Senadores vão ao STF contra privatização da Eletrobrás

Jean Paul Prates (PT-RN) e Cid Gomes (PDT-CE) anunciaram que recorrerão ao Supremo para tentar anular a aprovação da medida. “Iremos entrar com um processo de judicialização para barrar mais esse crime de Bolsonaro à soberania nacional”, disse Prates.

Senadores de oposição ao governo Bolsonaro anunciaram na noite desta quinta-feira (17) que irão ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra a votação do Senado que aprovou a medida provisória que abre caminho para a privatização da Eletrobrás

A proposta foi aprovada por 42 votos a favor e 37 contra. O texto foi modificado pelos senadores e, por isso, voltará para a Câmara dos Deputados. A MP precisa da aprovação final do Congresso até o dia 22, quando perde a validade.

Pelas redes sociais, os senadores Jean Paul Prates (PT-RN) e Cid Gomes (PDT-CE) anunciaram que recorrerão ao Supremo para tentar anular a aprovação da medida. “Junto com outras lideranças, iremos entrar com um processo de judicialização para barrar mais esse crime de Bolsonaro à soberania nacional”, disse Prates.

“Vou entrar com ação no Supremo Tribunal Federal para reverter a ilegalidade que foi cometida hoje no Senado na votação da privatização da Eletrobrás. Um absurdo que não pode passar em branco”, afirmou Cid Gomes. 

Brasil 247 – Foto: Pedro França/Agência Senado | ABr