Compra de seringas está suspensa até preços voltarem ao normal, afirma Bolsonaro

O presidente da república, Jair Bolsonaro (sem partido), disse nesta quarta-feira, às 07h53, em sua rede social digital Facebook, que o Ministério da Saúde está suspendendo a compra de seringas até que os preços voltem ao considerado normal.

“Como houve interesse do Ministério da Saúde em adquirir seringas para seu estoque regulador, os preços dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade”.

Jair Bolsonaro – Presidente do Brasil

O presidente afirmou que até o momento os municípios ainda possuem estoque de material que seria suficiente para essa primeira demanda da fase 1 da vacinação, pois a quantidade de vacinas nesse primeiro momento não seria grande.

“Estados e municípios têm estoques de seringas para o início das vacinações, já que a quantidade de vacinas num primeiro momento não é grande”, afirmou Bolsonaro.

imagem06-01-2021-13-01-42Reprodução

O governador Flávio Dino, utilizou seu perfil oficial no Twitter para criticar a decisão, segundo Dino, a decisão foi errada e o meio para adquirir as seringas seria “usar o poder de requisição administrativa”.

Decisão mais uma vez errada. O correto é usar o poder de requisição administrativa. Está na Constituição. E seria o caso de aplicar a Lei Delegada 4. Mas esta foi equivocadamente revogada em 2019 pela tal Lei da Liberdade Econômica https://t.co/DjKpNSvIWL

— Flávio Dino 🇧🇷 (@FlavioDino) January 6, 2021

Na última semana, o Ministério da Saúde já havia fracassado em uma tentativa de comprar seringas e agulhas que seriam referentes as imunização. O ministério só conseguiu comprar 7,9 milhões de unidades, quando pretendia comprar 331 milhões.

Fonte: oimparcial.com.br/politica/2021/01/compra-de-seringas-esta-suspensa-ate-precos-voltarem-ao-normal-afirma-bolsonaro