São Paulo: exposições confirmadas para 2022

A agenda cultural da capital paulista promete ser cheia em 2022. Em homenagem aos cem anos da Semana de Arte Moderna de 1922, marco na arte brasileira, espaços como o , o e o estão preparando uma programação especial. Além disso, o Bicentenário da Independência será celebrado com , que acompanhará a abertura de outros dois museus e uma expansão. Veja a seguir, por ordem de previsão de estreia, algumas exposições já confirmadas em :

Composta por 365 manequins suspensos, “Renascimento” é a instalação inédita do artista plástico Siron Franco, realizada em parceria com o . No jardim da a obra celebra a vida e a esperança de superação da Covid-19, além de homenagear as vítimas da pandemia e os profissionais da saúde.

Onde? – Av. Paulista, 37 – Paraíso.

Quando? 15 de janeiro de 2022 a 20 de março de 2022.

A imagem é uma foto tirada de baixo para cima, numa ângulo em que vemos um céu límpido e manequins com diferentes roupas preenchendo sua limpidez.
A imagem é uma foto tirada de baixo para cima, numa ângulo em que vemos um céu límpido e manequins com diferentes roupas preenchendo sua limpidez.
Em homenagem às vítimas da Covid-19, Siron Franco apresenta a instalação “Renascimento”. Crédito: Casa das Rosas e Museu da Imagem e do Som (MIS)/Divulgação

O pintor Samson Flexor é conhecido como um dos pioneiros da abstração no e participou ativamente da renovação das artes visuais do país na década de 1950. Suas obras desse período são bastante populares, mas pouco se fala da arte desenvolvida por ele posteriormente. A exposição em cartaz no se destaca por ser a primeira a focar na obra de Flexor a partir de 1957.

Onde? – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n° – Vila Mariana. 

Quando? 22 de janeiro a 26 de junho de 2022.

Ver essa foto no Instagram

Com curadoria de Emanoel Araújo, a mostra do traz grandes pinturas provenientes de igrejas das cidades de Itu e , onde o padre e artista Jesuíno do Monte Carmelo exerceu seu ofício de pintor, músico e compositor. A pesquisa sobre as pinturas das igrejas e conventos da cidade de Itu foi uma das últimas de Mário de Andrade, que estudava esses artistas dos séculos XVIII e XIX.

Onde? – Portão 10, Av. Pedro Álvares Cabral, s/n – Vila Mariana.

Quando? 25 de janeiro a julho de 2022.

Na foto vemos uma pintura sacra feita sobre uma superfície de madeira. Vemos Nossa Senhora do Carmo carregando o menino Jesus e entregando o escapulário aos carmelitas.
Na foto vemos uma pintura sacra feita sobre uma superfície de madeira. Vemos Nossa Senhora do Carmo carregando o menino Jesus e entregando o escapulário aos carmelitas.
No dia 25 de janeiro, o museu inicia as homenagens ao “Extraordinário Mário de Andrade”, integrando a celebração dos Cem anos da Semana de Arte Moderna. Crédito: Museu Afro Brasil/Divulgação

Recursos audiovisuais e sonoros serão instalados no para proporcionar uma experiência imersiva no universo do artista Cândido Portinari. Parte do calendário oficial de comemorações dos 100 anos da Semana de Arte Moderna de 22, a mostra “Portinari para Todos” será dividida em três áreas expositivas. A primeira terá sete instalações interativas; a segunda será uma sala com telões para “entrar” nos quadros; e a terceira contextualizará o acervo de Portinari com a cultura e história do país. 

Onde? – R. Vladimir Herzog, 75 – Água Branca

Quando? Prevista para janeiro de 2022.

Ver essa foto no Instagram

No início do século 20, Brecheret teve seu ateliê de esculturas instalado no Palácio das Indústrias, a atual sede do . Em comemoração ao centenário da Semana de Arte Moderna de 22 e para valorizar a relação do espaço com o ateliê, o Catavento apresentará a vida e obra do escultor modernista.

Onde? – Av. Mercúrio, s/n – Parque Dom Pedro II.

Quando? 10 de fevereiro a 31 de março de 2022.

Na imagem, vemos uma foto do Monumento às Bandeiras, uma enorme esculturas com vários homens montados em cavalos.
Na imagem, vemos uma foto do Monumento às Bandeiras, uma enorme esculturas com vários homens montados em cavalos.
Victor Brecheret é autor de grandes obras do modernismo nacional, como o Monumento às Bandeiras, em São Paulo. Crédito: gr4n4d4br/Pixabay

O está organizando uma série de exposições sobre artistas modernistas brasileiros canônicos do século passado, sendo “Volpi Popular” a terceira. A mostra gira em torno de Alfredo Volpi, cuja pintura mescla tradições modernas e populares. Os temas das obras incluem trabalho artesanal, festas populares, religiosidade e fachadas da arquitetura colonial e vernacular brasileira.

