Direitos Já! defende imediata renovação do auxílio emergencial

Economistas preveem que desigualdade e desemprego vão aumentar em 2021. Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

Lideranças de 17 partidos e economistas formulam documento a ser apresentado ao Congresso Nacional propondo renovação do auxílio emergencial enquanto durar a pandemia

O movimento Direitos Já! Fórum pela Democracia!, que reúne lideranças de 17 partidos políticos e economistas, está elaborando um documento que será entregue ao Congresso Nacional com propostas para imediata aprovação do auxílio emergencial.

Para o Conselho Político, que se reuniu no sábado (20), a renovação do auxílio emergencial não deve ser atrelada a nenhuma condicionalidade, por tratar-se de uma resposta a uma crise humanitária sem precedentes.

O Direitos Já! propõe a extensão imediata do auxílio emergencial com valor inicial de R$ 600, um valor compatível com o da cesta básica, até a significativa melhora dos indicadores relativos ao controle da pandemia da Covid-19 e à evolução da vacinação.

Para os economistas, o auxílio emergencial protagonizado pelo Congresso Nacional impediu um queda maior no nível da atividade econômica que já sofria com a estagnação, desemprego recorde e o aumento da desigualdade. A medida proporcionou renda para milhões de brasileiros que perderam renda por conta da pandemia e impediu um aumento ainda maior do desemprego, que já atinge 14 milhões de brasileiros.

Para o movimento, nesse momento é muito mais importante salvar vidas do que se preocupar com a dívida do setor público. Os economistas reiteram que a situação fiscal brasileira é sustentável e existe “espaço fiscal” para um aumento do investimento público a exemplo de outros países do mundo.  

O Direitos Já! alerta para o agravamento da crise, com aumento do desemprego, e para a segunda onda de contágios da Covid-19 no início do ano com aumento da miséria e da fome.

Fonte: horadopovo.com.br/direitos-ja-defende-imediata-renovacao-do-auxilio-emergencial