“Sumiram dos perfis bolsonaristas as bandeirinhas dos EUA”, observa Flávio Dino

Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Foto: Bruno Carvalho – Agência de Notícias

“Não sobrou nem a Tanzânia para eles usarem a ‘bandeirinha’…”, anotou o secretário de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes

Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, comentou, em suas redes sociais, que os apoiadores de Jair Bolsonaro tiraram a bandeira dos Estados Unidos de seus perfis depois que Joe Biden assumiu a presidência do país e o totem deles, Donald Trump, foi defenestrado.

“Não sei o que aconteceu, mas sumiram as bandeirinhas dos Estados Unidos Bandeira dos Estados Unidos que muitos usavam em seus perfis nas redes sociais”.

Não sobrou nem a Tanzânia para eles usarem a "bandeirinha"…Qual será o último bastião do negacionismo? https://t.co/YLWDK8YA25

— Nésio Fernandes (@dr_nesio) April 30, 2021

“De todo modo, sugiro que esse pessoal da bandeirinha alheia veja o discurso de Biden ontem no Congresso dos Estados Unidos”, assinalou.

A postagem de Dino recebeu um comentário do secretário de Saúde do Espírito, Nésio Fernandes, que escreveu: “Não sobrou nem a Tanzânia para eles usarem a ‘bandeirinha’…”.

“Qual será o último bastião do negacionismo?”, questionou.

O presidente da Tanzânia, John Magufuli, morreu aos 61 anos no dia 17 de março, vítima da Covid-19, embora a causa da morte forjada para o público foi uma suposta “doença cardíaca”, mal explicada.

Tal como Bolsonaro, Magufuli era negacionista da Covid-19 e alegava que o país estaria livre do coronavírus em virtude das orações dos tanzanianos.

No discurso de Biden, ele criticou o negacionismo de Donald Trump e anunciou um investimento de US$ 4 bilhões para a retomada da economia norte-americana.

Joe Biden tem priorizado a vacinação da população dos Estados Unidos e, com isso, conseguiu fazer com que o país deixasse de ser o epicentro mundial da pandemia.

Fonte: horadopovo.com.br/sumiram-dos-perfis-bolsonaristas-as-bandeirinhas-dos-eua-observa-flavio-dino