“É necessário enfrentar o bolsonarismo dentro das forças policiais”, diz Liana Cirne Lins

Em entrevista ao Bom Dia 247, a vereadora, vítima de um jato de spray de pimenta no rosto ao dialogar com a PMs, cobrou do governador Paulo Câmara a criação de um protocolo rigoroso da polícia em manifestações. “E é necessário enfrentar o bolsonarismo dentro das forças policiais. Isso é urgente”, afirmou.

A vereadora do Recife Liana Cirne Lins (PT-PE) falou neste domingo (30), ao Bom Dia 247, sobre a agressão que sofreu da Polícia Militar de Pernambuco durante a forte repressão às manifestações contra Jair Bolsonaro que ocorreram em 227 cidades do Brasil e do exterior. 

Vítima de um jato de spray de pimenta no rosto ao tentar dialogar com policiais militares, a líder do PT na Câmara Municipal do Recife defendeu que é preciso enfrentar o bolsonarismo dentro das corporações militares do País. 

“O governador de Pernambuco já se pronunciou, o que é positivo, mas é preciso ir além. É necessário estabelecer um protocolo rigoroso da polícia em ações como essa, e é necessário enfrentar o bolsonarismo dentro das forças policiais. Isso é urgente”, afirmou Liana. 

Durante a repressão da PM, o trabalhador autônomo Daniel Campelo da Silva, 51 anos,  perdeu o olho esquerdo neste, após ser alvejado por uma bala de borracha disparada por um policial do Batalhão de Choque da Polícia Militar de Pernambuco.

Atos ‘Fora Bolsonaro’ mobilizaram 400 mil pessoas

Em entrevista ao programa Boa Noite 247, da TV 247, o coordenador da Central dos Movimentos Populares (CMP), Raimundo Bonfim, afirmou que a estimativa é que os atos mobilizaram 400 mil pessoas presencialmente

Segundo dados da CMP, que foi uma das entidades que organizaram as manifestações, os atos presenciais aconteceram em 213 cidades no Brasil e outras 14 cidades em diversos países do exterior, reunindo ao todo cerca de 420 mil pessoas. 

Brasil 247 – Foto: Nando Motta | Reprodução