Presidente do STM diz que eleições são função da Justiça Eleitoral e não das Forças Armadas

Foto: STM

“Nossa missão é diferente, não temos que nos envolver. Temos que garantir que o processo seja legítimo e tudo”, disse o ministro Luís Carlos Gomes Mattos

No último dia como presidente do Superior Tribunal Militar (STM), o ministro Luís Carlos Gomes Mattos afirmou nesta quarta-feira, 27, que a Justiça Eleitoral é a responsável pelas eleições e que a missão dos militares “é diferente”, pois as Forças Armadas não devem se envolver no pleito.

“Não esquecendo que nós temos uma Justiça Eleitoral e ela é a responsável pelo funcionamento real daquilo. Nossa missão é diferente, não temos que nos envolver… temos que garantir que o processo seja legítimo e tudo. Essa é a missão das Forças Armadas”, afirmou o ministro a jornalistas, segundo o jornal O Globo.

“Nós vamos atuar dentro daquilo que está previsto para garantir que o processo seja legítimo e que ao final tenha o respaldo popular”, disse ainda o presidente do STM.

O ministro se aposenta do STM nesta quinta-feira, 28, pois atingiu a idade limite, 75 anos, para a permanência no serviço público.

Nesta quarta, uma solenidade marcou a despedida do general. O evento contou com a presença do ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, general Luiz Eduardo Ramos, e do ex-ministro da Casa Civil e atual candidato à vice na chapa de Jair Bolsonaro (PL), general Walter Braga Netto, além do comandante do Exército, general Freire Gomes.

Fonte: Brasil 247