Guru das fake news de Trump mente sobre as eleições no Brasil e PF monitora – Hora do Povo

Eduardo Bolsonaro em recente encontro com Steve Bannon nos EUA. Foto: Reprodução – Redes sociais

A Polícia Federal passou a monitorar as ações de Steve Bannon, guru de fake news do ex-presidente americano Donald Trump, em relação às eleições no Brasil em 2022.

O ex-conselheiro de Trump na Casa Branca tem atacado instituições brasileiras e questionado a lisura do sistema eleitoral do país, colocando em dúvida a segurança das urnas eletrônicas.

A PF enviou recentemente um documento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE ) no qual explica que bolsonaristas usam uma estratégia de comunicação semelhante à utilizada por Trump nas eleições de 2016 nos EUA.

O método é, justamente, creditado a Bannon, que foi preso em 2020 sob a acusação de fraude. De acordo com o processo, ele e os demais envolvidos teriam desviado o dinheiro doado durante as eleições, que seria usado para a construção de um muro na fronteira americana com o México, para gastos pessoais.

Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, as investidas de Bannon no Brasil remetem ao deputado federal Eduardo Bolsonaro (PLS-SP), filho do presidente da República. O ex-conselheiro de Trump, inclusive, prestou consultoria informal ao parlamentar e apoiou a campanha presidencial de Bolsonaro em 2018.

Eduardo Bolsonaro esteve recentemente com Bannon e o empresário Mike Lindell, outro nome envolvido nas campanhas de fake news, durante um evento nos EUA que reuniu expoentes da direita atual. O encontro, em Dakota do Sul, foi marcado por teorias de desinformação em eleições.

O filho de Bolsonaro discursou por cerca de 40 minutos e foi aplaudido pelo guru de Trump. Na fala, o parlamentar brasileiro reproduziu ataques e informações falsas sobre as urnas eletrônicas.

Ao fim do evento, Bannon reforçou o discurso de Eduardo: “Vocês veem que não é só nos EUA. Esta eleição (de 2022, no Brasil) é a segunda mais importante no mundo e a mais importante da história da América do Sul. Bolsonaro vai vencer, a menos que seja roubado… adivinhe pelo quê”. Lindell respondeu de forma imediata: “Pelas máquinas”.

De acordo com o “Estadão”, Bannon também entrou no radar da PF por administrar o Breitbart News, site com conteúdo de extrema-direita e famoso propagador de fake news contra políticos do partido democrata. Em um documentário chamado The Brink, ele conta que o site movimentava muito dinheiro.

Uma das grandes preocupações da Justiça Eleitoral brasileira são justamente casos semelhantes ao de Bannon. Sites e canais bolsonaristas já conseguem ganhar muito dinheiro ecoando mentiras e agressões, reduzindo fronteiras entre a verdade e a mentira e atacando instituições.

Fonte: horadopovo.com.br/guru-das-fake-news-de-trump-mente-sobre-as-eleicoes-no-brasil-e-pf-monitora