Petrobrás reabre plano de demissão sem reposição de quadro, denunciam petroleiros

Foto: Divulgação

A Petrobrás reabriu um Programa de Demissão Voluntária (PDV), de 2019, que havia se encerrado há 6 meses. O programa de desligamento se dá em meio a denúncias de entidades de trabalhadores de que unidades do Sistema Petrobrás estão operando com efetivos abaixo do estipulado e de comprometimento na segurança e qualidade do trabalho. 

O PDV é destinado a funcionários que recebem aposentadoria pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e cujo início do benefício tenha sido até 12 de novembro de 2019.

“Contradizendo os próprios estudos, a realidade da companhia é de falta de um quadro efetivo com o número mínimo de trabalhadores para que seja garantida a segurança dos funcionários, da comunidade em torno às unidades e da própria empresa, algo já denunciado pelos trabalhadores do Sistema Petrobras”, afirma a Federação Única dos Petroleiros (FUP).

No ano passado, 22% dos trabalhadores aderiram ao PDV, o que corresponde a mais de 10 mil funcionários, que em sua maioria já se desligaram da empresa.

“Por conta do concurso público, os funcionários não podem ser demitidos, por isso a Petrobrás utiliza alternativas para desligamentos e busca reduzir o efetivo com aposentadorias e programas de desligamento, enquanto tenta sanar a falta de trabalhadores, de maneira falha, com alternativas como o Mobiliza”, afirmou Gustavo Marsaioli, do Sindicato Unificado dos Petroleiros de São Paulo.

O “Mobiliza Contínuo” é um plano de carreiras e remuneração da empresa, que promove mudanças de função ou transferência de unidades, que vem sendo criticado pelas entidades e pelos trabalhadores por falta de transparência e por não qualificar os funcionários adequadamente e em tempo hábil.

Fonte: horadopovo.com.br/petrobras-reabre-plano-de-demissao-sem-reposicao-de-quadro-denunciam-petroleiros