Inverno solidário: frente fria provoca onda de solidariedade – ViDA & Ação

O inverno rigoroso derrubou os termômetros nesta última semana de julho. Uma forte frente fria fez cair neve no Sul do país e atingiu os estados do Sudeste, Centro-Oeste e até Norte com temperaturas mínimas. Na maior cidade do país, o frio intenso é uma ameaça à vida da população em situação de rua. A onda polar que gerou um frio recorde em São Paulo já vitimou desde o final de junho 16 pessoas em situação de rua da capital paulista, divulgou o Movimento Estadual da População em Situação de Rua de São Paulo (MEPSR-SP) nesta sexta-feira (30).

A menor temperatura na cidade de São Paulo este ano foi registrada nesta sexta, com média mínima de 3,2°C e mínima absoluta de – 3ºC em Engenheiro Marsilac, no extremo sul da cidade. Foi a menor mínima média registrada na cidade e a menor temperatura absoluta em 17 anos, tempo que o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas (CGE) coleta as temperaturas na capital paulista. O frio que começou na quarta (28) voltou a mobilizar emergencialmente muitos grupos de voluntários, igrejas, organizações não governamentais e empresas em diversos municípios.

Governador João Doria e Padre Julio Lancelloti no lançamento do programa Noites Solidárias, para acolher e alimentar população de rua (Foto: Divulgação)

Por meio da campanha Inverno Solidário, o Governo de São Paulo vai entregar 83 mil cobertores térmicos, 2,3 mil agasalhos e 23 mil pares de meias a municípios de diversas regiões do estado. As doações já em andamento foram intensificadas como parte do programa Noites Solidárias, lançado pelo governador João Doria em razão da forte onda de frio que chegou ao estado. Serão abertas duas mil vagas em alojamentos provisórios a serem instalados em 134 cidades do Estado; um investimento de R$ 3,7 milhões.

O Noites Solidárias oferece proteção social, por meio do acolhimento emergencial, à população em situação de rua. Na capital, foi instalado um um abrigo provisório com capacidade para 400 pessoas na estação do Metrô Pedro II (linha vermelha, próximo à praça da Sé). Até 31 de julho, o abrigo, exclusivamente masculino, vai disponibilizar alimentação, água potável, colchões, cobertores e 20 banheiros químicos entre 20h e 8h. Na primeira noite de funcionamento, o local recebeu 50 pessoas,

A segurança da região e dentro da estação está reforçada pela Secretaria de Segurança Pública e pela Guarda Civil Metropolitana. Uma equipe do Padre Julio Lancelotti irá pernoitar com os abrigados, em todas as noites, para auxiliar no acolhimento dos abrigados. As ações do programa Noites Solidárias envolvem as Secretarias de Desenvolvimento Social, Logística e Transportes, Segurança Pública, Fundo Social de São Paulo, Defesa Civil, Sabesp e o Exército Brasileiro.

Doações do programa Noites Solidárias, para acolher e alimentar população de rua (Foto: Divulgação)

Além disso, a campanha Inverno Solidário distribuiu na noite do dia 28, cerca de 2,7 mil cobertores e 600 colchões para a população em situação de rua em todo o estado. Na manhã desta quinta (29) a doação de 7,5 mil cobertores, 1 mil sacos de dormir e 2 mil pares de meia para 16 entidades que atendem a população em situação de rua na capital. A entrega das doações ocorreu na Casa de Oração do Povo de Rua, localizada na região da Luz. O material será disponibilizado para que as outras 15 entidades façam a retirada.

Para garantir a segurança alimentar da população em maior vulnerabilidade, restaurantes Bom Prato irão servir três mil sopas por noite, gratuitamente, até o fim de agosto. As unidades são do Brás, São Mateus, Perus, Capão Redondo e Santana, na Capital, e nos municípios de São José dos Campos, Taubaté, Ferraz de Vasconcelos, Taboão da Serra e Itapevi. A medida da gratuidade para a população em situação de rua está prorrogada também até o final do mês.

Cruz Vermelha retoma ação conjunta

Também nesta sexta-feira, 30, das 17 às 20 horas, a Cruz Vermelha São Paulo (CVSP) retoma a ação conjunta, iniciada no dia 28, com a Prefeitura e a Pastoral do Povo da Rua para atender a população de rua durante a passagem de uma intensa onda de frio na capital paulista. Cerca de 1,5 mil kits de inverno serão distribuídos pela CVSP em outros três pontos da cidade: Largo da Concórdia (Moóca), Praça Salim Farah Maluf (Santo Amaro) e Praça Miguel Dell’erba (Lapa).

