Elvis: roteiro pelas cidades que marcaram a vida do Rei do Rock

Elvis Presley, o Rei do Rock, nunca deixou de fazer sucesso. Mas sua história tem ganhado mais visibilidade nas últimas semanas pelo lançamento da cinebiografia dirigida por Baz Luhrmann. Durante toda vida do cantor, que morreu aos 42 anos, três cidades marcaram acontecimentos relevantes. Tupelo, onde ele nasceu, Memphis, cidade em que iniciou sua carreira e, por fim, Las Vegas, que presenciou suas últimas apresentações. Confira um roteiro que desbrava diversos lugares dedicados a contar a trajetória do astro:

Memphis, Estados Unidos
Memphis, Estados Unidos
Elvis Presley viveu em uma casa de dois cômodos até os 13 anos. MemphisTravel/Divulgação

O menino que viria a se tornar Elvis Presley nasceu em Tupelo, cidade no estado de Mississippi onde vivem 140 mil habitantes, e as poucas atrações giram em torno da história do astro do rock. O ponto inicial do passeio é uma casa de dois cômodos onde o cantor viveu até os 13 anos. O local mantém as características que tinha quando foi construído pelo pai de Elvis, Vernon, em 1934. Dali o visitante pode conhecer a igreja que o artista frequentava com a família e o Museu do Elvis Presley, com fotografias e objetos que representam a infância do músico. As entradas para os três lugares podem ser adquiridas de uma única vez, por U$ 20 (cerca de R$ 100), .

Embora Tupelo seja a cidade natal de Elvis Presley, foi a 190 quilômetros de lá, em Memphis, no Tennessee, que o Rei do Rock passou grande parte da vida até sua morte, em 1977. E um dos ícones da cidade é a mansão comprada pelo cantor em 1957. Transformada em museu em 1982, há visitas guiadas com áudios de Lisa Marie Presley, única filha do artista, sua ex-esposa, Priscila Presley, e do próprio Elvis. Dentro da casa, apenas o térreo está aberto ao público, onde é possível conhecer o quarto dos pais de Elvis, a cozinha e a sala de estar. A Jungle Room é um cômodo de decoração extravagante inspirada na selva e que serviu de estúdio para o músico. Há também a quadra de squash, onde o astro realizava sessões musicais com os amigos. O tour ainda contempla o Jardim de Meditação, cemitério onde estão enterrados Elvis, seus pais e sua avó. Os ingressos custam US$ 77 (cerca de R$ 413) e podem ser comprados aqui.

Ver essa foto no Instagram

Em frente à mansão em que o cantor viveu, foi inaugurado em 2017 o complexo . Nele, estão expostos artigos que pertenceram ao cantor, como seus dois aviões. Há também um museu dividido em três partes, sendo um dos destaques a sala que abriga as mais de cem roupas usadas por ele nos anos 1970, além dos discos de ouro, prata e platina que recebeu durante a carreira. No pavilhão Presley Motors estão expostos dezenas de carros adquiridos pelo artista, incluindo o famoso Cadillac cor-de-rosa. Os ingressos custam US$ 48 (cerca de R$ 257) e não incluem a visita à mansão.

Ver essa foto no Instagram

Memphis, Estados Unidos
Memphis, Estados Unidos
A Beale Street, em Memphis, respira blues. MemphisTravel/Divulgação

Memphis, justamente pela ligação com Elvis Presley, é considerada a Cidade do Rock’n Roll. No entanto, na rua Beale Street, no centro da cidade, o que impera é o blues, gênero que influenciou o cantor no início da carreira. O local fez parte da juventude de Elvis antes da fama, quando ele trabalhava como caminhoneiro e eletricista. Elvis era visto com frequência na região, o que chamava a atenção por ser um reduto afro-americano – naquela época, a segregação racial era intensa no sul dos . Hoje, todos os bares ao longo da avenida têm apresentações ao vivo de blues, que começam no período da tarde e se estendem até o início da madrugada. O estabelecimento mais proeminente é o bar , nomeado em homenagem a outro ícone da música que fez sucesso em Memphis.

Bem próximo à Beale Street, o é o restaurante mais antigo de Memphis e um dos locais favoritos de Elvis. O artista era um frequentador assíduo da lanchonete e costumava ser visto comendo sanduíche de banana e pasta de amendoim.

Ver essa foto no Instagram

A Sun Studio é uma gravadora fundada por Sam Phillips, o primeiro a oferecer uma oportunidade a Elvis, além dos cantores Jerry Lee Lewis e Johnny Cash. O estúdio está localizado em um pequeno prédio de tijolos, distante cerca de 2 km do centro de Memphis. Em seu interior há um bar e uma exposição com os discos do Rei do Rock que podem ser visitadas gratuitamente. Existe também uma opção paga do passeio, que conta com uma visita guiada de 45 minutos sobre a história da gravadora, que custa US$ 15 (cerca de R$ 79).

Continua após a publicidade

Ver essa foto no Instagram

Durante a primavera, o anfiteatro ao ar livre realiza uma série de concertos gratuitos. Foi lá que o astro do rock deu o seu primeiro show pago em julho de 1954. Nos anos seguintes, o local também foi palco de artistas como Carl Perkins, Johnny Cash, Furry Lewis, Booker T. & the MGs, Mavis Staples e Sid Selvidge.

Ver essa foto no Instagram

O hotel, construído em 1913, sediou a rádio WHBQ, em que Elvis cantou pela primeira vez a música That´s All Right, Mama, em 1954. Hoje, o interior do local foi inteiramente reformado, mas a fachada permanece a mesma.

Ver essa foto no Instagram

Na década de 1970, Elvis Presley realizou 837 shows em todos esgotados, o que transformou a cidade em sua segunda casa. O músico se apresentava no International Hotel, que hoje se chama e está fora da Strip, mas conectado à linha do monorail que passa por vários dos resorts. Há uma estátua do cantor ao lado do cassino, além de fotos dos shows e dos bastidores espalhadas por todo o hotel, basta entrar para visitar.

Ver essa foto no Instagram

      Continua após a publicidade

              Fonte: viagemeturismo.abril.com.br/mundo/elvis-roteiro-pelas-cidades-que-marcaram-a-vida-do-rei-do-rock