SP começa a vacinar com Pfizer quem tem 2ª dose de AstraZeneca atrasada – Rede Brasil Atual

São Paulo – A prefeitura de São Paulo vai utilizar 165 mil doses da vacina da Pfizer para imunizar aqueles que receberam a primeira dose da AstraZeneca, mas não conseguiram completar a imunização. Em todo o estado, serão 400 mil doses da Pfizer que poderão ser utilizadas pelos municípios para os que estão com a segunda dose da AstraZeneca em atraso. A aplicação deverá ser feita após as 15h desta segunda-feira (13), quando os postos já devem ter sido abastecidos. Poderão se vacinar as pessoas que estiverem com a dose de AstraZeneca vencida entre os dias 1 e 15 de setembro.

No entanto, o montante anunciado para a capital paulista ainda é insuficiente para suprir o atraso no esquema vacinal. De acordo com a prefeitura, são 340 mil pessoas que estão com a segunda dose da vacina em atraso.

O governo de São Paulo acusa o Ministério da Saúde de ter provocado um “apagão”, ao deixar de enviar quase 1 milhão de doses da AstraZeneca ao estado em setembro. Na semana passada, o governador João Doria (PSDB) afirmou que que vai entrar com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF), caso não receba o total requisitado. Já o ministério afirma que o estado não cumpriu o estabelecido no Programa Nacional de Imunizações (PNI) e imunizantes reservados para a segunda dose foram utilizados na primeira, o que teria provocado o desajuste.

Segunda dose e intercambialidade

A intercambialidade das vacinas – aplicação de imunizantes diferentes – foi chancelada pelo Comitê Científico do Governo do estado e pelo Programa Estadual de Imunização. Os órgãos se basearam em estudos da Organização Mundial de Saúde (OMS) e orientações do próprio Ministério da Saúde. Além disso, a decisão também foi aprovada pelo Conselho dos Secretario Municipais de Saúde de São Paulo (Cosems).

Além disso, também nesta segunda (13), idosos de 85 a 89 anos começam a receber a terceira dose da vacina contra a covid-19. Deverão receber a dose de reforço aqueles que tomaram a segunda dose ou dose única a pelo menos seis meses.

Desde o último dia 6, a terceira dose vem sendo aplicada em idosos com 90 anos ou mais. Em todo o estado, esse complemento é realizado com o imunizante que estiver disponível, ignorando recomendação do ministério da Saúde, que orienta a utilização da Pfizer. Já a prefeitura da capital paulista disse que irá priorizar a utilização da Pfizer, assim que receber novos lotes a partir de quarta-feira (15).

Fonte: www.redebrasilatual.com.br/saude-e-ciencia/2021/09/vacina-pfizer-segunda-dose-astrazeneca-atrasada