Elimine de vez o estresse com exercícios físicos – ViDA & Ação

O período de pandemia, com o longo isolamento social, criou um estado generalizado de adoecimento mental, com muitas pessoas deprimidas, problemas de compulsão alimentar, muita ansiedade e com dores nas costas. Um sintoma comum foi o aumento do estresse.

Dificuldade financeira, excesso de trabalho, cansaço, preocupação e insegurança com o futuro – sentimentos típicos deste período – são apenas alguns dos motivos que levam uma pessoa ao estresse. Essa reação natural do organismo envolve componentes psicológicos, físicos, mentais, hormonais e ocorre em situações de vulnerabilidade

Considerado o mal do século, o problema atinge 90% da população mundial, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS). A boa notícia para esse Dia Mundial da Saúde Mental (10/10) é que o estresse pode ser combatido de forma simples – e barata – por meio da atividade física regular.

Estudo divulgado pelo New York Times sobre um grupo de pesquisadores da Universidade de Michigan, no The Journal of Happiness Studies, nos Estados Unidos, reforça isso ao comprovar que pessoas que malham uma vez por semana, ou por apenas 10 minutos por dia, tendem a ser mais alegres do que aquelas que não praticam qualquer exercício.

O exercício como uma ferramenta da saúde física e mental já é um consenso. A lista dos benefícios de prática de atividade física é bem extensa, passando desde a melhora do metabolismo, ganhos para a saúde cardiovascular e até a liberação de alguns neurotransmissores de forma mais eficiente, o que influencia na regulação do humor.

A educadora física Domitila Crislaine Antas, que atende nas Unidades Básicas de Saúde do Jardim Nakamura e Jardim Coimbra, ambas gerenciadas pelo Cejam – Centro de Estudos e Pesquisas Dr. João Amorim, destaca a importância dos exercícios físicos para a prevenção e diminuição do problema.

“Praticar atividades físicas é importante, pois, quando nos exercitamos, ocorre a liberação de neurotransmissores como a serotonina que, entre outras funções, equilibram o humor. Os exercícios também liberam endorfina, que atua em nosso organismo como um analgésico, aliviando dores e o estresse”, explica a professora.

De acordo com a especialista, as atividades colaboram para o autoconhecimento e autovalorização, proporcionados pelo contato com o próprio corpo e suas sensações.

Quando começar?

A partir dos primeiros seis meses de vida, um ser humano já tem condições de explorar o espaço e os movimentos. “O ideal é incentivar as crianças desde cedo, em especial com brincadeiras e jogos”, afirma Domitila.

Meditação, práticas de conscientização corporal, como Yoga e Pilates, ou simples corridas e caminhadas diárias, contribuem no autocontrole e na consciência das interações entre corpo e mente, tanto para os pequenos como para os adultos. Em alguns casos, práticas mais intensas, como jump, artes marciais e dança, podem ser ainda mais eficientes.

“As primeiras ajudam a desacelerar a mente do ritmo frenético em que vivemos e as últimas, em especial as artes marciais, promovem a disciplina e o autocontrole. Lembrando que todas têm benefícios, o essencial é sempre mesclar as modalidades para uma eficiência ainda maior”, comenta a especialista.

Hábitos para combater o estresse

Muitos são os benefícios que podem ser extraídos da prática regular de atividades físicas, sendo a prevenção do estresse apenas um deles.

Na dúvida sobre começar ou não a se exercitar, a professora destaca a melhora do humor, sono e disposição, além da prevenção e controle de doenças, peso corporal e o aumento da imunidade e expectativa de vida.

Para Domitila, mudar os hábitos pode parecer difícil, mas é uma questão de escolha e prioridade. Como primeiro passo, ela indica uma modalidade que encaixe na rotina e no gosto, pois é mais fácil de dar continuidade à prática e desfrutar dos benefícios.

“Melhorar a saúde física e mental é a melhor decisão que podemos tomar para a nossa vida e se exercitar pode ser um dos principais passos.”, finaliza.

A OMS lembra que os exercícios às vezes necessitam de ajustes por alguma questão de saúde específica. Gestantes, puérperas e pessoas com eventos cardíacos podem precisar de precauções extras. Por isso, é bom passar por uma avaliação médica antes.

Como os fatores emocionais interferem no corpo

O personal trainer Samorai é especialista em movimentos e treinamento 3Dimensional (Foto? Divulgação)

O personal trainer Samorai, especialista em movimentos, em treinamento 3Dimensional e fundador do Instituto de Performance Samorai, explica como os fatores emocionais se refletem diretamente no corpo das pessoas.

“Uma pessoa deprimida caminha de um jeito, tem postura mais fechada, mecanicamente falando, ela encolhe os ombros e isso força muito a base da coluna, fazendo-a sentir mais dores nas costas. Já uma pessoa superconfiante caminha de outro jeito. Muitas vezes, o medo vai gerar uma postura de fragilidade, fechamento e isso pode se manifestar em dor em algum outro lugar do corpo”, explica.

“Se posso dizer que mecanicamente os corpos se alteram a partir de estados emocionais, também posso assumir a mesma posição de que uma coisa interfere na outra. E interfere tanto para o bem como para o mal. Assim como o lado emocional muda o mecânico, essa postura também pode mudar o que sentimos”, diz o personal trainer.

Ele cita o exemplo dos esportes como o Jiu Jitsu, em que pessoas muito tímidas ou medrosas começam a partir do desenvolvimento de uma técnica de luta e passam a ser mais confiantes, seguras e corajosas.

A saúde mental é fundamental para a harmonia do ser. É muito importante que a gente mantenha a saúde mental em dia, corpo são e mente sã. Quando um desses pilares é abalado, corpo, mente ou espírito, vai comprometer os outros. Somos uma corrente, um sistema integrado”, completa Samorai.

De acordo com ele, cada pessoa é única e traz dentro dela cargas emocionais que podem refletir diretamente nos movimentos e sensações do seu corpo. Samorai explica que a solução de muitos problemas vem com a evolução tridimensional corpo, mente e espírito e essa relação faz toda a diferença nos processos de reabilitação das pessoas.

O personal trainer reforça que toda vez que há uma atividade desafiadora e ela é realizada por completo, traz um sentimento de vitória, conquista. Isso faz com que haja um crescimento emocional, a sensação de ser mais capaz. A atividade precisa ser desafiadora no quesito físico, mental ou emocional. Mas quando há uma combinação desses elementos, esses sentimentos bons aparecem mais. São vitórias em todos os âmbitos da vida.

“O físico é um pouco mais fácil, porque os movimentos podem ser melhorados, mas eles só terão essa melhora em um ambiente onde a pessoa tenha esperança, onde seja acolhida e respeitada. Quando a pessoa escolhe uma atividade para fazer, ela precisa sentir prazer em realizá-la. A partir de todas essas considerações, melhorar o físico passa a ser um trabalho bem mais tranquilo”, afirma ele.

Segundo ele, o trabalho do educador físico não é exatamente interferir nos fatores emocionais, mas levá-los em consideração. “Criei um espaço acolhedor, singular, que possibilita outro tipo de interação com a pessoa, para conversar sobre assuntos mais profundos. Para isso, o professor se capacita, se transforma e guia através de exemplos”, comenta.

Com Assessorias

Por Favor, Compartilhe!

Fonte: www.vidaeacao.com.br/elimine-de-vez-o-estresse-com-exercicios-fisicos