Xi defende harmonia entre ser humano e natureza em cúpula da ONU pela biodiversidade – Hora do Povo

“Quando a humanidade é amiga da natureza e a protege, a natureza a recompensa generosamente; quando a explora brutalmente, a natureza retorna punições impiedosas”, afirma Xi (Xinhua)

“Os seres humanos e a natureza devem coexistir em harmonia. Quando a humanidade é amiga da natureza e a protege, a natureza a recompensa generosamente; quando a explora brutalmente, a natureza retorna punições impiedosas. Portanto, é necessário que veneremos, respeitemos, adaptemos e protejamos a natureza, para construirmos uma casa de convivência harmoniosa entre o homem e a natureza”, disse o presidente da China, Xi Jinping, no dia 12 de outubro, em discurso de abertura da cúpula dos líderes da 15ª reunião da Conferência das Partes (COP15) da Convenção da ONU sobre Diversidade Biológica, realizada na cidade de Kunming.

O líder chinês assinalou que “devemos trabalhar juntos para iniciar uma nova marcha em direção ao desenvolvimento de alta qualidade da humanidade” e frisou que “devemos promover a equidade e a justiça sociais, com foco no bem-estar do povo. Tendo sempre em mente a aspiração das pessoas por uma vida melhor, devemos nos esforçar para alcançar resultados benéficos para todos em áreas como a proteção ambiental, o desenvolvimento econômico, a criação de empregos e a erradicação da pobreza, para que os povos do mundo se sintam mais beneficiados, felizes e seguros”.

E, neste sentido, anunciou que “a China estabelecerá o Fundo de Biodiversidade de Kunming e assumirá a liderança no investimento de 1,5 bilhão de yuans  (aproximadamente 1,287 bilhão de reais) neste fundo, a fim de apoiar a conservação da biodiversidade nos países em desenvolvimento. A China chama e dá as boas-vindas às várias partes para que contribuam para o Fundo”.

Xi Jinping concluiu seu pronunciamento afirmando: “Se respeitarmos a natureza, ela não nos decepcionará. A civilização ecológica representa a tendência de desenvolvimento das civilizações humanas. Que possamos trabalhar de mãos dadas, guiados pela concepção de uma civilização ecológica e assumindo nossas responsabilidades para com as gerações futuras, para construirmos juntos uma comunidade de toda a vida na Terra e um mundo limpo e bonito!”

O texto completo é o seguinte:

Estimados colegas,

Senhoras e senhores, amigos:

Boa tarde.

Tenho o prazer de reunir-me com vocês virtualmente em Kunming por ocasião da 15ª Reunião da Conferência das Partes (COP15) da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB). Em nome do Governo e do povo chinês, e no meu próprio, gostaria de lhes dar as mais calorosas boas-vindas.

Como diz um antigo provérbio chinês: “Todas as coisas nascem da harmonia da natureza, e cada uma tem sua própria maneira de se nutrir da natureza e crescer.” A biodiversidade torna a Terra cheia de vigor e constitui a base da subsistência e do desenvolvimento dos seres humanos. A conservação da biodiversidade contribui para a proteção da Terra, nosso lar comum, e para a promoção do desenvolvimento sustentável da humanidade.

Sob o lema “Civilização Ecológica: Construindo um Futuro Compartilhado para Toda a Vida na Terra”, a COP15 de Kunming se desenvolverá para promover o estabelecimento de uma estrutura global para a diversidade biológica pós-2020 e o estabelecimento de objetivos e caminhos para a proteção global da biodiversidade no futuro, razão pela qual tem um significado relevante. Para tanto, a comunidade internacional deve fortalecer a cooperação e unir vontades e esforços, com vistas à construção conjunta de uma comunidade de toda a vida na Terra.

Os seres humanos e a natureza devem coexistir em harmonia. Quando a humanidade é amiga da natureza e a protege, a natureza a recompensa generosamente; quando a explora brutalmente, a natureza retorna punições impiedosas. Portanto, é necessário que veneremos, respeitemos, adaptemos e protejamos a natureza, para construirmos uma casa de convivência harmoniosa entre o homem e a natureza.

As águas cristalinas e as montanhas verdes são tão valiosas quanto montanhas de ouro e prata. Um bom ambiente ecológico, além de ser uma riqueza natural, é também uma fortuna econômica, que diz respeito ao potencial e ao posterior vigor do desenvolvimento socioeconômico. Devemos acelerar a formação de uma modalidade de desenvolvimento verde e alcançar o duplo triunfo no desenvolvimento econômico e na proteção ambiental, construindo assim um lar de avanço paralelo entre a economia e o meio ambiente.

A pandemia de COVID-19 ofuscou o desenvolvimento global, o que nos colocou maiores desafios para a implementação da Agenda 2030 das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável. Diante da dupla tarefa de recuperar a economia e proteger o meio ambiente, os países em desenvolvimento precisamos ainda de mais ajuda e apoio. Neste sentido, devemos fortalecer a solidariedade e superar juntos as dificuldades conjunturais, para que as conquistas do desenvolvimento e um ambiente ecológico saudável beneficiem todos os povos de forma mais ampla e igualitária, construindo assim uma casa para o desenvolvimento comum de todos os países.