Onde? – Av. Paulista, 1578 – Bela Vista.

Quando? 25 de fevereiro a 5 de junho de 2022.

A pintura de Alfredo Volpi, nascido há 125 anos, caracteriza-se por um singular repertório de influências que mescla tradições modernas e populares. Em 2022, o MASP apresentará ‘Volpi popular’, 3ª mostra dedicada a modernistas brasileiros que trabalham com referências populares.

— MASP (@maspmuseu)

Depois de passar por diversos lugares nos , , e , a exposição imersiva “Beyond Van Gogh” chega ao em março. A experiência apresenta mais de 300 obras do artista holandês, que ganham vida e fluidez diante dos olhos dos visitantes graças a projeções. As imagens se mesclam com jogos de cor, luz, música e formas para fazer o público se sentir dentro das obras. Em julho, a instalação seguirá para Brasília. 

Onde? – Av. Roque Petroni Júnior, 1089, Santo Amaro.

Quando? 17 de março a 3 de julho de 2022 (os ingressos já estão disponíveis no site

Na imagem, vemos pessoas andando entre espaços onde as pinturas de Van Gogh estão sendo projetadas.
Na imagem, vemos pessoas andando entre espaços onde as pinturas de Van Gogh estão sendo projetadas.
O sucesso internacional, Beyond Van Gogh, promete levar os paulistanos para dentro das pinturas do artista holandês. Crédito: Beyond Van Gogh/Divulgação

Um dos maiores nomes confirmados para a temporada de 2022 da é o da carioca Adriana Varejão. Sob curadoria de Jochen Volz, cerca de 60 trabalhos, entre esculturas e pinturas de diferentes fases da artista, ocuparão o Octógono e sete salas do museu para uma mostra individual. Além de Varejão, a instituição receberá obras de Jonathas de Andrade, Lenora de Barros e Ayrson Heráclito, Georgia O’Keefe, Edward Hopper e Andy Warhol no segundo semestre. 

Onde? – Praça da Luz, 2 – Luz.

Quando? 26 de março a 1 de agosto de 2022.

Continua após a publicidade

Na foto vemos um pedaço de parede com vários tipo de azulejos.
Na foto vemos um pedaço de parede com vários tipo de azulejos.
Adriana Varejão mistura cores, estampas e formas em sua série de esculturas “Ruínas”. Crédito: Adriana Varejão Atelier/Divulgação

Depois de passar por e , a exposição do artista argentino Leandro Erlich chegará ao .  Em “A Tensão”, obras criativas de ilusão de ótica mudam a forma como o espaço é percebido. Na curadoria de Marcello Dantas, o visitante vê barco e elevador flutuantes, janelas para jardins imaginários e até uma piscina em que o visitante pode entrar de roupa e ficar submerso sem medo de se afogar.

Onde? – R. Álvares Penteado, 112 – Centro Histórico.

Quando? Prevista para março de 2022. 

Exposição do Erlich, obra Swimming Pool
Exposição do Erlich, obra Swimming Pool
A obra “Swimming Pool” é uma das instalações que mais empolgam os visitantes, que podem entrar na piscina sem se molhar. Crédito: Guyot/Ortiz/Divulgação

      Com curadoria de Baixo Ribeiro e produção da Choque Cultural, o artista Rafael Silveira exibe “Espuma Delirante”, uma exposição inédita em São Paulo de esculturas, pinturas e objetos de caráter figurativo e abstrato. As obras ficarão no , que no segundo semestre recebe também as obras do artista espanhol Sergi Cadeñas. 

      Onde? – R. João Brícola, 24 – Centro Histórico.

      Quando? Prevista para março de 2022.

      Ver essa foto no Instagram

      A história e a arte da trança de seda japonesa é tema da exposição “Kumihimo”, na . Com materiais fornecidos pela Domyo, empresa sediada em Tóquio que fabrica cordões de seda trançados à mão desde 1652, a mostra apresentará uma evolução histórica da técnica japonesa de cordas trançadas.  Por se tratar de uma iniciativa global da Japan House, ela circulará não só por  como também por e .

      Onde? – Av. Paulista, 52 – Bela Vista.

      Quando? Prevista para o primeiro semestre de 2022.

