CPI da Pandemia: Brasil não é país de oportunidades, é de oportunistas

Todo o país está, ou estava, esperando por um resultado, uma conclusão, um veredito ou, ao menos, um encaminhamento. Não tem sido fácil acompanhar, virou, em grande parte, um “maratonar” canastrões. A maioria dos depoentes transformou a CPI da Pandemia em lugar de deboche, lugar onde se vai para mentir e enganar, ou ficar em silêncio, até que um foi preso, para ser solto após pagar irrisórios reais.

As denúncias que prometiam ser bombas de destruição cabal, até agora não levaram a lugar nenhum. Os militares avisaram que não admitirão ser incriminados. Parece que a verdade não importa. Bem, já sabemos que qualquer situação mal explicada corre o risco de enfrentar 100 anos de silêncio, a menos que aconteça em solo estrangeiro, onde estar em avião oficial, em voo oficial não significa nada, dependendo do que se está transportando.

Aziz desafia Bolsonaro: ‘Diga à nação brasileira que seu líder na Câmara é um homem honesto’

O presidente já declarou que a CPI, para ele, não passa de um laxante que o detém, por pouco tempo, em lugar reservado para tal desfecho. Outrossim, a CPI da Pandemia parece ter revelado que o Brasil é mesmo um país de oportunidades! Ou se deveria dizer de oportunistas?

Até porque não deve haver muitos lugares no mundo onde um cabo da PM consegue negociar 400 milhões de doses de vacina… que, provavelmente, se fato, teriam sido muito bem vindas, mas que, porém, não vieram por tentativa de corrupção por parte dos negociadores oficiais, que o cabo denunciou. Além do cabo, tem um reverendo evangélico que parece participar de uma ONG que se chama Secretaria Nacional de não sei das quantas, e que, também, parece exercer papel importante nesse imbróglio.

E tudo isso diante de senadores e senadoras da República, pasme-se, diante de membros do Senado! Tudo isso fala do país muito mais do que qualquer um gostaria de ouvir.

Algo porém, é certo: não se sabe se um dia os militares serão ou não devidamente incriminados, ou o presidente, ou quem quer que seja. No entanto, brasileiras e brasileiros, empobrecidos, continuam a ser, sistematicamente, discriminados, morrendo de covid ou passando fome!

Ariovaldo Ramos é coordenador da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito e apresentador do programa Daqui pra Frente, toda quarta, às 20h, na TVT

Artigos desta seção não necessariamente expressam opinião da RBA

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2021/07/cpi-revela-que-brasil-nao-e-pais-de-oportunidades-mas-de-oportunistas