Além do fornecimento de agasalhos e refeição, as tendas contarão com o serviço de Restabelecimento de Laços Familiares, que possibilita ao interessado informar seu paradeiro às suas famílias e manter contato com seus entes queridos. Nesta quarta-feira, 28, a entidade participou de ação conjunta com a Prefeitura e a Pastoral do Povo da Rua na Praça da Sé, na região central, e distribui 1 mil kits de inverno e de higiene (com cobertor, roupas, meias, gorro, máscara e álcool gel).

Outras ações da CVSP também estão sendo implementadas para contemplar a população de rua, como a distribuição de 50 casulos (sacos de dormir), confeccionados por mulheres em situação de vulnerabilidade social e que serão entregues na região central, e a aplicação de 130 testes de Covid-19, por meio de médicos voluntários da CVSP e em parceria com a Sefras (Serviço Francisco de Solidariedade), no Glicério e na Rua Riachuelo, 268, no centro.

#Café da Manhã na Rua – Também para mitigar o impacto do frio em pessoas em situação de rua em São Paulo, a marca paraibana de pastas de castanha e amendoim “éNozes” participou de uma ação de emergência, na noite desta quinta-feira (29), junto a ONG #Café da Manhã na Rua. Foram doados ao todo 60 kits com calça e camisa de moletom, toucas, luvas, pastas de amendoim e biscoito. O fundador da empresa, Mauricio Bezerra, participou pessoalmente desta ação em movimento pelas ruas da cidade de São Paulo.

Campanha do cobertor na região mais fria de SP

O inverno em algumas regiões de São Paulo é bem forte. Segundo o CGE em Parelheiros, por exemplo, a temperatura tende a ser mais baixa que a média da capital. Alguns fatores que contribuem para isso são a vegetação e sua altitude média, que está muito próximo da Serra do Mar, portanto da Mata Atlântica, que é sempre muito úmida e fria. No final de maio, enquanto a cidade registrou a temperatura mínima de 9,6°C, a mais baixa do ano, a menor mínima absoluta, registrada em um único local, ocorreu na região de Parelheiros, com 2,6ºC. Em anos anteriores já chegou a fazer 0°C.

Para ajudar a população mais vulnerável da cidade, a Associação Beneficente Vivenda da Criança criou a Campanha do Cobertor para beneficiar os mais de 4 mil atendidos durante esse período. A ideia é que seja doado mais do que um cobertor por família e que sejam cobertores novos e de qualidade para manter as famílias carentes bem aquecidas. Os interessados em colaborar com a campanha podem doar os cobertores na instituição e se a quantidade for acima de 30, a Vivenda da Criança também faz a retirada.

Existe também a possiblidade de fazer a doação em dinheiro para uma das contas da instituição que usará o valor recebido para efetuar a compra dos cobertores. Os dados para depósito são: Favorecida: Associação Beneficente Vivenda da Criança – CNPJ: 61.577.110/0001-05 / Banco do Brasil – Agência 1744-2 – C.C. 32.068-4 / Bradesco – Agência 1442 – C.C. 17.542-0 / Itaú – Agência 0736 – C.C 25.112-5 / SICOOB – Agência 4406 – C.C. 721-8 e PIX: 61.577.110/0001-05 (CNPJ).

A Associação Beneficente Vivenda da Criança é uma entidade sem fins lucrativos que atende mensalmente mais de 4 mil pessoas carentes da área mais pobre da periferia de São Paulo, na região da subprefeitura de Parelheiros, extremo sul do município. Em 1989, a instituição iniciou suas atividades como um abrigo para meninos em situação de risco social. Com o tempo, ela cresceu e hoje oferece oportunidades para crianças, jovens e adultos se desenvolverem como pessoas, cidadãos e futuros profissionais.

No Rio de Janeiro

Operação contra o frio acolhe 151 pessoas

Ação da Assistência Social no município do Rio (Foto: Fernando Maia / Prefeitura do Rio)

No Rio de Janeiro, a Secretaria Municipal de Assistência Social acolheu 151 pessoas que buscavam abrigo contra o frio intenso nas últimas 48 horas. Ao todo, as equipes especializadas realizaram, nesse período, 559 atendimentos de abordagem, assistência e acolhimento de pessoas em situação de rua de 32 bairros de todas as regiões da cidade.

Desde o anúncio da onda de frio, a secretária Laura Carneiro determinou o reforço das equipes para ampliar esse atendimento emergencial. As abordagens especializadas já são realizadas em três turnos, de manhã, à tarde e à noite, mas desde o último dia 23 são mais de 100 funcionários se revezando no serviço. Dos 32 bairros percorridos, oito foram visitados nos dois dias: Copacabana, Centro, Méier, Penha, Tijuca, Marechal Hermes, Madureira e Cascadura. Em bairros com muita concentração de população de rua, as ações aconteceram mais de uma vez: em Copacabana, quatro; no Leme, três; e, no Centro, quatro.

