Inflação em abril é a mais alta dos últimos 26 anos e acumula 12,13% em 12 meses – Hora do Povo

Foto: HP

Disparada na inflação no governo Bolsonaro é puxada pelo alta dos combustíveis e dos alimentos

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), inflação oficial do país, saltou para 12,13% no acumulado em 12 meses até abril, segundo divulgou nesta quarta-feira (11) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Puxad pela alta dos combustíveis com preços dolarizados, a inflação avançou 1,06% em abril – maior variação para o mês desde 1996, ou seja em 26 anos. No ano, o IPCA acumula alta de 4,29%.

Na passagem de março para abril, os grupos Alimentação e bebidas (alta de 2,06%) e Transportes (alta de 1,91%) contribuíram com cerca de 80% do IPCA de abril. Além deles, houve aceleração em Saúde e cuidados pessoais (1,77%) e Artigos de residência (1,53%). O único grupo em queda foi Habitação (-1,14%). Os demais ficaram entre 0,06% (Educação) e 1,26% (Vestuário).

“Alimentos e transportes, que já haviam subido no mês anterior, continuaram em alta em abril. Em alimentos e bebidas, a alta foi puxada pela elevação dos preços dos alimentos para consumo no domicílio (2,59%). Houve alta de mais de 10% no leite longa vida, maior contribuição (0,07 p.p.), e em componentes importantes da cesta do consumidor como a batata-inglesa (18,28%), o tomate (10,18%), o óleo de soja (8,24%), o pão francês (4,52%) e as carnes (1,02%)”, elenca o analista da pesquisa, André Almeida.

No grupo Transportes, “a gasolina é o subitem com maior peso no IPCA (6,71%), mas os outros combustíveis também subiram. O etanol subiu 8,44%, o óleo diesel, 4,74% e a ainda houve uma alta de 0,24% no gás veicular”, acrescenta Almeida. Também houve altas no mês no gás de botijão (3,32%) e no gás encanado (1,38%).

Com os sucessivos aumentos nos preços dos combustíveis, que são administrados pelo governo federal, os alimentos e demais serviços que dependem do transporte vão ficando cada vez mais caros para os brasileiros – que não têm ganhos reais em seus salários há anos.

Em 12 meses, os preços dos combustíveis (33,24%) acumulam altas superior ao índice geral:

• Óleo diesel (53,58%)

• Gás veicular (45,18%)

 Etanol (42,11%)

• Gás encanado (35,21%)

 Gás de botijão (32,34%)

• Gasolina (31,22%)

Veja a seguir as principais altas nos preços dos alimentos:

imagem13-05-2022-19-05-23
imagem13-05-2022-19-05-23
IBGE

Fonte: horadopovo.com.br/inflacao-em-abril-e-a-mais-alta-dos-ultimos-26-anos-e-acumula-1213-em-12-meses