Estamos vivendo em uma era cheia de desafios, mas também de esperanças. Enquanto prosseguirmos com perseverança, um futuro promissor nos esperará. Para o bem de nosso futuro comum, devemos trabalhar juntos para iniciar uma nova marcha em direção ao desenvolvimento de alta qualidade da humanidade.

Em primeiro lugar, temos que coordenar a relação entre os seres humanos e a natureza, nos guiando pela construção da civilização ecológica. É necessário abordar bem as contradições trazidas pela civilização industrial, manter as atividades humanas dentro dos limites da capacidade de resistência do ambiente ecológico e materializar a proteção abrangente e a governança sistemática de montanhas, rios, florestas, fazendas, lagos, prados e desertos.

Segundo, devemos contribuir para o desenvolvimento sustentável global, nos valendo da transição verde. Precisamos construir um sistema de economia verde, circular e de baixo carbono e transformar os benefícios ecológicos em benefícios de desenvolvimento, para que as águas cristalinas e as montanhas verdes gerem enormes benefícios. Depende de nós fortalecermos a cooperação verde internacional e compartilhar os frutos do desenvolvimento verde entre todos os países.

Terceiro, devemos promover a equidade e a justiça sociais, com foco no bem-estar do povo. Tendo sempre em mente a aspiração das pessoas por uma vida melhor, devemos nos esforçar para alcançar resultados benéficos para todos em áreas como a proteção ambiental, o desenvolvimento econômico, a criação de empregos e a erradicação da pobreza, para que os povos do mundo se sintam mais beneficiados, felizes e seguros.

Quarto, devemos defender o sistema de governança internacional justo e razoável, baseado no direito internacional. Devemos praticar o verdadeiro multilateralismo, cumprir e implementar efetivamente as regras internacionais, sem a adoção seletiva das mesmas de acordo com a conveniência. Ao definir novas metas de proteção ambiental, precisamos ser tão ambiciosos quanto pragmáticos e equilibrados, para que o sistema global de governança ambiental seja mais equitativo e razoável.

Estimados colegas,

A China conquistou notáveis ​​realizações na construção de uma civilização ecológica. A história recente de um grupo de elefantes viajando para o norte de Yunnan e retornando ao seu habitat é um exemplo claro dos resultados da proteção de animais selvagens na China. A China continuará avançando na construção da civilização ecológica e, invariavelmente, implementará a nova concepção de desenvolvimento inovador, coordenado, verde, aberto e compartilhado, para construir uma bela China.

Neste sentido, gostaria de anunciar que a China estabelecerá o Fundo de Biodiversidade de Kunming e assumirá a liderança com um investimento de 1,5 bilhão de yuans (aproximadamente 1,287 bilhão de reais) neste fundo, a fim de apoiar a conservação da biodiversidade nos países em desenvolvimento. A China chama e dá as boas-vindas às várias partes para que contribuam para o Fundo.

Para fortalecer a proteção da biodiversidade, a China está acelerando a construção do sistema de áreas protegidas que consiste principalmente de parques nacionais, e está gradualmente integrando ao sistema de parques nacionais as áreas mais importantes do ecossistema natural, as paisagens naturais mais peculiares, os patrimônios naturais mais valiosos e biodiversidade mais concentrada.

A China já estabeleceu oficialmente seu primeiro grupo de parques nacionais, incluindo o das Cabeceiras dos Três Rios, o de Ursos Panda, o de Tigres e Leopardos do Nordeste da China, o da Floresta Hainan e Wuyishan, os quais representam uma área protegida de 230 mil quilômetros quadrados que cobrem cerca de 30% das espécies terrestres de flora e fauna de proteção prioritária do país. Ao mesmo tempo, foi iniciada a construção de um sistema de jardins botânicos em cidades como Pequim e Guangzhou, de acordo com o princípio de coordenar a conservação in situ e ex situ [in situ-no local, no habitat natural das espécies; ex-situ, em parques, zoológicos, centros biológicos, portanto em locais diversos do habitat].

Para cumprir com os principais objetivos em relação às emissões de CO2 e neutralidade de carbono, a China lançará sucessivamente planos executivos para a materialização do limite máximo de emissões de CO2 nas áreas e setores-chave, bem como uma série de medidas de apoio e garantia, a fim de estabelecer o esquema de política “1 + N” [de um para muitos] com esses objetivos. A China continuará promovendo readequações de sua estrutura industrial e matriz energética, redobrando esforços para desenvolver energias renováveis ​​e acelerando o planejamento e a construção de grandes bases de energia eólica e fotovoltaica em desertos arenosos, desertos rochosos e áreas desertificadas. A construção dos primeiros projetos com uma capacidade instalada de aproximadamente 100 milhões de quilowatts foi iniciada de forma ordenada.

Estimados colegas,

Se respeitarmos a natureza, ela não nos decepcionará. A civilização ecológica representa a tendência de desenvolvimento das civilizações humanas. Que possamos trabalhar de mãos dadas, guiados pela concepção de uma civilização ecológica e assumindo nossas responsabilidades para com as gerações futuras, para construirmos juntos uma comunidade de toda a vida na Terra e um mundo limpo e bonito!

Veja o vídeo com trechos centrais do pronunciamento de Xi Jinping e seleção de imagens correspondentes:

Fonte: horadopovo.com.br/xi-defende-harmonia-entre-ser-humano-e-natureza-em-cupula-da-onu-pela-biodiversidade