Livro “Pensamento nacional-desenvolvimentista” será lançado na quarta-feira (12)

A Fundação Maurício Grabois, através da Cátedra Cláudio Campos, promeve nesta quarta-feira (10), às 19h, o lançamento on-line do livro “Pensamento Nacional-Desenvolvimentista”, organizado pelo economista Nilson Araújo de Souza e a historiadora Rosanita Monteiro de Campos. O evento virtual terá participação do presidente da Fundação Maurício Grabois, Renato Rabelo, Rubens Sawaya, Alexandre de Freitas Barbosa, Carlos Lopes e Aldo Arantes.

A coletânea contém 31 textos, entre discursos, artigos e documentos, contendo as principais contribuições para a formulação do pensamento nacional-desenvolvimentista no Brasil a partir da Revolução de 30, sua implementação através dos presidentes Getúlio Vargas e João Goulart, até as mais recentes manifestações de intelectuais e dirigentes partidários que buscam recuperar esse pensamento na trajetória da Revolução Brasileira.

O jornalista Cezar Xavier resume no site da Fundação Maurício Grabois os temas e autores que fazem parte da coletânea que reproduzimos a seguir.

“O livro está dividido em quatro grandes partes que elencam seus textos por critérios temáticos. Sua primeira parte é composta por textos oriundos de autores que têm relações diretas ou indiretas com o Instituto Superior de Estudos Brasileiros — ISEB: Oficina do pensamento nacional-desenvolvimentista. Nela se encontram os textos O problema do negro na sociologia brasileira (1954) e Sociologia enlatada e sociologia dinâmica (1953), de Alberto Guerreiro Ramos.

Logo após, vêm os textos de Álvaro Vieira Pinto, A defesa da indústria nacional autêntica (1960) e Ideologia e desenvolvimento nacional (1956). Anízio Teixeira comparece com A nova Lei de Diretrizes e Bases: um anacronismo educacional? (1960).

Tem ainda o depoimento A derrota dos entreguistas na luta pela criação da Petrobrás, de Euzébio Rocha, concedido em 1987 para o CPDOC da FGV. Já a questão regional se apresenta com O caminho para o Nordestes e para o Brasil (1965), de Miguel Arraes.

De Nelson Werneck Sodré são apresentados dois textos. O primeiro é a aula inaugural do curso regular do ISEB no ano de 1959, Raízes históricas do nacionalismo brasileiro. O segundo texto de Sodré são as conclusões do livro Brasil: radiografia de um modelo (1974). 

O texto Roberto Simonsen: a indústria e o desenvolvimento do Brasil, contém parecer de Simonsen apresentado ao Conselho Nacional de Política Industrial e Comercial (CNPIC), em 16 de agosto de 1944, com comentário de Carlos Lopes

A segunda parte do livro versa sobre Getúlio Vargas – conta com oito mensagens, pronunciamentos e discursos de Getúlio, mais a sua Carta-testamento. Os textos estão distribuídos em toda a Era Vargas como As riquezas naturais do Brasil e a industrialização (1931) e Industrialização e petróleo (1940). Traz ainda seu último discurso como parlamentar, antes de voltar à presidência, Escritos e pronunciamentos no Senado (1947). O painel desenvolvimentista de Getúlio continua com Enfrentamento da espoliação do Brasil pelas remessas de lucros (1951), No petróleo, o controle nacional é imprescindível (1951), Ser nacionalista é ser a favor da Nação (1952) e A emancipação Nacional (1954). Completa-se o apanhado do pensamento getulista, já sob ataque, em pleno ano de 1954, com seu discurso de 1º de maio e a antológica Carta-Testamento (1954). 

A terceira parte do livro segue com João Goulart e as Reformas de Base. O conjunto de três textos se divide em dois discursos e uma mensagem. O discurso da Criação da Eletrobrás (1962) e o Discurso na Central do Brasil, de 13 de março de 1964. 

A quarta parte do livro é intitulada Recuperando o nacional-desenvolvimentismo para a Revolução Brasileira. Abre com dois textos de Cláudio Campos: o informe Unir a Nação e romper com a dependência (1982) e Programa de Emancipação do Brasil (1995).

Traz, ainda, o informe especial sobre a desnacionalização (2001), de Haroldo Lima, para o 10º Congresso do PCdoB. No Novo Projeto Nacional, caminho brasileiro para o socialismo (Programa do Partido Comunista do Brasil, aprovado em seu 12º Congresso de 2009), cria-se um lema: O socialismo é o rumo, a construção da nação o caminho. 

Dentre as principais personalidades do pensamento nacional-desenvolvimentista, a coletânea destaca Celso Furtado: Criatividade e dependência na periferia, de Rubens R. Sawaya; e O pensamento de Rômulo de Almeida: o intelectual orgânico do Estado e o Brasil desenvolvimentista, de Alexandre de Freitas Barbosa, professor do Instituto de Estudos Brasileiros da USP. 

Nilson Araújo escreve o capítulo O Nacional-desenvolvimento e a industrialização (2007) e João Goulart e a atualidade das Reformas de Base (2018). Sérgio Rubens de Araújo Torres é o autor de Construir uma alternativa comprometida com o interesse nacional (2015).”  

Pensamento Nacional-Desenvolvimentista, Nilson Araújo e Rosanita Campos (Orgs.) 

– Fundação Maurício Grabois, Cátedra Cláudio Campos/ Editora Anita Garibaldi616 páginas. 2021.

Fonte: horadopovo.com.br/livro-pensamento-nacional-desenvolvimentista-sera-lancado-na-quarta-feira-12