Governo Doria promete vacinar toda a população de São Paulo contra a covid-19 até o fim de outubro

São Paulo – O governo paulista anunciou hoje (2) um cronograma para vacinar toda a população de São Paulo a partir de 18 anos contra a covid-19 até 31 de outubro. Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Imunização (PEI), Regiane de Paula, o planejamento foi feito considerando, inclusive, possíveis atrasos no calendário de entregas do Ministério da Saúde. “Fizemos a projeção com um redutor, por conta desses atrasos. Mas com as atuais projeções de entregas de vacinas da Pfizer, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da CoronaVac, temos segurança de que esse cronograma será realizado”, disse Regiane.

Entre essas previsões estão 100 milhões de doses da vacina da Pfizer, 100 milhões de doses da Fiocruz e as 100 milhões da CoronaVac. Porém, os prazos são incertos, já que alguns lotes desses imunizantes já deveriam ter sido entregues e estão atrasados. Além disso, para vacinar a população contra a covid-19 conforme anunciado, tem-se antes a produção de mais 30 milhões de doses da CoronaVac para distribuição nacional – que ainda está em negociação – e mais 20 milhões para uso exclusivo no estado de São Paulo, a serem produzidas a partir de agosto.

O novo cronograma para vacinar a população contra a covid-19 em São Paulo teve início hoje (2), com a imunização de pessoas com deficiência permanente que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e pessoas com comorbidades com idades de 30 a 39 anos. Atualmente, estão sendo vacinadas pessoas nessas condições, mas com idades de 40 e 44 anos, grávidas e puérperas com comorbidades a partir de 18 anos, trabalhadores aeroportuários de Congonhas, Viracopos e Guarulhos e profissionais do Pporto de Santos.

São Paulo: vacinação em Serrana reduz mortes por covid-19 em 95% e descarta dose extra em idosos

A partir da próxima segunda (7), começam a ser vacinadas as pessoas com deficiência permanente que recebem o BPC e pessoas com comorbidades com idades de 18 a 29 anos. E, na quarta (9), os profissionais da educação, com 45 e 46 anos. Todos esses grupos totalizam pouco mais de 2,6 milhões de pessoas.

A partir de julho, a expectativa do governo paulista é vacinar pessoas de 55 a 59 anos e profissionais da educação de 18 a 44 anos. Em agosto, será a vez da população com idades de 45 a 54 anos, sendo 50 a 54 na primeira quinzena do mês e 45 a 49 na segunda quinzena. Em setembro, serão vacinadas as pessoas 30 a 40 anos, divididas em três grupos durante 10 dias cada. E em outubro, a população de 25 a 29 anos, do dia 1º ao dia 10, e a população de 18 a 24 anos, do dia 11 em diante.

Estudo no Uruguai mostra excelentes resultados das vacinas CoronaVac e Pfizer

Requisitos da vacinação

Para todos os grupos, os documentos básicos são o cartão SUS, a carteirinha de vacinação e um documento com foto. É importante realizar o cadastro da vacinação contra a covid-19 previamente, para reduzir o tempo de espera nos locais de aplicação da vacina. O cadastro pode ser feito pelo aplicativo de mensagens WhatsApp ou no site Vacina Já. Para preencher o formulário no aplicativo, basta adicionar o número: (11) 95220-2923. E mandar um “oi”. Em seguida, a pessoa uma lista de opções pelo próprio aplicativo. Para prosseguir com o cadastro basta escolher a opção B e seguir as instruções. O cadastro prévio não é obrigatório, mas evita que seja necessário fazê-lo na hora da vacinação.

Pessoas dos grupos com comorbidades deverão comprovar a condição por meio de exames, relatório médico ou prescrição. Cadastros de pacientes já existentes nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) poderão ser utilizados como comprovação. Confira abaixo quais são as condições de saúde consideradas comorbidades pelo Ministério da Saúde. As pessoas com deficiência permanente deverão apresentar comprovante de recebimento do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Vacinação por idade favoreceu brancos de bairros ricos, onde mortalidade por covid-19 é menor

No caso das gestantes e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), é preciso ter 18 anos ou mais e apresentar comprovante da condição de risco por meio de exames, relatório médico ou prescrição médica. As grávidas devem apresentar comprovante de estado gestacional (carteira de acompanhamento e/ou pré-natal ou laudo médico). As puérperas devem apresentar declaração de nascimento da criança.

Relação de comorbidades definidas pelo Ministério da Saúde para vacinação contra a covid-19 em São Paulo:

  • Doenças cardiovasculares
  • Insuficiência cardíaca (IC)
  • Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar
  • Cardiopatia hipertensiva
  • Síndromes coronarianas
  • Valvopatias
  • Miocardiopatias e Pericardiopatias
  • Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
  • Arritmias cardíacas
  • Cardiopatias congênitas no adulto
  • Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
  • Diabetes mellitus
  • Pneumopatias crônicas graves
  • Hipertensão arterial resistente (HAR) | Hipertensão arterial – estágio 3 | Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade
  • Doença Cerebrovascular
  • Doença renal crônica
  • Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer).
  • Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)
  • Obesidade mórbida
  • Cirrose hepática

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/saude-e-ciencia/2021/06/governo-doria-promete-vacinar-toda-a-populacao-de-sp-ate-final-de-outubro