Em campanha na TV, sindicato denuncia prejuízos da privatização dos Correios – Hora do Povo

Foto: Reprodução

O Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos de São Paulo (SINTEC-SP) iniciou, nesta segunda-feira (23), uma campanha contra a privatização da empresa com inserções no horário comercial da TV Bandeirantes.

No vídeo, o presidente do Sintect, Elias Diviza, defende o papel essencial da empresa para o Brasil e para seu povo e convoca a população para defender os Correios junto com os trabalhadores ecetistas.

“Defenda os Correios Juntos com seus funcionários. É um bem com mais de 300 anos de bons serviços prestados ao país, construído com o dinheiro do povo. Não vamos deixar que o governo privatize a maior e essencial estatal brasileira, prejudicando a nação e a população”, diz Diviza.

Diviza denuncia os prejuízos da privatização, caso o PL 591 (que trata da questão) seja aprovado, como, por exemplo, o aumento dos preços para o Estado na distribuição de vacinas e provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). “O PL591 vai jogar a conta do aumento das tarifas no bolso da população, haverá demissão em massa de trabalhadores, piorando o desemprego no país”, denuncia Diviza.

“Se for privatizado, os Correios serão desmontados e destruídos. O serviço, com um preço acessível para o povo, para os pequenos e médios negócios, vai acabar. A distribuição de medicamentos, livros didáticos, provas do ENEM e até de vacinas será feita por preços absurdos e sem a segurança que os Correios estatais garantem”.

Sintetizada na palavra de ordem “Correios. O que é essencial para o povo não se vende!”, as inserções, que ocorrerão entre os dias 23 de agosto até 17 de setembro, têm como objetivo conclamar o conjunto da população para combater a tentativa do governo Bolsonaro de privatizar a empresa e desmentir as falácias propagadas pelo ministro Fábio Farias em pronunciamento em rede nacional no último período.

Veja abaixo o vídeo da campanha:

Fonte: horadopovo.com.br/em-campanha-na-tv-sindicato-denuncia-prejuizos-da-privatizacao-dos-correios