Refúgios de montanha em Bariloche

Para muita gente, fazer uma trilha rápida e tirar algumas fotos já é uma experiência de montanha completa, mas nada se compara a pernoitar nas alturas e acordar com o sol refletindo nos lagos e glaciares. Os refúgios de montanha existem pelo menos desde o século 19, quando eram apenas cabanas rústicas que serviam de estrutura de apoio para os exploradores dos Alpes. Mas, com o tempo, eles evoluíram para acomodações sofisticadas, com direito a duchas, refeições prontas e serviços de guias especializados.

Na América Latina, a maioria se concentra na Patagônia Argentina, especialmente na região de Bariloche, onde há opções para todos os tipos de viajantes. Nos mais simples, é preciso levar o seu próprio saco de dormir. Nos mais estruturados, os quartos são climatizados e têm cama de casal. Uns foram construídos como antigos chalés de montanha com decks panorâmicos. Outros são modernos domos com tecnologia de isolamento térmico.

Os refúgios de montanha podem ser reservados através do site , que já disponibiliza o formulário necessário para fazer trekking em áreas de preservação. Até pouco tempo, os montanhistas costumavam preparar sua comida nas cozinhas comunitárias das hospedagens, mas a prática foi proibida durante a pandemia do coronavírus. Agora, o mais comum é os próprios refúgios venderem refeições prontas, atendendo inclusive os viajantes com restrições alimentares.

Fora isso, programe-se para fazer a viagem durante o verão, quando as condições das trilhas são melhores (). Informe-se sobre o nível de dificuldade dos percursos, alimentação calórica para ser consumida durante a trilha e informações sobre segurança. A seguir, algumas opções de refúgios de montanha na região de Bariloche:

Refugio Ilón, Bariloche, Argentina
Refugio Ilón, Bariloche, Argentina
Crédito: Refugio Ilón Facebook/Reprodução

Aos pés do Cerro Tronador, maior montanha do Parque Nacional Nahuel Huapi, o vilarejo de Pampa Limpa é ponto de partida para as trilhas mais cênicas da região. Uma opção de hospedagem ali é o Refugio Illón, em frente à lagoa de mesmo nome, que tem espaço para a montagem de barracas e um grande domo com capacidade para 30 pessoas em sacos de dormir onde também são servidas as refeições.

Refugio Otto Meiling, Bariloche, Argentina
Refugio Otto Meiling, Bariloche, Argentina
Crédito: Refugio Otto Meiling Facebook/Reprodução

Também no vilarejo de Pampa Limpa, o Refugio Otto Meiling é a base dos montanhistas que buscam alcançar o topo do Cerro Tronador, mas seus guias especializados levam para trilhas de diferentes níveis de dificuldade. Com capacidade para 60 pessoas, ele é bastante simples, mas se destaca ainda pela vista panorâmica da região: é comum conseguir fotografar condores voando em meio à paisagem.

Refugio Agostino Rocca, Bariloche, Argentina
Refugio Agostino Rocca, Bariloche, Argentina
Crédito: Refugio Agostino Rocca/Divulgação

A base para quem faz o Paso de las Nubes, trajeto que vai de Pampa Linda ao Lago Frias, é o Agostino Rocca. Trata-se de um dos refúgios mais novos e melhor estruturados da região, com capacidade para até 80 pessoas divididas em 10 quartos diferentes. Os banheiros são compartilhados, mas divididos entre homens e mulheres e com box individuais. Além disso, possui um agradável deck ao ar livre.

Refugio Emilio Frey, Bariloche, Argentina
Refugio Emilio Frey, Bariloche, Argentina
Crédito: Refugio Emilio Frey Facebook/Reprodução Continua após a publicidade

Instalado em um charmoso chalé de pedra, o Refugio Emilio Frey fica em pleno Cerro Catedral e recebe montanhistas desde 1957. No térreo há uma cozinha e uma espaçosa sala de jantar com lareiras e aquecedores elétricos. No primeiro andar do casarão ficam os quartos com colchões, travesseiros e cobertores, que acomodam até 35 pessoas. O estabelecimento costuma servir pizza e cerveja artesanal.

Refugio Lopez, Bariloche, Argentina
Refugio Lopez, Bariloche, Argentina
Crédito: Refugio Lopez/Divulgação

É o maior refúgio das montanhas e Bariloche e possui a melhor vista para o Lago Nahuel Huapi. É necessário levar o seu próprio saco de dormir, mas o estabelecimento prepara todas as refeições para os hóspedes.

Refugio Laguna Negra, Bariloche, Argentina
Refugio Laguna Negra, Bariloche, Argentina
Crédito: Refugio Laguna Negra/Divulgação

Localizado a 1.620 metros acima do nível do mar, no Cerro Negro, o refúgio cercado por um bosque de corníferas é mais conhecido como Laguna Negra. O albergue tem capacidade para 45 pessoas, que dormem em sacos de dormir em um único dormitório. O restaurante prepara refeições para serem consumidas na hora, incluindo pizza e cerveja artesanal, e lanches para serem levados nas trilhas.

Refugio Jabok, Bariloche, Argentina
Refugio Jabok, Bariloche, Argentina
Crédito: Refugio Jabok Facebook/Reprodução

Popularmente conhecido como Jakob, o refúgio de madeira e pedra fica à beira da Laguna Témpanos. Ele foi reinaugurado em 2018, acomoda os montanhistas em quartos com beliches e prepara refeições caseiras e sanduíches.

      Continua após a publicidade

              Fonte: viagemeturismo.abril.com.br/mundo/refugios-de-montanha-em-bariloche