclusive sob a “intercessão” do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), segundo O Globo. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) tem defendido que o depoimento de Hang não é necessário, porque o colegiado já possui elementos suficientes para indiciar o aliado do presidente por diversos crimes, além de financiar notícias falsas que colaboraram para espalhar o vírus da covid.

Mérito da CPI foi mostrar ação deliberada do governo Bolsonaro na crise da pandemia

Vice-presidente da comissão, o senador ressalva que irá acatar a decisão da maioria. O G7 (grupo formado por independentes e oposicionistas ao governo federal) se reúne ainda na noite de hoje, na casa do senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente do colegiado, para definir a reta final dos trabalhos, que de acordo com Randolfe pode ser a semana que vem. A reunião irá definir também o depoimento da próxima quinta-feira (30).

Prevent na ANS

A Prevent Senior está entre as operadoras mais processadas administrativamente pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Com 542,5 mil clientes em 2021, a empresa foi acusada de fazer experiências com o chamado kit covid e de tratar pacientes como cobaias humanas. A ANS abriu dois novos procedimentos contra ela na semana passada, após denúncias que chegaram à CPI da Covid desses experimentos sem consentimento dos familiares. Jair Bolsonaro e seus filhos chegaram a publicar postagens citando a empresa como exemplo de eficiência.

“Seis vezes em que os Bolsonaro enalteceram o crime cometido pela Prevent Senior e ainda atacaram o SUS por não ‘fazer igual’”, postou o analista de redes sociais Pedro Barciella em 16 de setembro. “Flávio Bolsonaro atacou o G1 por ‘estar contrariado com a Prevent Senior’ em 5 de abril de 2020”, acrescentou.

Na sessão do Congresso que derrubou sete vetos de Bolsonaro – incluindo o que rejeitava a proibição de despejos durante a pandemia –, o senador Humberto Costa (PT-PE) afirmou que “nada há a comemorar” nos mil dias do governo Bolsonaro, completados nesta segunda-feira. “Vivenciamos uma gigantesca tragédia, porque a pandemia continua sem controle necessário. O processo de vacinação continua lento, se iniciou muito tarde e não garante que possamos superar o problema em curtíssimo prazo”, disse.

O parlamentar, que integra a CPI, lembrou a “situação gravíssima” do país em todas as áreas, como crescimento do desemprego, da inflação. Além da desigualdade “de forma brutal”, com a pobreza se acentuando e a volta da fome.

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/politica/2021/09/cpi-da-covid-depoimentos-advogada-medicos-prevent-senior-luciano-hang