Rede pede ao STF que determine à Anvisa aprovar a CoronaVac em 72h

Vacina desenvolvida pelo Butantan em parceria com a Sinovac, farmacêutica da China. Foto: Divulgação

A Rede Sustentabilidade entrou com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprove nas próximas 72 horas o uso emergencial da vacina CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto Butantan.

Para o partido, o governo Bolsonaro “vem demonstrando aparente predileção ideológica em detrimento de decisões com embasamento científico” e pode estar pressionando a Agência para atrasar ou negar o uso emergencial.

“Nesse caso, a preferência ideológica parece caminhar no sentido de minar uma vacina potencialmente eficaz (CoronaVac) tão somente pelo fato de ter sua inteligência científica desenvolvida na China em parceria com o Governo de São Paulo, cujo mandatário é adversário político do Sr. Presidente da República”, argumentou a Rede.

“Sabe-se que a Agência tem um órgão técnico qualificadíssimo, mas não é trivial a possibilidade de estar havendo ingerências políticas indevidas para preterir determinadas análises em detrimento de outras”, continuou o pedido.

Os testes mostram um ótimo desempenho da vacina contra o coronavírus. A CoronaVac teve 100% de eficiência para casos moderados e graves da Covid-19 e 78% para casos leves. A eficiência global é de 50,4%.

Jair Bolsonaro já atacou publicamente a CoronaVac diversas vezes e até tentou sabotar seu desenvolvimento. Através da Anvisa, ele paralisou os testes da vacina por causa da morte de um voluntário, mas o caso não tinha nenhuma relação com os testes.

Ele também barrou seu ministro, Eduardo Pazuello, de comprar a CoronaVac. Depois ele recuou e o Ministério só realizou a compra há uma semana.

Na internet, os bolsonaristas chamam a CoronaVac de “vachina”, lançando mão do racismo para tentar depreciá-la.

Fonte: horadopovo.com.br/rede-pede-ao-stf-que-determine-a-anvisa-aprovar-a-coronavac-em-72h