Jovem escritor cita próprio livro em Redação do ENEM | Acesso Cultural

O brasiliense e influenciador digital Umberto Mannarino, que possui canal de educação no YouTube com aproximadamente 1 milhão de seguidores, realizou prova do Enem no começo do ano. A curiosidade é que na redação ele citou livro de sua própria autoria, “Das Cinzas de Onira”, lançado no primeiro semestre do ano passado, e alcançou a considerável nota de 980. Ele explica que não foi algo planejado, mas que ao abrir a prova enxergou a oportunidade.

Um dos pontos mais interessantes da redação do ENEM é que a banca exige o uso de repertório sociocultural para a defesa do ponto de vista. O repertório pode ser quase tudo, desde citações filosóficas até referências mais populares, como filmes, livros e séries.

“Sempre brinquei com os meus amigos que seria divertido caso a Redação cobrasse algum tema explorado no meu livro. Então no dia do ENEM, quando abri a prova e vi o tema ‘Estigmas associados a doenças mentais’, eu abri um sorriso enorme, porque ‘Das Cinzas de Onira’ gira em torno justamente desse eixo temático”, explica. “A história foi inspirada em livros e filmes como Alice no País das Maravilhas, O Labirinto do Fauno e A Viagem de Chihiro, que provocam o leitor a se questionar o que é real e o que é fantasia. Ao concluir a leitura de Onira, a dúvida permanece: ‘Será que tudo foi real ou só fruto de uma alucinação da protagonista? Ela tem mesmo uma doença mental?’. Não poderia haver tema melhor para citar o livro”, complementa.

Em 5 anos prestando Enem, Umberto Mannarino obteve neste ano sua melhor nota. “Meu recorde anterior havia sido 814 no ENEM 2018, mas neste ano fiquei com 836,7. Acertei 87 das 90 questões de Exatas, gabaritei a prova de Matemática e alcancei a nota máxima dessa área no Brasil: 975,0”.

A vista pedagógica da Redação do Enem ainda não foi liberada, mas Umberto procurou em seu rascunho e entre muitos rabiscos conseguiu decifrar o parágrafo de introdução (tema: estigmas associados a doenças mentais no Brasil).

“O livro ‘Das Cinzas de Onira’, de Umberto Mannarino, retrata os efeitos nocivos que doenças mentais não tratadas podem ter na vida das pessoas. Na história, Olívia, de 10 anos, sofre com o fato de a família cortar relações com seu pai, portador de esquizofrenia, sob alegações infundadas de que ele poderia fazer mal à própria filha. Apesar de ficcional, o romance entra em sintonia com a nefasta perpetuação do estigma associado a essas enfermidades no Brasil, já que a ausência de diálogo acerca do assunto com a população e o negacionismo de muitos perante o fato ampliam as consequências perversas que os estereótipos infligem na vida de milhões de brasileiros”.

O ano de 2020 foi de muito aprendizado, trabalho e solidariedade para o jovem. “Em 2020 eu trabalhei como nunca. No início do ano, quando pandemia ainda era algo que só se ouvia falar no noticiário, estruturei um curso completo de Matemática, Física, Química e Biologia para o ENEM. As aulas alcançaram um número enorme de pessoas, então me dediquei ainda mais a produzir conteúdo de estratégias, aulas, macetes e tudo que estivesse ao meu alcance para apoiar quem me acompanha nas redes sociais. É muito satisfatório sentir que seu trabalho contribui para a sociedade. Faz todo o esforço valer a pena”, finaliza.

Fotógrafo formado pela Escola de Fotografia Foto Conceito, já cobriu cerca de 2 mil shows nacionais e internacionais, além de eventos exclusivos como coletivas de imprensa e pré-estreias. Também é Executivo de Negócios, Jornalista, Web Design, Criador e editor de conteúdo de redes sociais.

Fonte: acessocultural.com.br/2021/04/jovem-escritor-cita-proprio-livro-em-redacao-do-enem