Intenção de consumo das famílias da classe A, mostra maior otimismo

*Por Nonato Paz

A pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias-ICF, realizada mensalmente numa parceria entre a Confederação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo com a FECOMÉRCIO-PI através do Instituto FECOMÉRCIO DE Pesquisa e Desenvolvimento do Piauí – IFPD, mostrou em agosto um crescimento de 1,93% atingindo 84,3 pontos. Ficou ainda 2,32% abaixo do resultado de agosto do ano passado, numa escala que vai de 0 a 200 pontos, sendo 100 o valor intermediário entre o pessimismo e o otimismo. A Intenção do Consumo mostra-se mais intenso entre os consumidores com renda acima de 10 salários mínimos que atingiu otimismo de 140,8 pontos e um crescimento de 7,07% comparando com o mês anterior.

Os consumidores com que ganham abaixo de 10 salários mínimos foi revelado um pessimismo de 80,4 pontos e quando comparado com julho encontrou-se um recuo de 1,39%.

Fonte: CNC – Elaboração: Instituto Fecomercio de Pesquisa e Desenvolvimento

A intenção de Consumo das Famílias é formada por 7 sub – índices. Emprego Atual, Perspectiva Profissional, Renda Atual, Compra a Prazo, Nível de Consumo Atual, Perspectiva de Consumo e Momento para Duráveis. Cada sub índice tem o seu índice de confiança. O índice geral neste mês de agosto foi de 84,3 pontos. Os sub índices Situação Atual de Emprego atingiu 110,9 pontos; perspectiva profissional 105,1; Renda Atual. 102,8; Situação Atual dos Créditos 72,5; Nível de Consumo Atual 72,7 e Perspectiva de Consumo 91,8 pontos.

Vários fatores apontados pelo Presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Piauí Denis Cavalcante, pela queda deste indicador, foram: a redução de otimismo na maioria dos componentes acima citados, as incertezas quanto ao câmbio, o aumento da inflação e o desemprego que constituem fatores inibidores dos gastos para agosto. O montante de recursos financeiros que entraram a mais na economia de Teresina entre os meses de julho e agosto por conta do auxílio emergencial do Governo e a suspensão do isolamento social foram suficientes para aquecer um pouco as vendas no Comércio. Ainda permanece com dificuldade de recuperação o consumo de serviços como restaurantes, hotéis e bares.

No entendimento da FECOMÉRCIO-PI apenas a Situação Atual do Emprego, Perspectiva Profissional e Renda Atual encontram-se em situação de otimismo.

EMPREGO E RENDA

Apesar de permanecer o mesmo índice do mês passado o componente Emprego Atual atingiu 110,9 pontos, e 25,6% dos entrevistados estão mais seguros nos seus empregos neste mês de agosto. O otimismo foi satisfatório para os consumidores de maior poder aquisitivo que atingiu 147,1 pontos. Metade dos consumidores acredita que nos próximos 6 meses haverá melhora profissional em que possibilitem melhora nas condições de vida , inclusive de aumento de salário.

A Renda Atual foi avaliada da seguinte forma: 30,9% disseram que a renda melhorou com relação ao ano passado e houve piora para 28,1%. Para as famílias de maior poder de compras, 63,2% declararam que a Renda ficou melhor e por isso alcançou um otimismo de 158,8 pontos neste sub índice.

CRÉDITO E NÍVEL DE CONSUMO

O crédito ficou mais difícil para 44,5% por causa do aumento da inflação dos últimos meses. Entre tomar dinheiro emprestado aos Bancos as famílias preferiram comprar diretamente nas lojas.

Quanto ao Nível de Consumo Atual 47,7% dos Consumidores escolhidos na Pesquisa, disseram que estão comprando muito menos em Agosto do que o ano passado, enquanto apenas 20,4% avaliaram estar consumindo mais.

*Nonato Paz é assessor econômico da FECOMÉRCIO-PI e do Instituto Fecomercio de Pesquisa e Desenvolvimento – IFPD-PI.