Prêmio Bibi Ferreira celebra retorno | Acesso Cultural

Créditos: Caio Gallucci

O teatro esteve em festa na noite da última quarta-feira no palco do Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo. Após 1 ano e sete meses de hiato provocado pela pandemia da Covid-19, o Prêmio Bibi Ferreira retornou de forma híbrida e adaptada, com participantes e público presentes em capacidade reduzida, respeitando todos os protocolos de prevenção sanitária. A noite de grandes homenagens celebrou a união da classe e reconheceu os destaques teatrais do segundo semestre de 2019 e início de 2020, até o fechamento dos teatros.

Em mais uma edição apresentada pelos mestres de cerimônia Alessandra Maestrini e Miguel Falabella, o Prêmio contemplou diversas categorias dos profissionais de teatro musical e também teatro de prosa (avaliado desde 2019), além de iniciativas como receber, entre os anfitriões, artistas que estão cartaz ou que estarão, em 2022, como forma de incentivar e ampliar a divulgação de seus trabalhos e a volta dos teatros. Outra iniciativa valorizada foi o Fundo Marlene Colé – de apoio a técnicos e artistas das artes Cênicas.

A iniciativa da APTI – Associação de Produtores Teatrais Independentes -, recebeu a Medalha Arthur Azevedo, que tem como missão reconhecer grandes profissionais, projetos e feitos dentro da Cultura, por amparar os profissionais da classe artística que se viram sem fonte de renda durante o fechamento dos teatros em mais de um ano. A coordenação geral do projeto é de André Acioli, Dani Angelotti, Gabriel Fontes Paiva e do também ator, Odilon Wagner, que estiveram presentes no local.

Créditos: Caio Gallucci

Entre os convidados, estiveram o Prefeito de São Paulo Ricardo Nunes, que abriu oficialmente a cerimônia e saudou a nova Secretária de Cultura de São Paulo, Aline Torres, e toda a classe artística. O Prefeito, que esteve acompanhado da primeira-dama, Regina Carnovale, ainda ressaltou sobre a alegre marca de 100% da primeira dose de vacinação em pessoas acima de 18 anos na capital.

Também na Abertura da cerimônia, o idealizador do Prêmio Bibi Ferreira, Marllos Silva, responsável pela Marcenaria de Cultura, realizadora do evento, discursou emocionado sobre a felicidade do retorno aos palcos e a saudade dos amigos e colegas de trabalho que deixaram a cena no último ano.

“Ah, que saudade de pisar num palco! Saudade de poder abraçar nossos colegas, de poder ficar perto. Mais de 20 meses sendo obrigados a nos vermos apenas pela tela. Justo nós, povo do teatro, que vive do ao vivo, que gosta de olhar para frente e ver o refletor cegando a gente, ouvir a respiração do público, esperar a risada cair para continuar o texto.

Leticia Soares | Créditos: Caio Gallucci

Que tempos foram esses meus amigos, quando tudo foi tirado de nós. Mas a vacina finalmente chegou! Os amigos que nós perdemos infelizmente não voltarão para os palcos e as coxias. Nessa retomada, eles passaram a morar na grande e maravilhosa história do Teatro Brasileiro. E cabe a nós preservar a história desses colegas que não estarão mais do nosso lado”, trouxe o idealizador do Prêmio em sua reflexão de abertura.

Discursos emocionados e homenagens

“O Camareiro”, da TSM Empreendimentos Artísticos, venceu na categoria de “Melhor Peça” na 8ª edição do Prêmio Bibi Ferreira e marcou a noite como um dos grandes momentos de homenagem a Tarcísio Meira, falecido em agosto deste ano. A peça foi o último trabalho de Tarcísio nos palcos e seu reconhecimento na categoria de “Melhor Ator em Peça de Teatro”, junto ao também falecido Sérgio Mamberti, trouxe lágrimas aos presentes. Foi a primeira vez que dois atores venceram o prêmio nesta categoria e uma forma de homenagear a relevante contribuição artística destes grandes nomes da dramaturgia.

