Fiesp apoiará qualquer ato pela democracia – Hora do Povo

Josué Gomes da Silva, presidente da Fiesp. Foto: Karim Kahn/Fiesp

Entidade apoia Carta aos Brasileiros e estará presente no ato no dia 11 de agosto na manifestação que reunirá empresários, banqueiros, juristas, trabalhadores, estudantes, acadêmicos, políticos, advogados, jornalistas, economistas, cientistas e artistas em defesa da democracia, das eleições e contra o golpe

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) afirmou na terça-feira (26) que irá apoiar qualquer ato em favor da Democracia. A organização confirmou sua participação no ato que será realizado na Faculdade de Direito da USP no dia 11 de agosto em defesa da Democracia e do sistema eleitoral brasileiro.

No ato, será lido o manifesto “Carta aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito”, que conta com mais de 100 mil assinaturas em 48 horas, entre juristas, empresários, banqueiros, trabalhadores, cientistas, estudantes e personalidades do mundo cultural e social.

O presidente da Fiesp, Josué Gomes da Silva, levou a proposta da adesão do ato à diretoria da entidade na segunda-feira (25), que foi acatada sob aplausos, segundo informou sua assessoria. O texto da Carta afirma que o país passa por “um momento de imenso perigo para a normalidade democrática, risco às instituições da República e insinuações de desacato ao resultado das eleições”.

“Clamamos as brasileiras e brasileiros a ficarem alertas na defesa da democracia e do respeito ao resultado das eleições. No Brasil atual não há espaço para retrocessos autoritários. Ditadura e tortura pertencem ao passado. A solução dos imensos desafios da sociedade brasileira passa necessariamente pelo respeito ao resultado das eleições”, diz o documento.

Entre os signatários do carta há personalidades do mundo empresarial e financeiro como: Candido Botelho Bracher (ex-presidente do Banco Central), Roberto Setubal e Pedro Moreira Salles (copresidentes do conselho de administração do Itaú Unibanco), Cândido Bracher (ex-presidente do Itaú Unibanco), Pedro Passos (Natura), Walter Schalka (Suzano), Luiz Fernando Figueiredo (Mauá), Luis Stuhlberger (Verde), Rodrigo Rocha Azevedo (Ibiúna), Demóstenes Madureira de Pinho Neto (BWGI), Claudio Haddad (Insper), Luis Terepins (Even), Amarílio Macedo (J.Macedo), José Olympio Pereira (ex-presidente do Credit Suisse no Brasil), e José Guimarães Monforte (ex-presidente do Insper).

A Fiesp diz que está contribuindo na construção de um segundo texto que também defende o sistema democrático e o processo eleitoral, que está sendo preparado por entidades, sindicatos e associações empresariais. Este documento será lançado também no dia 11 de agosto, às 10h, no Salão Nobre da Faculdade de Direito da USP. A Fiesp pretende publicar nos jornais o manifesto com as assinaturas de adesão dos seus associados.

EM DEFESA DA DEMOCRACIA E DA JUSTIÇA

Nesta quarta-feira, a Febraban divulgou nota, apoiando o manifesto encaminhado pela Fiesp: “A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), no âmbito de sua governança interna, por maioria, deliberou por subscrever documento encaminhado à entidade pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), intitulado ‘Em Defesa da Democracia e da Justiça’”.

As manifestações são uma reação às frequentes agressões de Bolsonaro à Democracia e ao processo eleitoral brasileiro. Na semana passada (18), Bolsonaro envergonhou o país todo, ao fazer acusações, sem apresentar provas, contra o sistema eleitoral brasileiro, além de ataques a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em reunião com embaixadores. As embaixadas e a imprensa internacional não endossaram as mentiras de Bolsonaro destacando a confiabilidade e transparência do sistema eleitoral brasileiro.

Também assinam a “Carta aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito” os economistas Maria Sílvia Bastos, Luciano Coutinho, Affonso Celso Pastore, Armínio Fraga, Edmar Bacha, Elena Landau, Jose Roberto Afonso, Jose Roberto Afonso, Ana Carla Abrão, Bernard Appy, Fabio Giambiagi, Jose Roberto Mendonça de Barros, Luiz Gonzaga Beluzzo e Mário Theodoro.

Fonte: horadopovo.com.br/fiesp-diz-que-apoiara-qualquer-ato-em-defesa-da-democracia