      Na imagem vemos um artefato que parece uma roda onde os fios do bordado são transpassados.
      Na imagem vemos um artefato que parece uma roda onde os fios do bordado são transpassados.
      A exposição na Japan House mostrará a evolução das técnicas de bordado japonês. Crédito: Yasuhide Kuge/Divulgação

      Até o final de 2022, terá dois novos museus: o Museu das Culturas Indígenas e o Museu das Favelas. Além disso, estão previstas para este ano a reinauguração do e a expansão do . 

      Museu das Culturas Indígenas

      O primeiro museu feito e conduzido por indígenas do estado de será instalado no Complexo Baby Barioni, ao lado do Parque da Água Branca. A inauguração está prevista para março e a exposição inaugural será uma homenagem ao artista e ativista Jaider Esbell (1979-2021). “O museu inverte a perspectiva com que as comunidades vêm sendo tratadas em nosso país. Onde a sociedade enxerga carência, nós enxergamos potência”, afirmou Sérgio Sá Leitão.

      O secretário de Cultura e Economia Criativa também adiantou que a estrutura contará com áreas de exposição permanente e temporária, espaço para eventos, restaurante, café, loja, auditório e biblioteca. Além disso, Leitão afirmou que o museu apostará em eventos online.  

      Museu das Favelas

      Em junho deste ano, outro museu está previsto para entrar para o catálogo paulistano: o Museu das Favelas. Com a missão de articular, preservar e comunicar as potências das favelas de  e de todo o , ele ocupará o Palácio dos Campos Elíseos e terá mais de 8 mil metros quadrados para recursos multimídia interativos, exposições temporárias, biblioteca digital, auditório, um centro de empreendedorismo com coworking, café e loja. Sua criação é uma parceria com a . 

      Na imagem vemos várias televisões posisionadas em diverentes âgulos.
      Na imagem vemos várias televisões posisionadas em diverentes âgulos.
      O projeto dos novos museus de São Paulo seguem um padrão de tecnologia e interatividade. Crédito: Governo de SP/Divulgação
      Na imagem vemos o projeto de uma sala com telas multimídia.
      Na imagem vemos o projeto de uma sala com telas multimídia.
      O Museu das Favelas é uma forma de potencializar o poder das favelas brasileiras. Crédito: Governo de SP/Divulgação

      A expansão do teve início em janeiro deste ano e deve ser concluída até julho. Na divulgação oficial do projeto, que tem um investimento previsto de R$ 40 milhões, o secretário Sérgio Sá Leitão disse que a transformação será “tão grande que, de fato, caracteriza uma nova instituição”. “Tanto é que estamos alterando também a instituição que faz a gestão. Ampliando espaço, ampliando programas, ampliando escopo. Enfim, transformado ele no museu que toda a comunidade LGBTQIA+ de São Paulo gostaria que ele fosse”, continua ele.

      Atualmente, o museu ocupa uma sala provisória de 100m² na estação República do Metrô. As ideias de expansão começaram ainda no governo de Geraldo Alckmin (PSDB), que prometeu transferir o museu para o casarão Joaquim Franco de Mello, na Avenida Paulista. Porém, a gestão de Doria fez alterações polêmicas nos planos culturais da cidade. O casarão será ocupado pelo futuro Museu de Gastronomia, enquanto o da Diversidade Sexual será mantido na estação. Depois de receber críticas, o governador defendeu que “era melhor ampliar e adequar em um local de fácil acesso, já que está dentro de uma estação de metrô. Portanto, ele é bem inclusivo, é protegido”. Além disso, Doria ainda ressaltou que as reformas ampliarão a área do museu em 540 m².

      Na imagem vemos uma parede estampada com as sete cores do arco íris que representam a comunidade Queer.
      Na imagem vemos uma parede estampada com as sete cores do arco íris que representam a comunidade Queer.
      Apesar das polêmicas, o Museu da Diversidade Sexual será mantido na estação do metrô. Crédito: Governo de SP/Divulgação
      Na imagem vemos várias telas de televisão distribuídas em diferentes ângulos.
      Na imagem vemos várias telas de televisão distribuídas em diferentes ângulos.
      O projeto de multimídia da expansão do Museu da Diversidade Sexual se assemelha ao projeto do Museu das Favelas. Crédito: Governo de SP/Divulgação

      A estimativa é de que a reinauguração do aconteça em 7 de setembro de 2022, em comemoração ao Bicentenário da Independência do Brasil. É possível acompanhar a reforma e a expansão do prédio que ficou nove anos fechado para visitação pelo site do museu. .

          Continua após a publicidade

                  Fonte: viagemeturismo.abril.com.br/brasil/sao-paulo-confira-as-exposicoes-confirmadas-para-2022