O filho de Sérgio Mamberti, Duda Mamberti, subiu ao palco para receber o troféu de seu pai, agradecendo a homenagem e também oferecendo a honra aos outros indicados na categoria. Duda se emocionou ao dizer ao público sobre como é substituir o papel de Sérgio na obra “O Ovo de Ouro”, que rendeu a indicação ao pai, falecido em setembro deste ano, e usou de muita simpatia ao dizer que seu pai está agora intercedendo pela Arte, de onde estiver.

A vencedora na categoria de “Melhor Atriz em Peça de Teatro” foi Irene Ravache, por sua atuação em “A Alma Despejada”. A atriz recebeu das mãos de Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello o troféu. “Eu não conheço nenhum artista que tenha passado pela cabeça em fazer mal a um ser humano. Neste momento, como faz falta um olhar para o outro ser humano e não um deboche”, defendeu a atriz em seu discurso, pedindo mais empatia às autoridades e ao público neste difícil momento atravessado.

Créditos: Caio Gallucci

Entre os musicais, “Escola do Rock”, do Atelier de Cultura, faturou o prêmio de “Melhor Musical”, entre outras quatro estatuetas. Em outro momento emocionante, Mateus Ribeiro recebeu das mãos de seus “pais” no teatro – Claudia Raia e Jarbas Homem de Mello – o troféu de “Melhor Ator em Musical” por sua atuação como o protagonista de “Chaves – Um Tributo Musical”, ganhador de outras quatro categorias, incluindo “Melhor Musical Brasileiro”.

Letícia Soares foi premiada na categoria de “Melhor Atriz em Musical” pelo seu trabalho em “A Cor Púrpura – O Musical”, e reforçou a importância de algumas conquistas femininas em discurso poderoso. Na escolha pelo voto popular, online, “Hadassa – O Musical”, da Cia Nissi, foi o vencedor na categoria apresentada por Fabi Bang e Gottsha. O troféu de Revelação ficou para Nicole Rosemberg, uma das protagonistas de “Zorro, Nasce Uma Lenda”.

Além da entrega dos prêmios, a noite contou com apresentações de números musicais concorrentes, “Escola do Rock”, “Pippin”, “A Cor Púrpura”, “Zorro, Nasce uma Lenda”, “Chaves – Um Tributo Musical”, além de um número inédito e bem humorado de abertura, dirigido por Daniel Salve, e o emocionante In Memoriam, que, ao som da canção “Alabanza”, do musical “In The Heights”, relembrou perdas importantes no cenário artístico, entre atores e atrizes, técnicos, criativos e profissionais de diferentes áreas ligadas ao teatro.

Créditos: Caio Gallucci

A cerimônia está disponível na íntegra no canal do YouTube do Prêmio Bibi Ferreira.

VEJA A LISTA COMPLETA DOS VENCEDORES DO PRÊMIO BIBI FERREIRA 2021

PEÇAS DE TEATRO

MELHOR DESIGNER DE LUZ EM PEÇA DE TEATRO

DOMINGOS QUINTILIANO – O Camareiro HIRAM RAVACHE – A Alma Despejada TULIO PEZZONI – Erêndira – A Incrível e Triste História da Cândida Erêndira e Sua Avó Desalmada

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL EM PEÇA DE TEATRO

ANDREA BASSIT – A Alma Despejada JUCA DE OLIVEIRA – Mãos Limpa LUCAS PAPP – O Ovo de Ouro

MELHOR FIGURINO EM PEÇA DE TEATRO

BETH FILIPECKI E REINALDO MACHADO – O Camareiro CASSIO BRASIL – Erêndira – A Incrível e Triste História da Cândida Erêndira e Sua Avó Desalmada MARCELO PIES – Os Sete Afluentes do Rio Ota

