Hungria quis ‘mostrar apoio’, não sugerir interferência na eleição do Brasil, diz ministério

Foto: Bernadett Szabo/Reuters/Folhapress O presidente Jair Bolsonaro durante declaração conjunta com o premiê da Hungria, Viktor Orbán, em Budapeste 28 de julho de 2022 | 13:16

Hungria quis ‘mostrar apoio’, não sugerir interferência na eleição do Brasil, diz ministério

mundo

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos afirmou nesta quinta (28) que o chanceler da Hungria, Péter Szijjártó, quis “prestar apoio público” à gestão de Jair Bolsonaro (PL) e que sua oferta de ajuda para a reeleição do presidente não ocorreu no sentido de interferir “no processo eleitoral brasileiro”.

Na quarta (27), a . Segundo relato da reunião, registrado em documento interno pela própria ministra, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comércio do país europeu afirmou ter solicitado o encontro porque os países compartilham a mesma visão sobre família.

“Em segundo lugar, devido ao interesse em saber mais do cenário eleitoral. Ele questionou se haveria algo que o governo húngaro poderia fazer para ajudar na reeleição do presidente Bolsonaro”, escreveu ela.

Procurada antes da publicação da reportagem, a pasta da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos não respondeu aos questionamentos. Nesta quinta, o ministério divulgou a nota, na qual diz que Cristiane “manteve diálogo republicano e cordial com o ministro húngaro Peter Szijjarto”.

“A interpretação de uma mensagem de apoio e simpatia entre autoridades proferida em reunião pública e oficial como uma tentativa de interferência no processo eleitoral brasileiro extrapola todos os limites da razoabilidade”, afirma o comunicado. “A ministra e toda a comitiva entenderam que o posicionamento do representante húngaro ocorreu em demonstração de apreço, no sentido de prestar apoio público a esta gestão, e nunca de interferência daquele país no processo eleitoral brasileiro”.

Lucas Marchesini/Folhapress

Fonte: politicalivre.com.br/2022/07/hungria-quis-mostrar-apoio-nao-sugerir-interferencia-na-eleicao-do-brasil-diz-ministerio