Bruno fala à Frente Ampla por Direitos Humanos e repudia crime racial de POA

Foto: reprodução

“Inaceitáveis, injustificável e repugnantes as cenas de violência em Porto Alegre. É inegável o racismo”, denunciou o prefeito de São Paulo

Uma live realizada nesta sexta-feira (20), Dia da Consciência Negra, reuniu, por iniciativa do Partido Cidadania, lideranças de vários partidos para discutir os direitos humanos. Com a presença do prefeito Bruno Covas (PSDB), que manifestou indignação pelo brutal assassinato de João Alberto Freitas, um homem negro de 40 anos, morto próximo ao estacionamento do Supermercado Carrefour em Porto Alegre.

“Neste dia da consciência negra em que a gente viu aquelas cenas horrorosas lá em Porto Alegre. Vimos aquilo com muita tristeza. Isso mostra a presença do racismo estrutural, mostra a presença de um tema que precisa estar cada vez mais presente na pauta”, disse o prefeito.

“São inaceitáveis, injustificável e repugnantes as cenas de violência em Porto Alegre. É inegável o racismo”, reforçou o que ele já tinha dito em suas redes sociais. “Vivemos num país onde o negros não têm as mesmas oportunidades que os brancos”, protestou.

Covas destacou ainda que “a pandemia do coronavírus jogou ainda mais luz sobre a desigualdade racial”. “A população preta e parda foi mais afetada do que a população branca”, destacou, lembrando as medidas antirracistas de seu governo.

Assista aqui ao vídeo da Frente Ampla por Direitos Humanos em SP

imagem21-11-2020-06-11-10

Estavam presentes ao encontro, conduzido por Malu Molina, do Cidadania, a vereadora eleita pelo Partido Novo, Cris Monteiro, ativista do setor de educação, o ex-vereador Caio Miranda, do DEM, o advogado e candidato a vereador pelo PSB, Gabriel Oliveira, membro da Educafro, Aline Torres, ativista de movimentos culturais e candidata a vereadora pelo MDB e Ewerton Carvalho, advogado e ativista ligado aos movimentos hip hop e candidato a vereador pelo Podemos.

Todos se solidarizaram com os familiares de João Alberto e protestaram contra o brutal assassinato.

Ainda em relação à data da Consciência Negra, Bruno Covas lembrou que foi aprovada pela Câmara Municipal uma proposta do governo de batizar os 12 CEUs que serão inaugurados na próxima gestão com nomes de personalidades negras da história brasileira, entre eles a escritora Carolina de Jesus e o cantor Luiz Melodia.

Foi realizada em seguida uma rodada onde os presentes apresentaram suas visões sobre os problemas de direitos humanos e combate ao racismo. Diversas propostas foram apresentadas, como o cumprimento de cotas raciais na adminsitração da Prefeitura, o combate à violência policial contra os negros nas periferias da cidade, a criação de espaços culturais nas periferias, a valorização do trabalho das mulheres e o combate à violência doméstica.

Bruno fechou o encontro respondendo e comentando as propostas apresentadas sobre direitos humanos e se comprometendo com várias delas.

Fonte: horadopovo.com.br/bruno-fala-a-frente-ampla-por-direitos-humanos-em-sp-e-repudia-crime-racial-de-poa