MELHOR CENOGRAFIA EM PEÇA DE TEATRO

ANDRÉ CORTEZ – O Camareiro HELIO EICHBAUER (in memoriam) – Os Sete Afluentes do Rio Ota MARCOS FLAKSMAN – O Inoportuno

MELHOR DIREÇÃO EM PEÇA DE TEATRO

MARCO ANTÔNIO PÂMIO – Jardim de Inverno MONIQUE GRADENBERG – Os Sete Afluentes do Rio Ota ULYSSES CRUZ – O Camareiro

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM PEÇA DE TEATRO

CLAUDIA MELLO – Mãos Limpa KAREN COELHO – O Camareiro MARTA MEOLLA – Jardim de Inverno

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM PEÇA DE TEATRO

IURI SARAIVA – Jardim de Inverno LEONARDO MIGGIORIN – O Ovo de Ouro MARCOS AZEVEDO – O Camareiro MAURICIO DESTRI – Erêndira – A Incrível e Triste História da Cândida Erêndira e Sua Avó Desalmada

MELHOR ATRIZ EM PEÇA DE TEATRO

ANDREIA HORTA – Jardim de Inverno IRENE RAVACHE – A Alma Despejada MARJORIE ESTIANO – Os Sete Afluentes do Rio Ota

MELHOR ATOR EM PEÇA DE TEATRO

CÁSSIO SCAPIN – O Camareiro DANIEL DANTAS – O Inoportuno FABRICIO PIETRO – Jardim de Inverno SERGIO MAMBERTI (in memoriam)– O Ovo de Ouro TARCÍSIO MEIRA – (in memoriam) O Camareiro

MELHOR PEÇA

ALMA DESPEJADA – Oasis Empreendimentos Artísticos Ltda JARDIM DE INVERNO – DCARTE O CAMAREIRO – TSM Empreendimentos Artísticos OS SETE AFLUENTES DO RIO OTA – Dueto Produções

MUSICAIS

MELHOR DESENHO DE SOM EM MUSICAIS

GASTON BIRSKI – Escola do Rock – O Musical TOCKO MICHELAZZO – Lazarus TOCKO MICHELAZZO – Zorro, nasce uma lenda

MELHOR DESENHO DE LUZ EM MUSICAIS

BETO BRUEL – Lazarus MIKE ROBERTSON – Escola do Rock – O Musical ROGÉRIO WILTGEN – A Cor Púrpura – O Musical

MELHOR VERSÃO EM MUSICAIS

ARTUR XEXÉO – A Cor Púrpura – O Musical DANIEL SALVE – Madagascar – Uma Aventura Musical MARIANA ELIZABETSKY E VICTOR MÜLETAHLER – Escola do Rock – O Musical

MELHOR LETRA E MÚSICA ORIGINAL EM MUSICAIS

CAIQUE OLIVEIRA E PAULO OCANHA – Hadassa – O Musical

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL EM MUSICAIS

ELISIO LOPES JR. – Dona Ivone Lara – O Musical FERNANDA MAIA – Chaves – Um Tributo Musical

MELHOR ARRANJO ORIGINAL EM MUSICAIS

FERNANDA MAIA – Chaves – Um Tributo Musical MARIA BERALDO E MARIÁ PORTUGAL – Lazarus NANDO DUARTE – Samba Futebol Clube

MELHOR VISAGISMO EM MUSICAIS

ANDERSON BUENO – Madagascar – Uma Aventura Musical FÁBIO NAMATAME – Chaves – Um Tributo Musical FELICIANO SAN ROMAN – Escola do Rock – O Musical

MELHOR FIGURINO EM MUSICAIS

FAUSE HATEN – Madagascar – Uma Aventura Musical NEY MADEIRA E DANI VIDAL – A Cor Púrpura – O Musical THEODORO COCHRANE – Zorro, nasce uma Lenda

MELHOR CENOGRAFIA EM MUSICAIS

NATALIA LANA – A Cor Púrpura – O Musical DANIELA THOMAS E FELIPE TASSARA – Lazarus

