Advogada comenta batalha judicial entre Luisa Mell e ex-marido

A advogada Marina Ruzzi, da Rede Feminista de Juristas, comentou a batalha judicial protagonizada por Luisa Mell e seu ex-marido, o empresário Gilberto Zaborowsky.

Em participação no UOL News Tarde, ela afirmou que “a relação entre advogado e cliente é pautada pela confiança” ao falar sobre demissão do advogado de Luisa, Angelo Carbone, que havia pedido a prisão do empresário.

O que a gente está discutindo nesse pedido de prisão ou não é basicamente o descumprimento da medida protetiva. Ela tinha uma medida protetiva deferida e, pelo o que foi divulgado, houve o descumprimento. O que está previsto na Lei Maria da Penha é a possibilidade de prisão preventiva. Essa não é a única medida. […] O que eu destacaria nessa situação é que a relação entre advogado e cliente é pautada pela confiança, é muito importante que a gente converse e deixe claro para as clientes quais são as consequências possíveis das eventuais ações. Se a pessoa não está a par das consequências, inclusive pessoais, como a parentalidade que eles compartilham, se de alguma forma a pessoa não se sente confortável, a única medida possível é destituir. considerou Marina

No último sábado (09), Luisa fez um desabafo sobre violência contra as mulheres em suas redes sociais e acusou o ex-marido de querer destruir sua reputação — mas disse que não irá desistir de “lutar”.

Sobre isso, a advogada ainda explicou que comprovar uma violência psicológica costuma ser mais difícil.

Normalmente, que tipos de provas a gente leva em consideração: se são ataques constantes, como troca de mensagens, ou se a pessoa fez isso na presença de outros. Essa é uma prova necessária. E uma prova imprescindível seria passar por uma perícia que atestaria que de alguma forma essa conduta reiterada causou um dano, e isso é super complicado. Diferentemente de uma lesão corporal, quando a gente fala de uma violência ou dano psicológico, a gente entende que é muito difícil identificar um ponto que causou um trauma. É um crime novo, é difícil, e o movimento de mulheres tem algumas críticas a ele. afirmou

Apresentadora pediu medida protetiva contra o ex-marido

A tensão entre Luisa Mell e Gilberto Zaborowsky escalou na última semana, quando a apresentadora pediu uma medida protetiva de urgência contra o ex-marido, com quem ficou casada 10 anos.

O UOL teve acesso ao documento que tramita em segredo de Justiça no TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo). Luisa pede que Gilberto mantenha uma distância mínima de 500 metros e o proíbe de entrar em locais frequentados pela apresentadora.

Violência médica

A primeira vez que Luisa mencionou a situação envolvendo o ex-marido foi em 19 de julho, quando confirmou que estava se separando de Zaborowsky e disse ter sido vítima de uma violência médica em dezembro de 2020.

Ela contou que seu dermatologista havia recomendado um laser para seu corpo, já que a apresentadora “não gostava de colocar nada para não ficar artificial”. Mas o profissional aproveitou a presença de um anestesista para realizar uma lipoaspiração em suas axilas, sem autorização, afirmou ela em entrevista ao site “Na Telinha”.

A batalha judicial inclui dúvidas sobre a possível participação do ex na cirurgia. Marina Ruzzi disse que, se comprovado, essa seria uma “clara violência de gênero.”

Esse episódio é terrível. Se for confirmado, como ela denunciou, realmente a gente estaria diante de uma clara violência de gênero. De alguma forma, estaria claro que o corpo e o consentimento dela estariam a serviço desse marido. A gente estaria falando de um crime de lesão corporal numa modalidade até mais grave. disse

Agora, Luisa deve escolher outro defensor para cuidar do processo, que é complexo e envolve acusações mútuas, como relatou o colunista Ricardo Feltrin.

Fonte: tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2021/10/13/advogada-comenta-batalha-judicial-entre-luisa-mell-e-ex-marido.htm