Janaína Paschoal nega “motivação econômica” para impeachment e diz: “Vou apoiar Bolsonaro”

Em ataque de fúria nas redes sociais – lembrando o tempo em que discursava ferozmente contra o governo Dilma Rousseff (PT) -, a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) mostrou irritação com pedidos de seguidores para que produza um novo processo de impeachment, desta vez contra Jair Bolsonaro.

Na publicação, Janaína – que já admitiu ter recebido simbólicos R$ 45 mil do PSDB para fazer o processo que resultou no impeachment de Dilma – negou “motivação econômica” para entrar com a ação contra a presidenta petista e disse que seu trabalho não está à venda quando se trata de Bolsonaro.

“Aos palhaços que insistem na tese de que eu teria sido ‘contratada” para pedir e trabalhar arduamente pelo impeachment do PT, peço que reflitam sobre o número de pessoas que já me procuraram para pedir o impeachment de Bolsonaro. Quem vivenciou aquele período sabe que meu trabalho, minha dedicação e minha convicção foram fundamentais. Tivesse havido qualquer motivação econômica, hoje, eu ficaria bilionária, pois muitos poderosos querem derrubar o Presidente. Mas como amo muito meu País, vou ficar bem longe desses movimentos Pró-Impeachment”, tuitou.

Em seguida, a deputada, que foi cotada para vice de Bolsonaro em 2018, usou o “desabafo” para confirmar que continuará apoiando o atual presidente em 2022.

Revista Fórum