MELHOR COREOGRAFIA EM MUSICAIS

ALONSO BARROS – Pippin BÁRBARA GUERRA E JOHNNY CAMOLESE – Zorro, nasce uma lenda GABRIEL MALO – Chaves – Um Tributo Musical

MELHOR DIREÇÃO MUSICAL EM MUSICAIS

CARLOS BAUZYS – Zorro, nasce uma lenda DANIEL ROCHA – Escola do Rock – O Musical MARIA BERALDO E MARIÁ PORTUGAL – Lazarus MELHOR DIREÇÃO EM MUSICAIS

FELIPE HIRSCH – Lazarus MARIANO DETRY – Escola do Rock ZÉ HENRIQUE DE PAULA – Chaves – Um Tributo Musical

REVELAÇÃO EM MUSICAIS

ELENCO INFANTIL – Escola do Rock – O Musical HADASSA MAZARÃO – Hadassa – O Musical LARISSA NOEL – Dona Ivone Lara – O Musical NICOLE ROSEMBERG – Zorro, nasce uma lenda NICOLAS AHNERT – Isso que é o Amor

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE EM MUSICAIS

ANALU PIMENTA – A Cor Púrpura – O Musical CAROL COSTA – Chaves – Um Tributo Musical ISABEL FILLARDIS – Dona Ivone Lara – O Musical MIRA HAAR – Pippin THAIS PIZA – Escola do Rock – O Musical

MELHOR ATOR COADJUVANTE EM MUSICAIS

ALAN ROCHA – A Cor Púrpura – O Musical DIEGO VELLOSO – Chaves – Um Tributo Musical LUCAS CÂNDIDO – Madagascar – Uma Aventura Musical SÉRGIO MENEZES – A Cor Púrpura – O Musical

MELHOR ATRIZ EM MUSICAIS

FERNANDA JACOB – Dona Ivone Lara – O Musical LETÍCIA SOARES – A Cor Púrpura – O Musical NICOLE ROSEMBERG – Zorro, nasce uma lenda TOTIA MEIRELES – Pippin

MELHOR ATOR EM MUSICAIS

ARTHUR BERGES – Escola do Rock – O Musical JESUÍTA BARBOSA – Lazarus JOÃO FELIPE SALDANHA – Pippin MATEUS RIBEIRO – Chaves – Um Tributo Musical MAURÍCIO XAVIER – Madagascar – Uma Aventura Musical

MELHOR MUSICAL BRASILEIRO

CHAVES – UM TRIBUTO MUSICAL – Del Claro Produções DONA IVONE LARA – O MUSICAL – Fato Produções Artísticas HADASSA – Cia Nissi SAMBA FUTEBOL CLUBE – Coisas Nossas Produções Artísticas e Tema Eventos Culturais

MELHOR MUSICAL

A COR PÚRPURA – O MUSICAL – Estamos Aqui Produções CHAVES – UM TRIBUTO MUSICAL – Del Claro Produções ESCOLA DO ROCK – O MUSICAL – Atelier de Cultura LAZARUS – Dueto Produções PIPPIN – Möeller & Botelho ZORRO, NASCE UMA LENDA – Atual Produções e Bárbaro Produções

MELHOR MUSICAL (VOTO POPULAR)

Hadassa – O Musical

MEDALHA ARTHUR AZEVEDO

Fundo Marlene Colé – Associação de Produtores Teatrais Independentes (APTI)

Apaixonada pelas artes em geral, ama registrar cada instante, seja no trabalho ou durante viagens. Já realizou entrevistas com artistas nacionais e internacionais para o Acesso Cultural. Adora conhecer novos lugares e culturas, tendo viajado por 14 países entre o continente europeu, africano e americano.

Fonte: acessocultural.com.br/2021/10/premio-bibi-ferreira-celebra-retorno-aos-palcos-em-2021