Também seguem funcionando 24 horas por dia o Centro Pop Bárbara Calazans (Rua República do Líbano, 54, Centro) e o Centro de Referência Especializado (Creas) Maria Lina (Rua São Salvador, 56, 2º andar, Laranjeiras, pelo menos até este sábado (31/07). Eles oferecem alimentos, água, roupas de frio e cobertores, e encaminham a população em situação de rua para os abrigos.

A Campanha do Agasalho, que esta semana distribuiu 1 tonelada de peças de inverno como casacos, meias e cobertores para os abrigos, foi reaberta nesse período de frio intenso. Quem tiver agasalhos para doar pode deixá-los nos dois pontos abertos 24 horas, nos 14 Creas e na sede da própria Prefeitura, na Cidade Nova, tanto no prédio principal como no anexo.

O Iplan-Rio (Empresa Municipal de Informática) se junto à campanha enviando peças de inverno feitas por seus funcionários para os abrigos da Prefeitura, além de prosseguir na própria campanha de arrecadação.

Após doar alimentos, colégio faz campanha do agasalho

Alunos e funcionários da rede de ensino Força Máxima no Estado do Rio de Janeiro prosseguem até 7 de agosto com a arrecadação para sua campanha de agasalhos. As doações  podem ser feitas nas unidades do colégio no Rio (Campo Grande e Laranjeiras), Duque de Caxias, Magé (Piabetá), Nova Iguaçu, Petrópolis, São Gonçalo e São João de Meriti (Vilar dos Teles). A próxima ação do ‘Força Solidária’ será a campanha de Natal.

Esta semana, voluntários do grupo entregaram à ONG Ação da Cidadania mais de 1,5 tonelada de alimentos não perecíveis e materiais de higienização, incluindo máscaras e álcool gel. A iniciativa é resultado de uma campanha promovida nas nove unidades da rede no estado. Desde o início da pandemia, a Ação da Cidadania arrecadou o equivalente a 16,6 milhões de quilos de alimentos_ ou 83 milhões de pratos de comida_ e ajudou mais de seis milhões de pessoas.

Fiocruz recolhe agasalhos para pacientes de tuberculose

O inverno e os impactos causados pela pandemia de Covid-19 agravaram ainda mais o quadro social de populações vulneráveis, como é o caso dos pacientes acometidos pela tuberculose. Para ajudar pacientes que fazem acompanhamento ambulatorial para tratamento da doença, o Centro de Referência Professor Hélio Fraga (CRPHF/ENSP), da Fiocruz, no Rio de Janeiro, está promovendo a Campanha Inverno Solidário 2021.

As doações de cobertores e agasalhos podem ser feitas nas caixas de coleta – em três pontos fixos – ou doações virtuais. e todas as doações arrecadadas serão distribuídas entre os pacientes. Saiba mais aqui.

 

Lu Rufino, presidente do Instituto Miss Cadeirante, entrega cestas doadas pela LBV a famílias da Zona Oeste do Rio (Foto: Divulgação)

O Miss Cadeirante 2021 é marcado por muita solidariedade. Em apoio à Legião da Boa Vontade (LBV), a organização do concurso pede doações para que a entidade possa continuar prestando o atendimento a famílias em vulnerabilidade social e em risco alimentar, fortemente afetadas pelos impactos socioeconômicos da pandemia da Covid-19.

No lançamento das inscrições para o concurso deste ano, na última terça-feira (27), a advogada Lu Rufino, presidente do Instituto Miss Cadeirante e líder do Comitê de Pessoas com Deficiência do Grupo Mulheres do Brasil, distribuiu 100 cestas básicas doadas pela LBV aos moradores de Campo Grande, Bangu, Magarça e Pedra de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio, todos assistidos pelo Instituto.

A parceria da LBV continua sua intensa mobilização social, por meio de suas campanhas emergenciais que visam angariar donativos para entregar itens essenciais, a exemplo do leite, que compõe a cesta de alimentos, tão necessário para reforçar a alimentação da família e ajudar no desenvolvimento de crianças”, afirma Lú Rufino.

Saiba como ajudar: acesse www.lbv.org.br e colabore.

Com Assessorias

 

 

 

 

Fonte: www.vidaeacao.com.br/solidariedade-que-aquece-e-alimenta-no-inverno-rigoroso