Djokovic vai à Austrália sem vacina, é barrado e pode ser deportado

São Paulo – Número 1 do tênis, o sérvio Novak Djokovic chegou à Austrália para defender o título. Negacionista, ele se recusa a se vacinar contra a . Chegou a Melbourne com um atestado com uma “autorização especial” para entrar no país sem comprovante de vacinação. Acabou retido pelas autoridades e passou a noite confinado em uma sala vigiada por policiais no aeroporto. Segundo a informação mais recente da agência Reuters, ele tem grande chance de ser deportado.

Nove vezes campeão do Australian Open – um dos quatro Grand Slams, os torneios mais importantes do tênis –, o astro recebeu carta do governo australiano com a negativa do visto. A Reuters cita “uma fonte próxima ao torneio”. O atleta teria apresentado um pedido de liminar para evitar a deportação.

Autoridades australianas alertaram previamente “Djoko”, como os fãs o chamam, de que ele não entraria no país sem comprovação das vacinas. Ele foi à Austrália, no entanto, respaldado pela direção do Australian Open, que lhe concedeu uma “exceção médica” para jogar.

O departamento federal de fronteiras australiano teria contatado o governo estadual de Victoria – que é parceiro na organização do torneio –, mas o imbróglio continuou.

“Feliz ano novo”

“O governo federal perguntou se apoiaremos o pedido de visto de Novak Djokovic para entrar na Austrália. Não forneceremos a Novak Djokovic apoio individual no pedido de visto para participar do Grand Slam Australian Open 2022”, escreveu a ministra do governo de Victoria, Jaala Pulford, no Twitter.

, o tenista “será deportado, tendo recebido ordens, da parte das autoridades locais para regressar ao país de origem, segundo diversos órgãos de informação, nomeadamente o The Guardian, a Eurosport ou o Daily Mail, entre muitos outros”.

Ironicamente, em sua última postagem no Twitter antes da confusão, o tenista escreveu: “Feliz Ano Novo! Desejando a todos saúde, amor e alegria em cada momento e que você sinta amor e respeito por todos os seres deste maravilhoso planeta”. Ele acrescentou: “Eu passei um tempo fantástico de qualidade com meus entes queridos nas férias e hoje estou indo para o torneio com uma permissão de isenção. Vamos para 2022!”

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/mundo/2022/01/sem-vacina-djokovic-australia-pode-ser-deportado