Estudantes acusam professor de assédio em escola pública – Alagoas 24 Horas: Líder em Notícias On-line de Alagoas

Alunos realizaram mobilização após três alunas, com idades entre 14 e 15 anos, dizerem ter sido vítimas do educador

Estudantes da Escola Estadual Maria Ivone Santos de Oliveira, no Tabuleiro do Martins, realizaram uma mobilização nesta terça-feira, 03, após três alunas denunciarem que foram vítimas de assédio sexual, supostamente cometido por um professor, dentro da unidade.

Reprodução

Alunos protestam por suposto abuso cometido por professor em escola pública em Maceió

Segundo os alunos, as três meninas, com idades entre 14 e 15 anos, matriculadas no 1º ano do Ensino Médio, teriam sido tocadas de forma indevida, em suas costas, seios e nádegas pelo professor, dentro da sala de aula. O caso teria sido percebido quando uma das vítimas teve uma crise de choro após o ocorrido e confidenciou o fato para outras amigas.

Depois de saberem o que havia acontecido o corpo estudantil resolveu não se calar e no pátio da própria escola se reúniram para debater e incentivar a denúncia e pedir que o profissional não mais lecionasse no local. Ainda de acordo com os alunos, a atitude não foi bem vista pela direção e coordenação da escola que teria dito que iria “resolver primeiro a situação dos maconheiros” e posteriormente acionaram a Polícia Militar para dispersar os alunos.

O acusado é um professor – que não pode ter a indentidade divulgada devido à Lei de Abuso de Autoridade – que, segundo as próprias estudantes, teria como costume elogiar demasiadamente as meninas e tocá-las de forma incoveniente.

“Eu já passei por situações bem desagradáveis com ele. Uma amiga que até já saiu da escola também me contou que sempre foi assediada, que ele alisava a coxa dela, dando em cima, que não cabe um professor estar falando para uma aluna, ainda mais menor de idade. Desde sempre ele teve esse hábito de ficar com gracinha para aluna”, contou uma das estudantes que participou do ato.

Uma das vítimas relatou ao Alagoas24Horas que ela entrava na sala de aula, quando o professor se aproximou dela, tocou em sua cintura e “escorregou” a mão até suas nádegas. A atitude a pegou de surpresa e a deixou sem reação.

“Ele colocou a mão na minha cintura me colocando para dentro da sala e em seguida desceu a mão até as minhas nádegas. Com outra menina da minha turma, ele colocou a mão no ombro dela e em seguida desceu até os seios. Ele tem a prática de tocar e elogiar as meninas da turma”, contou.

Depois do ato, as três estudantes procuraram uma delegacia especializada, mas não conseguiram registrar o Boletim de Ocorrência pelo fato de serem menores de idade e não estarem acompanhadas de um adulto responsável. Elas pretendem retornar junto com os pais para formalizar a denúncia nesta quarta-feira (04).

A redação do site também tentou contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Educação (Seduc) que informou que está apurando os fatos e que não irá se manifestar ainda.

Fonte: www.alagoas24horas.com.br/1435413/estudantes-acusam-professor-de-assedio-em-escola-publica